Amy Lee

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Amy Lee
Lee apresentando-se no Pellissier Building and Wiltern Theatre em Los Angeles, na Califórnia (2015)
Nome completo Amy Lynn Lee (nascimento)
Amy Lynn Hartzler (casamento)
Outros nomes Amy Hartzler
Nascimento 13 de dezembro de 1981 (37 anos)
Riverside, Califórnia
Estados Unidos
Residência Brooklyn, Nova Iorque[1]
Nacionalidade norte-americana
Etnia branca
Progenitores Mãe: Sara Cargill
Pai: John Lee
Cônjuge Josh Hartzler (c. 2007)
Filho(s) 1
Alma mater Pulaski Academy • Middle Tennessee State University
Ocupação cantoracompositora
Carreira musical
Período musical 1995—presente
Gênero(s) metal alternativo
Extensão vocal Mezzosoprano
Instrumento(s) vocalpianoguitarraharpa
Gravadora(s) Wind-up (2002–14)
Afiliações
Religião cristã
Assinatura
Amy lee signature.png
Página oficial
amyleeofficial.com

Amy Lynn Hartzler (nascida Lee; Riverside, 13 de dezembro de 1981), é uma cantora, compositora e musicista americana, além de vocalista e pianista da banda de metal alternativo Evanescence.

Amy iniciou sua carreira na música em 1995, quando fundou ao lado do guitarrista Ben Moody a banda Evanescence, porém quando Ben saiu do grupo em 2003, ela passou a liderar sozinha a banda, que lançou três álbuns até então. Mais tarde em 2014, Lee anunciou seu primeiro trabalho solo ao lado do violinista Dave Eggar, que é uma trilha sonora para o filme independente War Story, sendo que ela também realizou alguns concertos acústicos.

Ela também já colaborou com diversos artistas ao longo dos anos, com destaque para as bandas Seether e Korn, além de alguns projetos paralelos, como no álbum Nightmare Revisited, em 2008.

Biografia e vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Filha de John Lee, um DJ e personalidade da televisão, e Sarah Cargill, Amy também possui um irmão chamado Robert e duas irmãs, Carrie e Lori. Ela também teve uma irmã chamada Bonnie que morreu em 1987 aos três anos de idade por uma doença não identificada, sendo que as canções "Hello" do álbum Fallen, "Like You" de The Open Door (todas do Evanescence) foram escritas em homenagem à pequena garota.[2]

Lee teve aulas de piano por nove anos, e sua família mudou-se para vários lugares, incluindo a Flórida e Illinois,[3] porém acabaram por residir em Little Rock, Arkansas, onde o Evanescence foi fundado. Em 2000, ela ainda frequentou a Universidade Estadual Middle Tennessee em Murfreesboro para estudar teoria musical e composição, mas deixou os estudos para se focar no Evanescence.[4]

Em uma entrevista para o AOL Music, ela disse que as primeiras canções da qual se lembrava de ter escrito eram chamadas de "Eternity of Remorse" e "A Single Tear", sendo que a primeira foi escrita quando ela tinha onze anos de idade e desejava se tornar uma compositora clássica, e a segunda foi para um projeto escolar enquanto estava na oitava série.

Ela também é casada com o terapeuta Josh Hartzler desde 6 de maio de 2007, com qual tem um filho, Jack Lion Hartzler, nascido em 24 de julho de 2014.[5][6]

Carreira musical[editar | editar código-fonte]

Evanescence[editar | editar código-fonte]

Amy co-fundou a banda de metal alternativo Evanescence no ano de 1995, juntamente com o guitarrista Ben Moody. Os dois haviam se conhecido num acampamento de jovens promovido por uma igreja local de Little Rock, sendo que nesse evento, Ben ouviu Amy tocar a canção "I'd Do Anything For Love (But I Won't Do That)" do músico Meat Loaf no piano. Pouco depois, a dupla realizou concertos acústicos em livrarias e cafeterias do Arkansas, eventualmente gravando dois EP: Evanescence (1998) e Sound Asleep (1999), que foram vendidos durante as apresentações.

