Mohammad-Hossein Shahriar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Shahriar
Imagem de Shahriar em azulejos, no seu local de enterro
Nome completo Seyyed Mohammad Hossein Behjat Tabrizi
Nascimento 1906
Morte 18 de setembro de 1988
Teerão, Irão
Nacionalidade Iraniano
Ocupação Poeta

Seyyed Mohammad Hossein Behjat Tabrizi (1906 – 18 de setembro de 1988), mais conhecido por Shahriar, foi um notável poeta iraniano de etnia azerbaijana, que escreveu em azerbaijano e em persa.[1] Seu trabalho mais importante, Heydar Babaya Salam, é considerado o pináculo da literatura azerbaijana, que ganhou grande popularidade no mundo árabe e foi traduzido para mais de 30 idiomas.[2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Mohammad Hossein Shahriar foi um dos primeiros azeris do Irão a escrever uma colecção significativa de poesia na língua turca-azeri. Nascido em 1906 em Tabriz, uma das principais cidades do Azerbaijão iraniano, recebeu sua educação elementar, sob a supervisão de seu pai. A primeira educação formal de Shahriar foi na escola secundária Motahari, em Tabriz. Ele posteriormente estudou no Dar-ol-Fonoun (antiga escola de ensino superior) em Teerão. Embora ele tenha estudado medicina na faculdade, ele desistiu antes de obter seu diploma e foi para Khorasan, onde ele encontrou um emprego como notário público e funcionário do banco. Ele retornou a Teerão em 1935 e começou a trabalhar no Banco Agrícola do Irão.

Ele também recebeu um doutorado honorário da Universidade de Tabriz, em Literatura.

Ele inicialmente publicou seus poemas sob seu nome, Behjat, mas depois escolheu o nome de Shahriar. Ele publicou seu primeiro livro de poemas em 1929. Seus poemas são principalmente influenciados por Hafez, um famoso poeta persa, e Khasta Qasim, um poeta turco.

Seu trabalho mais famoso em azeri-turco é Heydar Babaya Salam, publicado em 1954, que ganhou imenso carinho de vários os países árabes como a Turquia, o Azerbaijão e o Turquemenistão. Heydar Babaya Salam foi traduzido para mais de 30 idiomas e inúmeras peças em todo o mundo.

Trabalhos[editar | editar código-fonte]

Este poeta apaixonado começou por compor poesia trágica. Muitas de suas lembranças agridoces são reflectidas em seus livros Hazyan-e Del, Heydar Baba e Mumiyai. Heydar Baba, composto em turco e mais tarde traduzido para persa, ficou há muito tempo na lista de dez melhores vendedores em Teerão. Heydar Baba é o nome de uma montanha onde o poeta passou sua infância. Ele também escreveu um livro de poemas épicos, Takht-e Jamshid.

Ele estava interessado em questões humanísticas e em seu poema "Uma carta a Einstein", ele criticou o resultado de seu trabalho científico que foi abusado como arma nuclear.[1]

Os versos de Shahriar têm diversas formas, incluindo letras, quadras, pares, odes e elegies. Um de seus poemas de amor, Hala Chera, foi definido para a música de Rouhollah Khaleghi. A composição para orquestra e voz solo tornou-se uma de suas obras mais conhecidas. Uma das principais razões para o sucesso do trabalho de Shahriar é a sinceridade de suas palavras. Como ele usa gíria e linguagem coloquial no contexto da poesia, seus poemas são compreensíveis e eficazes para um amplo segmento do público.

Shahriar era um calígrafo talentoso e tinha um grande interesse pela música. Ele era um amigo muito próximo do músico persa e professor altamente respeitado, Abdulhossein Saba.

Morte[editar | editar código-fonte]

O dia em que faleceu é chamado de "dia nacional do poema" no Irão.[3] Uma série de televisão sobre sua vida, dirigida por Kamal Tabrizi, foi exibida no canal 2 da IRIB.

Ele morreu em 18 de setembro de 1988 em um dos hospitais de Teerão, seu corpo foi transferido para Tabriz e foi enterrado em Maqbaratoshoara (Tumbas de Poetas).

Tumba de Shahriar

Referências

  1. a b «Shahriar (Seyyed Mohammad Hossein Behjat-Tabrizi) - شهریار (سید محمدحسین بهجت تبریزی)». www.untoldiran.com. Consultado em 17 de outubro de 2017 
  2. «Greetings to Heydar Baba». umich.edu. Consultado em 8 de setembro de 2010 
  3. «Iran commemorates great Azeri poet Shahriar - Real Iran». realiran.org (em inglês). Consultado em 17 de outubro de 2017