Moringa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura recipiente de barro para conservar a água, veja talha de água.
Disambig grey.svg Nota: Se procura a espécie vulgarmente designada como moringa, veja acácia-branca.


Como ler uma caixa taxonómicaMoringaceae
Moringa
Moringa ovalifolia (Namíbia).

Moringa ovalifolia (Namíbia).
Classificação científica
Reino: Plantae
Clado: Angiosperms
Clado: Eudicots
Clado: Rosids
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Brassicales
Família: Moringaceae
Martinov[1]
Género: Moringa
Adans.[2]
Espécie-tipo
Moringa oleifera
Lam.[3]
Espécies
Ver texto.
Sinónimos

Moringaceae é uma família de plantas com flor (angiospérmicas) pertencente à ordem Brassicales.[4] A família é monogenérica, constituída pelo género único Moringa.[5] O género agrupa 13 espécies, todas com distribuição natural nas regiões de clima tropical e subtropical da África e do sudoeste da Ásia. As espécies de Moringa apresentam crescimento rápido, adaptando-se a uma grande variedade de ambientes, incluindo em regiões semi-áridas.

Descrição[editar | editar código-fonte]

As espécies do género Moringa são arbustos ou pequenas árvores decíduas, com raízes e caules suculentos, bulbosos ou carnudos, nalguns casos "árvores de garrafa" com troncos paquicaules suculentas e inchados. Todas estas espécies contêm, em particular nas suas partes suculentas, os glucosinolatos típicos das Brassicales que lhes conferem um forte cheiro a rábano. As espécies arbustivas têm em geral um número reduzido de ramos em torno da parte terminal do tronco, que secam quando as condições de secura ambiental obrigam a planta a reduzir o consumo de água. Em períodos húmidos estas espécies recuperam as ramagem, com crescimento rápido a partir dos nutrientes armazenados nas raízes e caules suculentos.

As folhas apresentam inserção alterna, duas ou três vezes pinadas, com margens inteiras, geralmente com limbos pequenos. Não têm estípulas, mas por vezes apresentam protuberâncias glandulosas nas base dos pecíolos e folíolos.

As flores são hermafroditas, pentâmeras, agrupadas em inflorescências axilares cimeiras do tipo panícula, cada uma com numerosas flores. A flores são muitas vezes pequenas, sendo que nos casos em que são maiores apresentam marcada zigomorfia. O cálice é em forma de taça ou tubular. As 5 sépalas são todas desiguais e de entre as 5 pétalas desiguais, de coloração branca, amarela ou vermelha, a mais exterior é em geral a de maiores dimensões. Entre os 5 estames férteis ocorrem 3-5 estaminódios. Entre os carpelo, de 2 a 4 são fundidos num ovário súpero ou semi-súpero, esbelto e cilíndrico, que termina num estilete tubular, sem estigmas radiais.

O fruto é uma cápsula lenhosa, de três a doze gomos que termina em três abas que se abrem na maturidade de forma explosiva. As sementes são numerosas, na maioria dos casos aladas, com três asas, não contendo tecido nutritivo (endosperma).

O nome genérico deriva de murungai /munakkai/ muringa, os vocábulos tamil/telugu/malayalam usados como nome comum da espécie Moringa oleifera.[6] Na língua gujarati a espécie é denominda saragvo.[7]

Na sua presente circunscrição taxonómica o género Moringa agrupa 13 espécies validamente descritas, todas nativas das regiões de climas tropicais e subtropicais. As espécie variam em hábito e tamanho entre pequenas plantas herbáceas e árvores de grandes dimensões. A maioria apresenta uma marcada paquicaulia.

A espécie tipo, e simultaneamente a mais conhecida, é Moringa oleifera, árvore originária do estado de Kerala, no sopé dos Himalaias (noroeste da Índia),[8] conhecida pelo nome comum de moringa ou acácia-branca. Esta espécie é cultivada como árvore multiusos nos trópicos.[9] A espécie africana Moringa stenopetala também é amplamente cultivada, embora menos que Moringa oleifera.