Em 2000, com o tecladista David Hodges na formação, a banda gravou o CD demo Origin com o apoio de alguns outros músicos. Este disco foi um prelúdio do álbum de estreia do grupo, Fallen, lançado em 2003, que permitiu ao Evanescence realizar diversas turnês e tornarem-se um famoso grupo musical. Porém, em 22 de outubro de 2003, Ben Moody deixou a banda alegando "diferenças criativas" com os demais membros da banda, sendo anunciada a sua substituição por Terry Balsamo, que colaborou com grupo tanto nas guitarras como nas composições ao lado de Lee.

Amy tocando piano durante uma apresentação com o Evanescence no Canadá em 2011.

Posteriormente, a banda lançou dois álbuns de sucesso, The Open Door (2006) e o autointitulado Evanescence (2011), ambos sucedidos por extensas turnês e diversos concertos ao redor do mundo. Atualmente o grupo está em hiato desde 2012, após o fim da última turnê.

Em 3 de janeiro de 2014, TMZ informou que Lee processou a gravadora do Evanescence, Wind-up Records, por 1,5 milhões de dólares em direitos autorais não pagos.[7] Em março do mesmo ano, Lee anunciou por meio de sua conta do Twitter que estava livre de seu contrato com a Wind-up e que agora era uma artista independente.[8]

Em 2015, Jen Majura substituiu Terry Balsamo como uma das guitarristas do grupo, e vem acompanhando a banda até o momento atual.

Em novembro de 2017, a banda lançou seu quarto álbum de estúdio intitulado Synthesis, que consiste na mistura de sons eletrônicos e orquestrais.[9] O responsável pelo arranjo de cordas será David Campbell, que trabalhou nos álbuns anteriores da banda.[9] Lee comentou que a banda selecionou músicas de seu catálogo para retrabalhá-las e também lançará duas inéditas, sendo elas "Imperfection" e "Hi-Lo".[10][11]

Carreira solo[editar | editar código-fonte]

Durante uma entrevista em outubro de 2008 para o Spin.com, Amy disse que estava escrevendo novas canções, possivelmente para um álbum solo. Ela citou influências do folk e da música celta, dizendo que as atuais canções a faziam sentir de volta às antigas raízes. Porém ela não forneceu datas de lançamento, mas explicou a razão para esse novo projeto: "Eu preciso mostrar que sei fazer mais coisas, e que não são todas músicas tristes".[12]

Ainda em outubro do mesmo ano, ela concedeu uma entrevista ao The Gauntlet, dizendo que não havia certeza se iria iniciar uma carreira solo, afirmando estar em um momento onde não sabia o que faria pela frente. Ela afirmou que o Evanescence ainda estava junto, mas iniciar uma nova turnê seria monótono, porém reiterou que estava escrevendo canções, embora não sabia dizer para qual propósito.[13]

2008–2012: Álbuns de tributo[editar | editar código-fonte]

Em setembro de 2008, Amy lançou sua versão da música "Sally's Song" no álbum Nightmare Revisted. Este álbum contém covers das músicas da trilha sonora de O Estranho Mundo de Jack. Ela comentou que teve liberdade criativa para recriar a música.[12]

Em 2011, colaborou com sua versão de "Halfway Down the Stairs" dos Muppets para o álbum Muppets: The Green Album.[14] Ela comentou sobre sua participação no projeto em setembro de 2009.[15]

Em 2012, participou do tributo a Johnny Cash com a música "I'm So Lonesome I Could Cry".[16]

2014–2015: Aftermath e Recover[editar | editar código-fonte]

Em janeiro de 2014, Amy anunciou que iria se juntar com o violinista e compositor Dave Eggar para criar músicas para o filme independente War Story, sendo que durante uma entrevista à MTV ela disse: "Irá surpreender meus fãs. Não é o que você espera; o filme é muito obscuro, muito introspectivo. Há uma mistura de vários sons, muitos tons ameaçadores. Eu toco o teclado e o pedal Taurus".[17] Em agosto do mesmo ano, ela anunciou que a trilha sonora do filme seria intitulada Aftermath e lançada em 25 de agosto.[18]

Em março de 2015, Lee e Eggar anunciaram que estavam gravando música, com a parceria de Chuck Palmer, para o curta-metragem do grupo de dança nova-iorquino Hammerstep, Indigo Grey[19], disponibilizado on-line em 14 de setembro de 2015.[20]

Em agosto do mesmo ano, Lee compôs e gravou a música de encerramento para o filme independente Voice from the Stone, do diretor Eric D. Howell.[21] A música se chama "Speak to Me", lançada em 2017.[22]

