Moi dix Mois

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Moi Dix Mois)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Moi dix Mois
MOI DIX.gif
Logo de Moi dix Mois
Informação geral
País  Japão
Gênero(s) Metal sinfônico, metal industrial, heavy metal, death metal, outros.
Período em atividade 2002 - atualmente
Gravadora(s) Maglaia
Midi:Nette
Trisol Music Group GmbH
Gan-shin
MABELL FRANCE
Integrantes Mana
Seth
Ryux
Sugiya
Hayato

Moi dix Mois (em japonês: モワ ディス モワ, Moa disu Moa / Mowa disu Mowa, do francês) é o projeto solo do guitarrista Mana, iniciado no dia 19 de março de 2002, após a sua antiga popular banda Malice Mizer entrar em hiatus por tempo indefinido.

Como projeto solo, o Moi dix Mois tem como único integrante oficial e permanente o seu líder Mana, que produz suas músicas correspondendo unicamente com suas ideias e conceitos, compondo-as em todas as etapa de criação. Atualmente, a formação de membros suporte é diferente da formação inicial.

A música[editar | editar código-fonte]

Moi dix Mois não tem um estilo definido. Mana se utiliza de combinações de opostos para a composição de suas músicas, como beleza e escuridão, elegância e agressividade, criatividade e destruição. Todos estes elementos lhe servem para expressar sua personalidade, ideias e visão geral sobre o mundo.

A melodia se assemelha com a do Malice Mizer no fim de sua carreira, ao menos nos dois primeiros álbuns do Moi dix Mois, Dix Infernal e Nocturnal Opera. O álbum Beyond the Gate acaba por expressar o lado heavy metal do projeto solo, sendo notavelmente inspirado em riffs da banda norte-americana Slayer, especialmente em faixas como "Unmoved" e "Vain". Os álbuns que se seguiram (Dixanadu, D+Sect e Reprise) tentaram mesclar aspectos dos primeiros trabalhos do projeto com os mais recentes produzidos.

"Se houvesse um estilo definido no mundo da arte, eu o destruiria. Certamente há algo que só eu posso criar, e sempre achei que discordaria se alguém alegasse que a música tem que ser desse jeito ou do tipo "acrescentando", infelizmente, há muitas pessoas assim."

— Mana em entrevista para a revista alemã Orkus, em 2007.

Mesmo assim, não é possível caracterizar um estilo único para o Moi dix Mois, que já produziu músicas de industrial metal, symphonic metal e até mesmo alternative metal. Pode-se, no entanto, destacar elementos que frequentemente aparecem nas melodias, como o uso de guitarras elétricas gêmeas, órgãos, violinos, piano e outros instrumentos clássicos.

Com aparência arrojada, tendendo fortemente para o estilo gótico, o Moi dix Mois alcançou um status quase exclusivo, sendo que o próprio Mana é constantemente exaltado por especialistas pela singularidade do seu trabalho.

História[editar | editar código-fonte]

2002 - 2005: Início do projeto e fim da primeira formação[editar | editar código-fonte]

Em 19 março de 2002, Mana iniciou suas atividades solo se apresentando pela primeira vez no Dis Inferno I com a primeira formação: Mana (guitarra), Juka (vocal), Kazuno (baixo) e Tohru (suporte de bateria). Em novembro daquele ano, foi lançado o primeiro single do projeto, Dialogue Symphonie, e devido a popularidade em alta pelo recente hiatus do Malice Mizer, o Moi dix Mois iniciou a Forbidden Tour 2002-2003 pelo Japão, que contou com 14 apresentações, mesmo que nenhum álbum tivesse sido lançado até então.

No ano seguinte, após o fim da turnê, o primeiro álbum foi lançado no dia 19 de março (novamente aniversário de Mana): Dix Infernal, composto de 13 faixas e visual repleto de cruzes, fogo e cabeças-de-bode, que caracterizam bem o título do trabalho. Ainda em 2003, o Moi dix Mois saiu novamente em turnê pelo Japão e realizou 13 apresentações, sendo última na grande e popular casa de eventos Shibuya-AX. Esta última foi gravada em DVD e lançada em 16 de dezembro de 2003, recebendo o nome de Scars of Sabbath. Encerrando aquele ano, foi realizada a Dis Inferno II, que contou com a presença da dupla Schwarz Stein (Kaya e Hora) e a banda Lareine.

