Asteliaceae

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Como ler uma infocaixa de taxonomiaAsteliaceae
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Liliopsida/Monocotyledoneae
Subclasse: Liliidae
Ordem: Asparagales
Família: Asteliaceae
Dumort.[1]
Géneros
Hábito de Collospermum hastatum, uma planta epífita presente nos bosques da Nova Zelândia. Presentes os frutos, os amarelos imaturos, os vermelhos já maduros.
Inflorescência de Neoastelia spectabilis.
Infrutescência de Astelias fragrans.
Inflorescência de Astelia nervosa.

Asteliaceae é uma família de plantas com flor pertencente à ordem das Asparagales das monocotiledóneas,[1] que agrupa 3-4 géneros com cerca de 37 espécies de plantas herbáceas perenes, todas nativas do Hemisfério Sul.

Descrição[editar | editar código-fonte]

As asteliáceas são uma família de plantas monocotiledóneas presentes no Hemisfério Sul. São mais ou menos rizomatosas, de folhas espiraladas, com flores agrupadas em inflorescências que podem ser do tipo rácemo ou do tipo espiga. As brácteas das inflorescências são grandes, as flores pequenas, com tépalas fundidas basalmente, o androceu adnato ao perianto, as anteras basifixas.

Filogenia e sistemática[editar | editar código-fonte]

O sistema APG IV, de 2016, reconhece esta família e coloca-a na ordem Asparagales, situação que se mantém sem alterações desde o sistema APG II, de 2003.[2][3] Esta família possui 3-4 géneros com cerca de 37 espécies,[4] nativas do Hemisfério Sul.

Na presente circunscrição das Asparagales, é possível estabelecer uma árvore filogenética que, incluindo os grupos que embora reduzidos à categoria de subfamília foram até recentemente amplamente tratados como famílias, assinale a posição filogenética das Asteliaceae:[5][6]


Asparagales

Orchidaceae





Boryaceae


Hypoxidaceae s.l.

Blandfordiaceae




Lanariaceae




Asteliaceae



Hypoxidaceae s.s.









Ixiolirionaceae



Tecophilaeaceae





Doryanthaceae




Iridaceae




Xeronemataceae



Asphodelaceae

Hemerocallidoideae (= Hemerocallidaceae)




Xanthorrhoeoideae (= Xanthorrhoeaceae s.s.)



Asphodeloideae (= Asphodelaceae)




Asparagales 'nucleares' 
Amaryllidaceae s.l.

Agapanthoideae (= Agapanthaceae)




Allioideae (= Alliaceae s.s.)



Amaryllidoideae (= Amaryllidaceae s.s.)




Asparagaceae s.l.



Aphyllanthoideae (= Aphyllanthaceae)




Brodiaeoideae (= Themidaceae)



Scilloideae (= Hyacinthaceae)





Agavoideae (= Agavaceae)





Lomandroideae (= Laxmanniaceae)




Asparagoideae (= Asparagaceae s.s.)



Nolinoideae (= Ruscaceae)













A posição filogenética e a circunscrição taxonómica das Asteleiaceae têm variado consideravelmente, pois nos sistemas tradicionais de base morfológica a família apareceia alargada, incluindo géneros como Cordyline (hoje nas Laxmanniaceae). Na sua presente circunscrição, e como se pode observar no cladograma acima, a família é o grupo irmão da família Hypoxidaceae sensu stricto, isto é de uma família Hipoxidaceae cuja circunscrição deixa de fora, para além das Asteliaceae, as Blandfordiaceae e as Lanariaceae.

