Museu do Homem Americano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Museu do Homem Americano
Tipo museu
Website oficial
Geografia
Coordenadas 9° 1' 58.9955" S 42° 42' 1.9822" O
Cidade São Raimundo Nonato
País Brasil

O Museu do Homem Americano é um museu localizado no município de São Raimundo Nonato, no estado do Piauí, onde está o Parque Nacional Serra da Capivara, um dos principais sítios arqueológicos do Brasil, pois lá existem cerca de 700 sítios arqueológicos com pinturas de até mais de 12 mil anos atrás.[1]

Ele fica dentro da sede da FUMDHAM (Fundação Museu do Homem Americano), que é a responsável pelo museu e que foi criada a partir de uma cooperação entre cientistas brasileiros e franceses que trabalham nessa região desde o ano de 1973.[2] Ela é uma organização sem fins lucrativos, mas atua em parceria com os governos municipal, estadual e federal. Além disso, a FUMDHAM é uma sociedade civil e filantrópica.[3]

No início de 2017 o Museu do Homem Americano também começou a ser responsabilidade do comitê permanente de acompanhamento e gestão do Parque Nacional da Serra da Capivara, um modelo de gerenciamento compartilhado instituído pelo governo do estado do Piauí e o Ministério da Cultura do Brasil.[4]

Esse sistema de administração compartilhada também integra o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).[5]

O acervo do local conta com diversas peças encontradas ao longo de mais de 40 anos de pesquisas e trabalhos arqueológicos dentro do parque. Atualizações regulares são realizadas, já que a qualquer momento, novas descobertas podem ser feitas.[6]

Além das exposições, o museu conta com reservas técnicas, que guardam peças e materiais arqueológicos, paleontológicos, zoológicos, botânicos, junto com laboratórios.[3][7]

O museu já recebeu o nome de Centro Cultural Sérgio Motta e está fortemente associado às pesquisas de Niède Guidon, que descobriu o local nos anos 70 e criou a Fundação Museu do Homem Americano na década seguinte para a "compreensão do bioma da região, a reconstituição do passado humano e sua adaptação ao meio, nas diferentes realidades ambientais pelas quais passou a região, desde a primeira ocupação." .[8]

Exposição permanente[editar | editar código-fonte]

O foco da exposição permanente, cujo acervo tem aproximadamente 90 peças,[9] é a trajetória do ser humano, partindo de 100.000 anos atrás, no início da evolução dos hominídeos, e percorre todo o caminho até a chegada do colonizador europeu na América.[3]

Ela traz elementos teóricos sobre como o continente americano foi povoado e sobre a evolução dos homens pré-históricos, entre os períodos do Pleistoceno e Holoceno, além de itens como urnas funerárias, objetos lapidados, desenhos, esqueletos, ossos e caracterização da fauna e flora da região no passado.[3][9]

Ainda é possível conhecer mais informações sobre escavações do Boqueirão da Pedra Furada, conhecido como o sítio arqueológico mais antigo do continente americano.[3][7]

Ao final da exposição, o visitante confere ossos genuínos, imagens e gravuras desenhadas nas paredes da reserva, além da descrição de uma pesquisa da vasta fauna que a região abrigava. A parte final do acervo abriga uma mostra da biodiversidade atual do Parque Nacional da Serra da Capivara.[10]

Além da preservação dos achados arqueológicos e da exposição permanente, o local também estuda como se dá a interação entre o homem e o ambiente, indo desde a pré-história até os dias atuais.

Não só isso, o Museu é um importante centro de pesquisa científica sobre a morfologia dos crânios de antepassados, sendo um dos únicos centros arqueológicos do Brasil onde é possível fazer análises sobre a evolução desses ossos originários da época Holocena.[11]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]