Em dezembro, Lee declarou que planeja terminar algumas músicas de um álbum do Evanescence, originalmente produzido por Steve Lillywhite, que foi rejeitado pela Wind-Up Records em 2010.[23] Ela explicou que ficou "arrasada" e "furiosa" com a rejeição, porém estava determinada a seguir em frente e acabou ficando "nervosa o suficiente para compor o álbum mais pesado do Evanescence". Apesar de apenas três músicas das sessões com Lillywhite terem sido retrabalhadas em Evanescence, Lee admitiu que "ainda me sentia insatisfeita com o que eu carinhosamente me referia como meu 'álbum arruinado'."[23]

No final de 2015, Lee deu início a um projeto de cover que deu origem ao primeiro EP da cantora, chamado Recover Vol. 1, lançado em fevereiro de 2016.[24]

2016–presente: Dream Too Much[editar | editar código-fonte]

Em 17 de junho de 2016, a Amazon.com anunciou que Lee planeja lançar um álbum voltado para as famílias, exclusivamente por meio do Amazon Prime Music em 2016.[25] O álbum contará com "músicas para crianças e famílias".[25]

Em 15 de agosto, Lee divulgou, por meio do Instagram, o trecho de uma música intitulada "Dream Too Much"[26], parte de um álbum infantil de mesmo nome com 12 faixas que foi lançado em 30 de setembro.[27][28] Seu filho, Jack, serviu de inspiração para o álbum e particularmente para uma música intitulada "The End of the Book".[27] "Meu pai sempre falou sobre fazer músicas infantis para o Jack. Meu marido sugeriu, 'Vocês deviam fazer, entrar no estúdio juntos, vocês nunca estão no estúdio juntos, vocês dois são músicos'", declarou Lee.[27]

Em 10 de fevereiro de 2017, lançou um cover em inglês da música "L'amore esiste" ("Love Exists") da italiana Francesca Michielin. A música foi produzida por Guy Sigsworth, e Dave Eggar contribuiu com o arranjo de cordas.[29] Em março do mesmo ano, foi disponibilizada a música "Speak to Me", faixa de encerramento do filme Voice from the Stone.[30]

Em 2019, Amy emprestou sua voz para a música "Love Goes On and On" do quinto álbum de Lindsey Stirling, Artemis.[31]

Voz[editar | editar código-fonte]

A voz de Amy tem sido muitas vezes classificada como Mezzo-soprano[32] ou Soprano[33], apesar de não ser oficializado por ela mesma, o que pode-se especular, baseando nas características de seu timbre, é que sua voz é cheia, escura e dotada de dramaticidade. A tessitura natural de sua voz pode ser ouvida em canções como End of the Dream(Synthesis), encontra-se em passagem na nota F5 (Fá na quinta oitava) e na versão ao vivo de Diana Dirty, atingindo um Ab5 (Lá bemol na quinta oitava), muito agudo para um Mezzo-soprano, por isso há controvérsias quanto ser um Soprano[34] de timbre mais escuro, encaixando-se mais como uma voz natural de Soprano lírico-dramático.[33]

A parte aguda de sua voz reforça essa informação, na canção Lacrymosa, interpretada ao vivo na versão do albúm Synthesis, Amy Atinge um ressonante C6 (Dó Natural na oitava 6) e nas versões de Weight Of the Word um Db6 (Ré bemol na oitava 6). [34]

No episódio de MTV Diary, durante um aquecimento vocal, Amy atingiu vários G#5 (Sol sustenido na oitava 5) e um E6 (Mi natural na oitava 6), notas super agudas executadas sem recorrer ao uso de falsetto, e um G#7 em whistle register. De fato, Amy tem bons graves, em Never go Back Amy canta um C3, e Lithium Amy canta Eb3, G3, porém é no registro médio e agudo em que sua voz brilha. Dessa forma seu alcance vai do C3 ao E6, em voz plena. Especulando que sua classificação vocal seja um Soprano lírico-dramático com alcance em 3,5 oitavas.