O ano 2004 foi considerado por muitos como o mais produtivo pelo Moi dix Mois. Em 31 de março é lançado o single Shadows Temple, marcando a entrada de Tohru para a banda de Mana. Em 30 de julho foi lançado o segundo álbum Nocturnal Opera, tido para muitos fãs como o mais icônico do Moi dix Mois, contando com 11 faixas e uma sonoridade muito semelhante com o último álbum do Malice Mizer. Em 6 de outubro saiu o single Pageant, que é uma das músicas mais populares do projeto. Tradicionalmente, no final daquele ano foi realizada a Dis Inferno III, que revelou o K como o novo membro do Moi dix Mois, assumindo a guitarra e death vocal.

Já em 2005, duas apresentações foram realizadas no Japão. Todavia, o ano foi marcado pelo início dos trabalhos do Moi dix Mois em solo europeu. Em fevereiro daquele ano, Mana foi capa da popular revista alemã metal/goth Orkus, mesmo que ela seja destinada a um público sem interesse na cultura pop japonesa. Julgado-o exclusivamente com base na qualidade de sua música, em sua publicação anual, os leitores da revista votaram em Mana como uma das dez personalidades mais impressionantes, dez melhores guitarristas e dez melhores artistas, e o Moi dix Mois como um dos dez melhores estreantes de 2005.

Moi dix Mois gozava até então de uma popularidade muito expressiva em solo europeu, algo muito raro entre bandas japonesas naquele tempo. Diante disso, foi iniciada a Invite to Immorality Europe Tour 2005, que possibilitou o Moi dix Mois ser um dos, até então, pouquíssimos grupos nipônicos a se apresentarem na Europa. Os shows aconteceram na Alemanha (Munique) e França (Paris), sendo este último gravado e lançado em DVD em 27 de julho. O final da turnê aconteceu no Shibuya-AX, no Japão.

No entanto, por mais que estivesse desfrutando de diversas atividades e performando em novos países, o vocalista Juka decidiu deixar o Moi dix Mois naquele mesmo ano, logo após o fim da turnê europeia. Foi alegado diferenças musicais com os novos rumos que o projeto de Mana estava seguindo, especialmente sobre a musicalidade. Meses depois, Tohru e Kazuno também deixaram o Moi dix Mois, permanecendo apenas o guitarrista K. Sem se abater, Mana anunciou o novo vocalista Seth no final de 2005, afirmando que sua voz combinava perfeitamente com a sonoridade que o guitarrista almejava.

2006 - 2009: Nova formação e rumos à Europa[editar | editar código-fonte]

Em março de 2006, com um novo vocalista, foi lançado neste ano o álbum Beyond the Gate. É visível a mudança de sonoridade, despontando mais para o heavy metal, bem como é notória a influência da banda norte-americana Slayer (favorita de Mana) nos riffs. Na apresentação especial de aniversário de Mana, foram revelados os outros novos membros, sendo Sugiya e Hayato, assumindo posições de baixista e baterista, respectivamente. A turnê promocional do novo álbum foi intitulada Beyond the Gate Europe Tour 2006, que contou com apresentações na Alemanha, França e o final no Japão.

Logo após, um grande desafio foi proposto para Mana: apresentar-se na Wave Gothik Treffen 2006. As expectativas do público eram altas, vez que uma banda japonesa, que não se classificava em nenhum estilo específico, se apresentaria como headliner de um dos principais festivais góticos europeus, que contava em sua line-up com bandas como Lacrimosa, Deathstars, Dope Stars Inc.. Aceitando o desafio, Mana obteve um resultado extremamente positivo: lotou o Agra Hall, com capacidade para 10.000 pessoas, conquistando grande quantidade de novos fãs, bem como vendeu em poucos minutos CD's e mercadorias do Moi dix Mois após deixar o palco, além de conquistar a crítica local.

