Angiosperma

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Plantas com flor)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaAngiospermas
Ocorrência: Cretáceo Inferior - Recente
Classificação científica
Domínio: Eukaryota
Reino: Plantae
Superdivisão: Spermatophyta
Divisão: Magnoliophyta ou Angiospermae
Classes

Sensu APG II (2003),[1] Chloranthaceae incluídas em Magnoliidae sensu APW (2008)[2]:



Em sistemas de classificação mais antigos como o de Cronquist (1981,[3] 1988[4]) ou de Engler,[5] etc:

As Angiospermas ou angiospérmicas (do grego: angeos (ἄγγος) - "bolsa" e sperma (σπέρμα) - "semente") são plantas espermatófitas cujas sementes são protegidas por uma estrutura denominada fruto. Também conhecidas por magnoliófitas ou antófitas, são o maior e mais moderno grupo de plantas englobando cerca de 250 mil espécies (cerca de 90% de todas as espécies de plantas). Elas possuem raiz, caule, folha, flores, semente e fruto.

Características[editar | editar código-fonte]

Características gerais[editar | editar código-fonte]

Todas as angiospermas são classificadas como um único filo, Anthophyta, as quais possuem duas adaptações principais, as flores e os frutos, que desempenham papeis fundamentais no ciclo de vida dessas plantas.

Reprodução[editar | editar código-fonte]

As flores são estruturas especializadas para a reprodução das angiospermas, sendo esse o aspecto mais marcante para as distinguir de outras plantas que produzem sementes. Algumas de suas principais utilidades são: a proteção das estruturas reprodutivas e a atração de agentes polinizadores, dessa forma, muito da diversidade presente nas flores é resultado de adaptações a polinizadores específicos.

  • Partes masculinas reduzidas, três células

O gametófito masculino das angiospermas é significantemente reduzido em tamanho quando comparado as gimnospermas. O grão de pólen menor diminui o tempo de polinização até alcançar a planta fêmea para a fertilização. Nas gimnospermas, a fertilização pode ocorrer em até um ano após a polinização, enquanto nas angiospermas, a fertilização começa logo após a polinização. O tempo curto leva às angiospermas produzirem sementes mais rápido e mais cedo do que as gimnospermas, o que pode ser considerado uma vantagem evolutiva.

  • Carpelo fechado anexado aos óvulos

Os carpelos fechados em angiospermas também permitem adaptações a polinizações especializadas. Isso ajuda a prevenir a autofertilização, garantido assim uma maior diversidade. Assim que o ovário é fertilizado, o carpelo e alguns outros tecidos se desenvolvem e o ovário amadurece em um fruto, que desempenha a função de atração de animais que realizam a dispersão da semente.

No geral, a formação do endosperma começa após a fertilização e antes da primeira divisão do zigoto. O endosperma é um tecido altamente nutritivo que pode fornecer alimento ao embrião que está se desenvolvendo, cotilédones e, algumas vezes, à plântula.

Essas características juntas fazem das angiospermas as mais diversas e numerosas plantas terrestres e o grupo mais comercialmente importante para os humanos.

Características gerais das duas classes de angiospermas[editar | editar código-fonte]

Monocotiledôneas[editar | editar código-fonte]

Cerca de um quarto das espécies de angiospermas são monocotiledôneas (cerca de 70 mil espécies), sendo a maioria composta por plantas herbáceas. Alguns dos maiores grupos de plantas são as orquídeas, as gramíneas e palmeiras, As gramíneas incluem algumas das culturas agrícolas mais importantes, como o milho, arroz e trigo. São caracterizadas por:

Inflorescências de espécie pertencentes à família Asteraceae


Eudicotiledôneas ou Dicotiledôneas

Mais de dois terços das espécies de angiospermas são eudicotiledôneas - aproximadamente 170 mil espécies -, incluindo em sua maioria árvores, arbustos e ervas. O maior grupo é a família de leguminosas, que inclui culturas agrícolas como as ervilhas, a soja e os feijões. A família das rosáceas também é importante economicamente e inclui muitas plantas com flores ornamentais, bem como algumas espécies com frutos comestíveis, como morangueiro, e árvores como a macieira e a pereira. A maior parte das árvores floríferas familiares é composta por eudicotiledôneas, como o ipê, o jacarandá, a paineira, o carvalho, a nogueira, o bordo, o salgueiro e outras. São caracterizadas por:

  • Raiz axial ou pivotante permitindo assim atingir maiores profundidades
  • Folhas com nervuras geralmente reticuladas
  • Flores tetrâmeras ou pentâmeras (múltiplas de 4 ou 5)
  • Semente com dois cotilédones
  • Ciclo de vida longo
  • Crescimento secundário (Presença de tronco)
  • Podem apresentar caule lenhoso
  • Nervura reticulada

Famílias[editar | editar código-fonte]

Atualmente há 405 famílias de Angiospermas:[6]


Índice:       ·  A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

A[editar | editar código-fonte]

B[editar | editar código-fonte]

Begonia foliosa do gênero Begonia, família Begoniaceae

C[editar | editar código-fonte]

D[editar | editar código-fonte]

E[editar | editar código-fonte]

F[editar | editar código-fonte]

G[editar | editar código-fonte]

H[editar | editar código-fonte]

I[editar | editar código-fonte]

J[editar | editar código-fonte]

K[editar | editar código-fonte]

L[editar | editar código-fonte]

M[editar | editar código-fonte]

N[editar | editar código-fonte]

O[editar | editar código-fonte]

P[editar | editar código-fonte]

Q[editar | editar código-fonte]

R[editar | editar código-fonte]

S[editar | editar código-fonte]

T[editar | editar código-fonte]

U[editar | editar código-fonte]

V[editar | editar código-fonte]

W[editar | editar código-fonte]

X[editar | editar código-fonte]

Z[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Angiosperma

Referências

  1. The Angiosperm Phylogeny Group. 2003. "An update of the Angiosperm Phylogeny Group classification for the orders and families of flowering plants: APG II". Botanical Journal of the Linnean Society, 141, 399-436. (pdf aquí[ligação inativa] )
  2. P. F. Stevens, depois de 2001, Angiosperm Phylogeny Website. Versão 8, junho de 2007, e actualizado desde então. http://www.mobot.org/MOBOT/research/APweb/
  3. Cronquist, A (1981). An integrated system of classification of flowering plants. Nova Iorque: Columbia University Press 
  4. Cronquist, A (1922). The evolution and classification of flowering plants. Nova Iorque: Columbia University Press 
  5. H. Melchior. 1964. A. Engler's Syllabus der Pflanzenfamilien (12ª edición)
  6. «Angiosperms» (em inglês). The Plant List. 2010. Consultado em 15 de julho de 2016 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • REECE, J. B., WASSERMAN, S. A., Urry, L. A., CAIN, M. L., MINORSKY, P. V., & JACKSON, R. B. Biologia de Campbell: "Diversidade Vegetal II: A evolução das Plantas com Sementes". 10 ed., Porto Alegre: Artmed , 2015.
  • SOUZA, V. C.; LORENZI, H. Botânica sistemática: guia ilustrado para identificação das famílias de Angiospermas da flora brasileira, baseado em APG II. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2005. 640 p.
  • SOUSA, V. C.; LORENZI, H. Chave de identificação: para as principais famílias de Angiospermas nativas e cultivadas do Brasil. 2. ed. Nova Odessa: Instituto Plantarum de Estudos da Flora, 2007. 31 p.