Estas últimas duas famílias, em conjunto com a família Asteliaceae, e provavelmente também Boryaceae, formam um clado, as Hypoxidaceae sensu lato (grupo irmão das Boryaceae), as quais, com excepção do posicionamento de Boryaceae, tem um bom apoio como clado nas análises moleculares. Uma sinapomorfia potencial para estas famílias é a estrutura do óvulo, que pelo menos em Asteliaceae, Blandfordiaceae, Lanariaceae e Hypoxidaceae apresenta uma constrição chalazal e uma coifa nucelar ("nucellar cap"). Uma sinapomorfia potencial para estas famílias é a estrutura do óvulo: pelo menos Asteliaceae, Blandfordiaceae, Lanariaceae e Hypoxidaceae apresentam uma constrição chalazal e uma coifa nucelar ("nucellar cap"). Deixando de fora o clado das Boryaceae, alguns autores sugerem que estas famílias se deveriam fundir numa família Hypoxidaceae sensu lato.[7]

Dentro deste clado, Asteliaceae + Hypoxidaceae + Lanariaceae formam por sua vez um clado com apoio de 100 % de bootstrap. A morfologia também fornece algum apoio para estas relações: Asteliaceae e Hypoxidaceae formam rosetas recobertas por pelos multicelulares ramificados (também Lanariaceae apresenta tricomas multicelulares), e apresentam canais radiculares preenchidos por mucilagem (este último carácter também está presente nas Lanariaceae), mas Blandfordia (único género de Blandfordiaceae) não compartilha estes caracteres. Para além disso, este clado apresenta estomas paracíticos, a lâmina da folha apresenta uma nervura principal distintiva, para além do gineceu mais ou menos ínfero, e um micrópilo bi-estomal. O grupo [Asteliaceae + Hypoxidaceae] apresenta flavonóis, endosperma de paredes delgadas, cotilédone não fotossintético, e a lígula larga.

De acordo com o World Checklist of Selected Plant Families (Setembro de 2014), a família contém cerca de 37 espécies repartidas pelos seguintes géneros:[8][9]

O APWebsite indica apenas estes 4 géneros como parte desta família, embora alguns taxonomistas incluam aqui o género Cordyline, taxon que o APWebsite integra nas Laxmanniaceae.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b Angiosperm Phylogeny Group III (2009), «An update of the Angiosperm Phylogeny Group classification for the orders and families of flowering plants: APG III», Botanical Journal of the Linnean Society, 161 (2): 105–121, doi:10.1111/j.1095-8339.2009.00996.xAcessível livremente 
  2. Angiosperm Phylogeny Group (2003). An update of the Angiosperm Phylogeny Group classification for the orders and families of flowering plants: APG II. Botanical Journal of the Linnean Society 141(4): 399-436. doi: 10.1046/j.1095-8339.2003.t01-1-00158.x
  3. Angiosperm Phylogeny Group (2009). An update of the Angiosperm Phylogeny Group classification for the orders and families of flowering plants: APG III. Botanical Journal of the Linnean Society 161: 105-121.
  4. Christenhusz, M. J. M.; Byng, J. W. (2016). «The number of known plants species in the world and its annual increase». Magnolia Press. Phytotaxa. 261 (3): 201–217. doi:10.11646/phytotaxa.261.3.1Acessível livremente 
  5. Chase et al 2009
  6. Stevens 2016, Asparagales
  7. Soltis et al. (2005).
  8. WCSP (2011), World Checklist of Selected Plant Families, The Board of Trustees of the Royal Botanic Gardens, Kew, consultado em 24 de maio de 2011 , search for "Asteliaceae"
  9. a b c d Rafaël Govaerts (editor): Asteliaceae. In: World Checklist of Selected Plant Families (WCSP) – The Board of Trustees of the Royal Botanic Gardens, Kew.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Stevens, P. F. (2001). «Asteliaceae». Angiosperm Phylogeny Website (Versión 9, junio del 2008, y actualizado desde entonces) (em inglês). Consultado em 24 de janeiro de 2009 
  • Soltis, D. E.; Soltis, P. F.; Endress, P. K.; Chase, M. W. (2005). «Asparagales». Phylogeny and evolution of angiosperms. Sunderland, MA: Sinauer Associates. pp. 104-109 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Asteliaceae
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Asteliaceae