Imagem e estilo[editar | editar código-fonte]

Amy possui um estilo de moda reconhecível, marcado pelo uso ocasional de maquiagem gótica e gosto por roupas de estilo vitoriano.[35] Ela também desenha suas próprias roupas, incluindo os vestidos usados no videoclipe da canção "Going Under", e da capa do álbum The Open Door, além do figurino usado durante a performance do Evanescence no Prêmio Nobel da Paz em 2011. Após desenhar o vestido que ela usou no Grammy Awards 2004, ela escolheu o designer japonês H. Naoto para fazer por ela.[36] Ela também tinha um piercing na sobrancelha esquerda, visível na capa do álbum Fallen.

Em um entrevista para o VEVO Stylized, Amy apresentou e explicou seu estilo de moda, comentando que prefere fazer suas próprias roupas, porque é difícil encontrar exatamente o que ela quer em outro lugar.[37] Em uma entrevista com a AOL, Lee afirmou que seu estilo diário é muito diferente de quando ela se apresenta no palco, apontando que ela estava usando "algo florido" durante a entrevista. Ela explicou que seu guarda-roupa no palco foi feito para preservar a atmosfera das canções e completar a imagem. Em outra entrevista, ela afirmou que quando a banda começou a se apresentar, ela costumava usar espartilhos, com medo de diluir a imagem da banda, mas tornou-se progressivamente mais confortável com seu próprio estilo. Seu estilo no palco atual é muitas vezes caracterizado por botas, um top preto simples, uma saia longa e enfeites e acessórios diversos.