Diferentemente, até então, de outras bandas japonesas, Moi dix Mois começava a ser associada com a cena metal e gótica, e não apenas com a música japonesa, angariando cada vez mais audiência. Tanto é que iam realizar uma turnê pelos Estados Unidos, que apenas foi cancelada devido aos problemas com organizadores. Porém, no mesmo mês, Mana apareceu como convidado de honra na Anime Expo em Anaheim, Califórnia, onde participou de um painel de perguntas e respostas. Em 4 de outubro, foi lançado o single Lamentful Miss.

Já em 2007, em 28 de março, saiu o quarto álbum do projeto, intitulado de Dixanadu, que explorava elementos clássicos, mesclando também os novos riffs que o Moi dix Mois já vinha trabalhando. Uma versão instrumental também foi feita e só se encontrava disponível em eventos ou no site da Midi:Nette, e tendo como bônus um jogo de computador com Mâtin, o alter-ego de Mana. Dois shows ocorreram logo em seguida no Japão para a divulgação do novo trabalho, bem como a pequena turnê Fated Raison D'etre Tour, ainda em território nipônico, contando com três apresentações.

Voltando para a Europa, foi iniciada a Fated Raison D'etre Europe Tour 2007, que teve apresentações na Finlândia (Helsinque), Suécia (Estocolmo), Itália (Milão), Espanha (Madrid e Barcelona), Alemanha (Krefeld e Munique) e França (Paris), sendo que a apresentação de Paris foi gravada e lançada em DVD. Fato marcante é que, em 2007, outras bandas japonesas começavam a performar em território europeu. Todavia, Moi dix Mois, nessas ocasiões, chegou a angariar quase o dobro de audiência em comparação com seus conterrâneos (especialmente na Barcelona), justamente por gozar de popularidade da cena metal e gótica, especialmente após sua apresentação na Wave Gothik Treffen 2006, revelando uma fã-base europeia não composta apenas por interessados na cultura pop japonesa, mas também por headbangers e amantes da cultura gótica.

Na segunda metade de 2007, Moi dix Mois se apresentou como convidado da banda D'espairsRay no evento Dark Sanctuary. Em entrevista, os membros da banda revelaram admiração por Mana, especialmente o baixista Zero.

Em entrevistas para revistas na Europa, Mana havia confirmado que lançaria outro álbum no ano seguinte. Entretanto, acabou não o fazendo por estar envolvido na produção de uma artista feminina, que mais tarde se revelaria ser Kanon Wakeshima.

Em 2008, saiu o DVD da Fated Raison D'etre Europe Tour 2007, no dia 30 de janeiro, que conta com documentários, offshots e uma versão europeia com camiseta e fotos autografadas. Ainda naquele ano, Mana, em entrevistas, relatou que um amigo CEO da Sony Music Entertainment Japan o convidou para avaliar fitas que músicos enviavam à gravadora para então escolher um. Apreciando muito Kanon Wakeshima, o guitarrista se comprometeu a ser seu produtor, o que atrasou trabalhos do Moi dix Mois. O evento Dis Inferno VI foi realizado e, para a surpresa de muitos fãs, houve a participação de Közi (co-fundador do Malice Mizer), acabando por tocar músicas dos primórdios da antiga banda, como a faixa Speed of Desperate, de 1992.

Ainda que deveras compromissado com a produção de Kanon Wakeshima, em 2009, Mana realizou sua tradicional apresentação de aniversário. Também teve início o evento Deep Sanctuary, que é marcado sempre pela presença de Közi, que contou com duas apresentações, iniciadas no dia 19 de julho. Logo após, Moi dix Mois performou no evento V-Rock 2009, que reuniu artistas como Marilyn Manson, The Gazette, D'espairsRay e outros. Encerrando o ano, Mana também liderou sua banda para participar de outro evento, o Mad Tea Party da banda D, e realizou a Dis Inferno VII.