Espécies[editar | editar código-fonte]

O género Moringa inclui as seguintes espécies validamente descritas:

Notas

  1. Angiosperm Phylogeny Group (2009). «An update of the Angiosperm Phylogeny Group classification for the orders and families of flowering plants: APG III». Botanical Journal of the Linnean Society. 161 (2): 105–121. doi:10.1111/j.1095-8339.2009.00996.x. Consultado em 6 de julho de 2013 
  2. a b «Genus: Moringa Adans.». Germplasm Resources Information Network. United States Department of Agriculture. 17 de setembro de 1996. Consultado em 26 de setembro de 2011 
  3. «Moringa Adans.». TROPICOS. Missouri Botanical Garden. Consultado em 30 de dezembro de 2009 
  4. Angiosperm Phylogeny Group. «An update of the Angiosperm Phylogeny Group classification for the orders and families of flowering plants: APG III». Botanical Journal of the Linnean Society 2009; 161(2): 105–121 
  5. «Genus Moringa». p. The Plant List. Consultado em 9 de julho de 2013 
  6. Murungai முருங்கை) em tamil.
  7. M.A. (2009), Dadamouny,. Suez Canal University, Faculty of Science, Botany Department, ed. «Population Ecology of Moringa peregrina growing in Southern Sinai, Egypt.». p. M.Sc. Consultado em 26 de dezembro de 2009 
  8. Olson, Mark (2010). «Moringaceae Martinov. Drumstick Tree Family» (PDF). Flora of North America. 1993+. Flora of North America North of Mexico. 7: 167–169 
  9. Janick, Jules; Robert E. Paull (2008). The Encyclopedia of Fruit & Nuts. CABI. pp. 509–510. ISBN 978-0-85199-638-7 
  10. a b c d e f g h i j k l m Leone A, Spada A, Battezzati A, Schiraldi A, Aristil J, Bertoli S (2015). «Cultivation, Genetic, Ethnopharmacology, Phytochemistry and Pharmacology of Moringa oleifera Leaves: An Overview». International Journal of Molecular Sciences. 16: 12791-12835. doi:10.3390/ijms160612791 
  11. Dadamouny, M.A. (2009). «Population Ecology of Moringa peregrina growing in Southern Sinai, Egypt.». M.Sc. Suez Canal University, Faculty of Science, Botany Department. Consultado em 26 de dezembro de 2009 
  12. Dadamouny, M.A., Unterseher, M., König, P., & Schnittler, M. (2016). «Population performance of Moringa peregrina (Forssk.) Fiori (Moringaceae) at Sinai Peninsula, Egypt in the last decades: Consequences for its conservation.». Journal for nature conservation. doi:10.1016/j.jnc.2016.08.005 
  13. «Subordinate Taxa of Moringa Adans.». TROPICOS. Missouri Botanical Garden. Consultado em 30 de dezembro de 2009 
  14. Dadamouny, M.A., Zaghloul, M.S., & Moustafa, A.A. (2012). «Impact of Improved Soil Properties on Establishment of Moringa peregrina seedlings and trial to decrease its Mortality Rate.». Case Study. Egyptian Journal of Botany, NIDOC. Consultado em 3 de julho de 2012 

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Michel Adanson: Moringaceae, Familles des Plantes 2: 318, 1763.
  • Monique Keraudren: Famille 85: Moringacées. In: Jean-Henri Humbert & Jean-François Leroy (Hrsg.): Flore des Madagascar et des Comores, Muséum National d'Historie Naturelle: 33-44, 1982.
  • Ian Keith Ferguson: The pollen morphology of Moringaceae, Kew. Bull. 40(1): 25-34, 1985.
  • M. Fernanda Pinto Basto: Flora de Cabo Verde, plantas vasculares - 37. MORINGACEAE, 1995, ISBN 972-672-783-9
  • Mark Earl Olson: Intergeneric Relationships within the Caricaceae-Moringaceae Clade (Brassicales) and Potential Morphological Synapomorphies of the Clade and Its Families, International Journal of Plant Sciences, 163: 51–65, 2002.
  • Mark Earl Olson: Combining data from DNA sequences and morphology for a phylogeny of Moringaceae (Brassicales), Syst. Bot. 27: 55-73, 2002.
  • Mark Earl Olson: Ontogenetic origins of floral bilateral symmetry in Moringaceae (Brassicales). American J. Bot. 90: 49-71, 2003.
  • Erwin G. Bruhns: "Der Wunderbaum Moringa", ISBN 978-3-9812259-1-4

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Moringa
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Moringa