Ela declarou em várias ocasiões que nunca iria utilizar os seios ou se envolver em outros truques publicitários que chamam a atenção para si mesma. Na verdade, no vídeo da canção "Everybody's Fool", ela teve como objetivo zombar tais artistas sugerindo que as celebridades que usam o sexo para atrair um público, são de fato apenas futilidades (o tema unificador do vídeo da música). Muitos fãs elogiam Amy por sua recusa a imitar outras celebridades usando apelo sexual em sua música.[38] Em 2006, a revista Blender a listou como uma das mulheres mais quentes do rock ao lado de cantoras como Joan Jett, Courtney Love e Liz Phair, e mais tarde em 2013, ela foi classificada em primeiro lugar na categoria "Mulheres Mais Quentes da Música", realizado pelo website NME.com.[39]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Montgomery, James (14 de agosto de 2014). «Get Free: Amy Lee on Artistic Independence, the Future of Evanescence». Rolling Stone. Consultado em 29 de outubro de 2015. Cópia arquivada em 11 de outubro de 2015 
  2. «Evanescence: Amy Lee explica as novas canções» (em inglês). VH1.com. 18 de setembro de 2006. Consultado em 5 de junho de 2011 
  3. «Biografia de Amy» (em inglês). OutoftheShadows.com. Consultado em 5 de junho de 2011 
  4. «A banda de metal Evanescence não irá desaparecer, e possuem poder de permanência» (em inglês). HighBeam.com. 23 de maio de 2003. Consultado em 9 de agosto de 2014. Arquivado do original em 6 de Novembro de 2013 
  5. James Montgomery (11 de agosto de 2014). «Get Free: Amy Lee on Artistic Independence, the Future of Evanescence» 
  6. «@amylee: Our little cub, Jack Lion Hartzler, is here. | Instagram». 28 de julho de 2014 
  7. «'Evanescence' Singer Sues - Our Very Own Label is Our Worst Enemy». TMZ.com (em inglês). 3 de janeiro de 2014 
  8. Hartmann, Graham (20 de março de 2014). «Evanescence's Amy Lee: 'For the First Time in 13 Years, I Am a Free and Independent Artist'». Loudwire (em inglês) 
  9. a b «Evanescence Announce Orchestral New LP 'Synthesis,' Fall Tour». Rolling Stone 
  10. «Evanescence: ouça "Imperfection", o novo single da banda» 
  11. «Evanescence lança primeira música inédita depois de seis anos; ouça 'Imperfection' - Repórter Entre Linhas». Repórter Entre Linhas. 15 de setembro de 2017 
  12. a b «Evanescence's Amy Lee: "It's Not All Sad"». Spin (em inglês). 17 de outubro de 2008 
  13. «Evanescence Interview». 23 de outubro de 2008 
  14. Goodwyn, Tom (27 de junho de 2011). «Weezer, Paramore, Evanescence for Muppets tribute album». NME (em inglês). Consultado em 19 de setembro de 2019 
  15. Lee, Amy (22 de setembro de 2009). «Remember the Nightmare Before Christmas covers CD last year? They are making another one, this time its Muppet songs....». Twitter 
  16. «'We Walk The Line: A Celebration Of The Music Of Johnny Cash' CD/DVD To Be Released August 7th | The Sony Music Johnny Cash Site». web.archive.org. 7 de novembro de 2012. Consultado em 19 de setembro de 2019 
  17. Montgomery, James (1 de agosto de 2014). «Evanescence's Amy Lee is making music again... just not for her band». MTV News (em inglês) 
  18. «Evanescence's Amy Lee Teases 'Aftermath' Disc Featuring Music Inspired by 'War Story' Movie». Loudwire (em inglês). 6 de agosto de 2014 
  19. «Amy Lee no Twitter: "Help to create a new way..."». 14 de março de 2015 
  20. «EVANESCENCE's AMY LEE Helps Create Soundtrack For Sci-Fi Short Film 'Indigo Grey: The Passage'» (em inglês). 15 de setembro de 2015. Consultado em 9 de julho de 2016 
  21. «VoiceFromTheStone no Twitter: "Excited to share @amylee just composed & recorded closing..."». Twitter. 13 de agosto de 2015 
  22. Kreps, Daniel; Kreps, Daniel (17 de março de 2017). «Hear Evanescence Singer Amy Lee's Ghostly New Ballad 'Speak to Me'». Rolling Stone (em inglês). Consultado em 19 de setembro de 2019 
  23. a b Lee, Amy (17 de dezembro de 2015). «Cover #4: Baby Did a Bad, Bad Thing....». Facebook.com 
  24. Lee, Amy (19 de fevereiro de 2016). «"Making these covers has been a really satisfying outlet for me lately..."». Facebook. Amy Lee. Consultado em 12 de março de 2016 
  25. a b «Amazon Announces Lineup of Original Family Music Exclusively Streaming on Prime Music». Bussines Wire. 17 de junho de 2016 
  26. «Amy no Instagram: "#dreamtoomuch"». Instagram. 15 de agosto de 2016. Consultado em 15 de agosto de 2016 
  27. a b c Weingarten, Christopher R. (17 de agosto de 2016). «Evanescence's Amy Lee Details Kids Album 'Dream Too Much'» (em inglês). Rolling Stone. Consultado em 17 de agosto de 2016 
  28. Alcântara, Fabiano (17 de agosto de 2016). «Amy Lee para baixinhos; cantora do Evanescence anuncia disco infantil». Vírgula. UOL. Consultado em 17 de agosto de 2016 
  29. «Evanescence Singer Amy Lee Releases Soothing New Song 'Love Exists'» (em inglês). Loudwire. 11 de fevereiro de 2017 
  30. Kreps, Daniel (17 de março de 2017). «Hear Evanescence Singer Amy Lee's Ghostly New Ballad 'Speak to Me'» (em inglês). Rolling Stone. Consultado em 3 de outubro de 2017 
  31. «"Artemis" | Lindsey Stirling lança álbum com colaborações de Ellen King e Amy Lee, da Evanescence». Poltrona Vip. 7 de setembro de 2019. Consultado em 19 de setembro de 2019 
  32. https://www.rollingstone.com/music/music-album-reviews/review-evanescence-flourishes-with-the-classical-makeover-of-synthesis-122186/
  33. a b http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EDR77042-6006,00.html
  34. a b Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome lanacion
  35. «Evanescence's Amy shreads her threads!» (em inglês). Kerrang.com. 9 de junho de 2003. Consultado em 15 de janeiro de 2008. Cópia arquivada em 14 de Março de 2005 
  36. «Amy Lee: perfil fashion» (em inglês). MTV.com. Consultado em 7 de novembro de 2006. Cópia arquivada em 12 de Novembro de 2006 
  37. «VEVO Stylized - Amy Lee». 13 de dezembro de 2011 
  38. «Amy Lee espera entrar no cinema e se irrita com ícones femininos bregas» (em inglês). VH1.com. 10 de junho de 2004. Consultado em 5 de junho de 2011 
  39. «Mulheres mais quentes da música» (em inglês). NME.com. Consultado em 20 de fevereiro de 2013 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote
Commons Categoria no Commons