2010 - 2013: Reunião do MALICE MIZER, comemoração de 10 anos de Moi dix Mois e cancelamentos[editar | editar código-fonte]

Em 2010, como de costume, o primeiro evento do ano foi a celebração de aniversário de Mana, e logo em seguida foi iniciada a Deep Sanctuary II, com seis shows, sendo o principal em Tóquio, no grande e popular AKASAKA BLITZ. Além de Közi, esta última apresentação, que teve seus ingressos esgotados rapidamente, também contou com a participação de Yu~ki (baixista do Malice Mizer). A grande procura por entradas não foi por menos, afinal, era a primeira reunião com o núcleo do MALICE MIZER em quase uma década. Em uma apresentação emocionante (em que o próprio Mana entrou em lágrimas), foi tocada a música Saikai no Chi to Bara (que iniciava todos os shows da banda no último álbum Bara no Seidou) e Beast of Blood, levando todo o público ao delírio. Seth e K, em suas páginas pessoas, confessaram terem ficado nervosos, pois "pisariam no palco com uma lenda".

Ainda durante a turnê, Mana anunciou que estava trabalhando em seu novo álbum, D+Sect, que foi lançado em 15 de dezembro. O tradicional evento de fim de ano do Moi dix Mois foi realizado na véspera de natal, recebendo o nome de Dis Inferno VIII - Dark Xmas

Com álbum novo lançado, Mana se preparava para a usual apresentação de celebração de seu aniversário em 2011, no dia 19 de março, na casa de shows Shibuya O-West. Todavia, a data foi adiada para 18 de junho em decorrência dos terremotos e tsunamis que atingiram o Japão naquele ano. Em junho também foi lançando o book Philosophy, sendo uma revista em comemoração dos dez anos de Moi dix Mois,

No final daquele ano, foi anunciada uma série de apresentação para comemorar uma década de vida do projeto de Mana, que recebeu o nome de Fragments of Philosophy, bem como a produção de um novo álbum, que teria regravações do Dix Infernal e Nocturnal Opera. Ainda em 2011, três shows da série comemorativa foram realizados, sendo um deles o Dis Inferno IX.

Já em 2012, dando continuidade à série comemorativa de apresentações, Moi dix Mois performou com ALI PROJECT, que conheceu no V-Rock 2009. O outro foi realizado no dia 24 de março, que comemorou os oficiais dez anos de seu projeto solo, que contou com aproximadas três horas de duração. Nesta mesma ocasião, apresentou também ao público a música inédita do novo álbum, Je L'aime, que retrata o agradecimento e carinho que Mana tem por seus fãs devido o suporte que recebeu por todos esses anos.

Moi dix Mois no painel de perguntas do Sakura-Con, em Seattle

Também se apresentou no Sakura-Con, em Seattle, participando depois de um painel de perguntas e respostas de fãs. Realizou ainda a Deep Sanctuary III, que teve a participação novamente de Yu~ki, no AKASA BLITZ, e em Osaka. Também participou do show comemorativo da banda Versailles, que contava também com a presença da banda D. Os líderes, Kamijo e Asagi, expressaram a admiração que tem por Mana, revelando que consideram-no um "grande sênior".

Mesmo assim, 2012 é considerado um dos piores anos do Moi dix Mois por grande parte dos fãs: primeiramente, havia sido anunciada uma turnê latino-americana, a TETSUGAKU NO KAKERA CHAPTER SIX - LATIN AMERICA TOUR - 2012, que passaria pela Argentina, Chile, Brasil e México. Porém, em seu blog pessoal, Mana deu a notícia para os fãs de que os shows seriam adiados, pois a agência não havia feito as preparações para as apresentações. Em contrapartida, a agência alegava que tinha oferecido todo o aparato para que o Moi dix Mois pudesse performar. Poucos meses depois, a turnê foi cancelada. Não sendo suficiente, Mana também havia anunciado que uma editora lançaria sua autobiografia, mas, assim como a turnê, houve adiamento, e o livro nunca foi lançado. Ainda em 2012, houve o lançamento do álbum Reprise, bem como o evento Dis Inferno X.

Em 2013, a Fragments of Philosophy chegou ao fim com duas apresentações: a primeira teve Schwarz Stein como convidada (dupla produzida por Mana e separada em 2004). A segunda apresentação foi uma surpresa para todos, pois contou com a participação dos membros da primeira formação do Moi dix Mois, afastando boatos de rivalidades entre Seth e Juka, assim como os referentes à qualquer inimizade entre Mana e os outros ex-membros. No final, todos subiram no palco para tocar Pageant, enquanto os vocalistas alternavam versos entre si.

Após o encerramento da série de apresentações comemorativas de uma década do Moi dix Mois, o projeto entrou em um período de silêncio, com novas músicas sendo produzidas, mas sem qualquer lançamento oficial. Em outubro, Mana e Seth participaram do evento Dark Gothic Mysterious Dark Party, apresentando uma nova versão de uma das músicas do Malice Mizer e desfilando peças de roupas da Moi-même-Moitié. Em dezembro foi realizada a Dis Inferno XI, encerrando o ano de atividades do Moi dix Mois naquele ano.

2014 - 2018: Morte de K, Kubana Festival e Deep Sanctuary VI (MALICE MIZER 25th Anniversary Special)[editar | editar código-fonte]

A religiosa apresentação que comemora o aniversário de Mana foi realizada no início de 2014 e, após ter seus ingressos esgotados, foi decidido que seria feito um show extra para o final de maio. Pouco tempo depois, foi confirmada a participação do Moi dix Mois no Kubana Festival 2014, na Rússia, onde bandas como System of a Down, Misfits e The Gazette já tinham performado.

Porém, antes que pudesse ser realizado o show extra marcado para maio, uma notícia dada pelo site oficial do Moi dix Mois chocou todos os fãs: o guitarrista K, que estava no projeto desde 2004, havia sido encontrado morto em sua casa, no dia 19 de maio, sob circunstâncias não esclarecidas. A fatalidade obrigou Mana a adiar a apresentação por tempo indeterminado.

Apresentação no Kubana Festival 2014, na Rússia

A performance no Kubana Festival 2014 se tornou ainda mais improvável quando foi comunicado que Seth havia sido operado de uma apendicite aguda, e deveria ter um tempo de recuperação. Mesmo contra todas as adversidades, Mana confirmou presença no evento russo, postando em seu twitter que a recuperação do vocalista estava sendo "milagrosa". A apresentação no festival foi marcada pelas homenagens feitas à K, como quando foi tocada a nova música Beast Side (feita em seu tributo), bem como quando Mana levantou a guitarra do falecido guitarrista para a audiência antes de deixar o palco.

No mês setembro, o show extra de aniversário finalmente foi remarcado, mas transformado em tributo à K. A apresentação foi repleta de homenagens: as músicas predominantes eram aquelas que K respondia aos riffs de Mana (Unmoved, Lamentful Miss, etc) com sua guitarra e, no lugar que usualmente permanecia no palco, foi colocada uma escultura em forma de asas. Mana, visivelmente emocionado em diversos momentos, chegou a tocar a guitarra do falecido guitarrista.

Em outubro, a realização da Deep Sanctuary IV contou com a participação especial de Közi como membro suporte no Moi dix Mois, que estava desfalcado com o falecimento de K. Posteriormente, Mana divulgou em seu blog oficial que já havia encontrado um novo guitarrista, e que seu nome no projeto seria Ryux (Omega Dripp). Sua primeira apresentação ocorreu na Dis Inferno XII, daquele ano.

Como no ano anterior, o aniversário de Mana de 2015 se esgotou rapidamente, sendo agendado um show extra para maio. Este ano foi de grande silêncio para o Moi dix Mois, que apenas realizou posteriormente a Dis Inferno XIII.

Já no início de 2016, a apresentação de aniversário de Mana contou duas apresentações seguidas (20 e 21 de março), sendo uma comemoração especial devido aos dez anos de Sugiya e Hayato no Moi dix Mois. O segundo dia foi marcado por uma sessão especial entre o baixista e baterista, que foi aclamada pelo público. A Deep Sanctuary V foi realizada em agosto, e Mana, Közi e Yu~ki tocaram canções do álbum mais famoso do MALICE MIZER, Merveilles. Em outubro, o Moi dix Mois fez seu primeiro show em Hong Kong, China, que foi muito elogiado pela audiência. No encerramento do calendário de 2016, foi feita a Dis inferno XIV.

Inovações aconteceram no ano de 2017. Além do tradicional show duplo de aniversário de Mana, Moi dix Mois fez um evento diferente de tudo do que já tinha feito: organizou um jantar para seus fãs, onde os próprios músicos prepararam o menu, e foi chamado de The Great ~ La Kitchen Knife Aristocrat ~. Uma apresentação muito intimista aconteceu logo após o fim da refeição. Após esta apresentação distinta, Mana ainda participou do aniversário de 15 anos do Schwarz Stein, e o Moi dix Mois celebrou a Dis inferno XV.

Em 2018, o show duplo de aniversário de Mana ocorreu. Porém, o maior anúncio feito é a realização da Deep Sanctuary VI (MALICE MIZER 25th Anniversary Special), em dois dias, que, como o título diz, comemorará os 25 anos de MALICE MIZER, e contará com participações como Kamijo (Versailles), Shuji (Cali≠gari), Sakura (ex-L'Arc-en-Ciel, Rayflower, Zigzo), entre outros.

Significado de Moi dix Mois[editar | editar código-fonte]

Em entrevista para a revista alemã Orkus em 2005, Mana explicou o profundo significado do nome de seu projeto:

"Porque eu amo o som do francês. “Moi” significa “eu”, que escolhi porque eu comecei em carreira solo. “Dix” significa o número “dez” e enquanto o 1 significa o começo de algo, 0 significa algo como a “eternidade”. Eu amo esse número porque para mim possui inúmeras possibilidades. “dix Mois” novamente significa “dez meses”, o tempo que um bebê leva para crescer no ventre de sua mãe antes de nascer. Então pode ser interpretado como “nascimento”. Uni todas essas palavras no nome da minha banda."

Nota: no Japão, a gravidez é contada em 10 meses lunares, enquanto que no ocidente são 9.

Formações[editar | editar código-fonte]

Moi dix mois teve diferentes formações desde o seu início, sendo Mana o líder, guitarrista, compositor, produtor e, claramente, o único membro contínuo do projeto. Em entrevista à revista CD Japan, em 2006, Mana afirmou que "desde que o Moi dix Mois é meu projeto solo, continuarei a mudar os membros sempre que necessário, dependendo do estilo de música que quero expressar a cada momento".

Juka e Kazuno fizeram parte da primeira formação, com Tohru originalmente como suporte de bateria, se juntando oficialmente com o lançamento do single Shadows Temple, em maio de 2004. K entrou como guitarrista e death vocal no evento Dis Inferno III em dezembro do mesmo ano.

Ao final da turnê Invite to Immorality Europe Tour 2005, em abril, Juka anunciou sua saída do projeto. Meses depois, Kazuno e Tohru também deixaram o Moi dix Mois, fazendo com que K fosse o único membro remanescente da primeira formação. Em seguida, foi anunciado que Seth se juntaria ao projeto como novo vocalista.

Sugiya e Hayato iniciariam como membros suporte até o lançamento do single Lamentful Miss, e então passaram a ser oficialmente membros da banda de Mana. Depois da morte de K em 2014, Ryux assumiu o posto de guitarrista e death vocal.

Linha do tempo dos membros do Moi dix Mois

Membros atuais[editar | editar código-fonte]

Membro Período
Seth Vocalista 2005 - atualmente
Ryux Guitarrista e vocalista 2014 - atualmente
Sugiya Baixista 2006 - atualmente
Hayato Baterista 2006 - atualmente

Ex-membros[editar | editar código-fonte]

Membro Período
Juka Vocalista 2002 - 2005 Saiu
K Guitarrista e vocalista 2004 - 2014 Falecido
Kazuno Baixista 2002 - 2005 Saiu
Tohru Baterista 2004 - 2005 Saiu

Instrumentos musicais[editar | editar código-fonte]

As guitarras de Mana vem sendo produzidas pela ESP desde que tocava em Malice Mizer, pois o músico possui um contrato de exclusividade com a empresa. Elas possuem o mesmo formato (exceto a Jeune Fille II) e cores diferentes. Uma característica das mais recentes guitarras é a cruz no seu centro que brilha, se destacando nas apresentações. De forma habitual, após as apresentações do Moi dix Mois, os instrumentos são postos em exibição pela ESP para deleite dos fãs. A Jeune Fille possui vários modelos, quais sejam:

Jeune Fille X Ferrum - Cross Ray illusion, exibida pela primeira vez na ESP Fair, em julho de 2017.
  • Jeune Fille X ferrum -Cross Ray-
  • Jeune Fille X lazuli -Cross Ray-
  • Jeune Fille X Gips -Cross Ray-
  • Jeune Fille X Bronze -Cross Ray-
  • Jeune Fille Manche
  • Jeune Fille X
  • Jeune Fille Custom
  • Jeune Fille II
  • Jeune Fille

A guitarra de Ruyx e o baixo de Hayato também são produzidos pela ESP, assim como as guitarras que foram confeccionadas para o falecido guitarrista K.

Roupas[editar | editar código-fonte]

Todos os figurinos dos membros do Moi dix Mois são produzidos pela Moi-même-Moitié, fundada em 1999. Nos dois primeiros álbuns do projeto, é notória a aproximação de Mana com a arte gótica. Após, em Beyond the Gate e Dixanadu, o conceito estético se assemelha mais com a cena metal, como pode ser visto nos figurinos da Fated raison D'etre Europe Tour 2007. Já em D+Sect e Reprise, é possível observar o retorno de Mana para conceitos do movimento Visual kei, o qual o guitarrista foi um dos músicos precursores.

Entretanto, mesmo que em determinados momentos ou apresentações específicas haja um maior flerte por determinado conceito, as criações de Mana não são caracterizadas em nenhum estilo, sendo um trabalho único. Os figurinos são todos feitos detalhe por detalhe pelo próprio Mana, sempre muito bem arrojados e com toques de perfeccionismo.

A vocalista norte-americana Amy Lee, do Evanescence, ao encontrar Mana para darem uma entrevista juntos para a FOOL'S MATE, em 2007, relatou: "Minhas roupas estão muito comuns (compara com o Mana) …uma vergonha. Se eu tivesse mais tempo, eu teria me vestido melhor." Assim, o músico não se expressa com totalidade apenas musicalmente, mas também visualmente. As vestimentas são bastante caracterizadas pelas suas extravagâncias e suas cores recebem, usualmente, branco, preto, azul-marinho e vermelho.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Singles[editar | editar código-fonte]

Título Lançamento Posição nos Charts da Oricon
Dialogue Symphonie 19 de novembro de 2002 No. 77
Shadows Temple 31 de maio de 2004 No. 103
Pageant 06 de outubro de 2004 No. 40
Lamentful Miss 04 de outubro de 2006 No. 73

Álbuns[editar | editar código-fonte]

Título Lançamento Posição nos Charts da Oricon
Dix infernal 19 de março de 2003 No. 77
Nocturnal Opera 20 de julho de 2004 No. 116
Beyond the Gate 1 de março de 2006 No. 84
Dixanadu 28 de março de 2007 No. 158
D+Sect 15 de dezembro de 2010 No. 113
Reprise 11 de julho de 2012 No. 102

DVD[editar | editar código-fonte]

Título Lançamento Local Posição nos charts da Oricon
Dix Infernal - Scars of Sabbath 16 de dezembro de 2003 Tóquio, Japão - Shibuya AX No. 274
Invite to Immorality Europe Tour 2005 27 de julho de 2005 Paris, França - LALOCOMOTIVE
Fated raison d'etre Europe Tour 2007 30 de janeiro de 2008 Paris, França - ElyseeMontmartre No. 206

Edições especiais[editar | editar código-fonte]

  • Dix Infernal - Limited Edition (19 de março de 2003): álbum Dix infernal com encarte especial
  • Nocturnal Opera - Limited Edition (20 de julho de 2004): álbum Nocturnal Opera com encarte especial
  • Invite to Immorality Europe Tour 2005 (27 de julho de 2005): DVD com extras da turnê do Moi dix Mois, documentário do show na Alemanhã, em Tóquio, filmagens de Mana em Munique e Paris, etc.
  • Beyond the Gate - Limited Edition (01 de março de 2006): álbum com músicas do Beyond the gate e todas as suas versões instrumentais
  • Dixanadu - Limited Edition (agosto de 2007): álbum com encarte especial e as músicas de Dixanadu e todas as suas versões instrumentais

Books[editar | editar código-fonte]

  • Magnifique
  • D+Sect Chronicle
  • Philosophy
  • Philosophy II
  • Digital Madousho 1-10

Ligações externas[editar | editar código-fonte]