Saltar para o conteúdo

Mutaz Essa Barshim

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Mutaz Essa Barshim
campeão olímpico
Mutaz Essa Barshim
Atletismo
Modalidade salto em altura
Nascimento 24 de junho de 1991 (33 anos)
Doha, Catar
Nacionalidade Catar catari
Compleição Peso: 65 kg • Altura: 1,92 m
Medalhas
Jogos Olímpicos
Ouro Tóquio 2020 salto em altura
Prata Rio 2016 salto em altura
Prata Londres 2012 salto em altura
Campeonatos Mundiais
Ouro Eugene 2022 salto em altura
Ouro Doha 2019 salto em altura
Ouro Londres 2017 salto em altura
Prata Moscou 2013 salto em altura
Bronze Budapeste 2023 salto em altura
Campeonatos Mundiais – Indoor
Ouro Sopot 2014 salto em altura
Campeonato Asiático
Ouro Kobe 2011 salto em altura
Campeonato Mundial Júnior
Ouro Moncton 2010 salto em altura
Jogos Mundiais Militares
Ouro Rio de Janeiro 2011 salto em altura

Mutaz Essa Barshim (Doha, 24 de junho de 1991) é um atleta catari especializado no salto em altura, campeão olímpico e tricampeão mundial da modalidade.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Treinado no ASPIRE Dome, Barshim conseguiu seus primeiros sucessos nacionais em 2010. Ele conseguiu quebrar o recorde nacional indoor em Gotemburgo, no começo de fevereiro, com um salto de 2,25 metros,[1] e então ganhou a medalha de ouro no Campeonato Asiático de Atletismo Indoor de 2011, com uma marca de 2,20 m.[2] Ele foi selecionado para representar o Catar no Campeonato Mundial de Atletismo em Pista Coberta de 2010 em Doha e sua performance de 2,23 metros o deixou em décimo quarto lugar nas qualificatórias.[3] Estes feitos tornaram-no no primeiro graduado da ASPIRE Dome a participar de uma competição em nível mundial e a ser o detentor de um recorde nacional em um esporte olímpico.[4]

Barshim ganhou o Campeonato Árabe de Atletismo para juniores em Cairo em Maio, alcançado um recorde pessoal em pista aberta de 2,23 m, e então assegurar o título continental júnior no Campeonato Asiático de Atletismo Júnior de 2010. A sua marca nesse campeonato (2,31 metros) foi um recorde nacional e o melhor índice da temporada para júniores[5] - também foi o melhor salto feito por um júnior desde o salto de 2,32 metros de Huang Haiqiang, em 2006.[6] Pouco depois, ele ganhou o Campeonato Mundial Júnior de Atletismo de 2010 em Moncton, com uma altura de 2,30 m.[7]

Foi medalha de ouro no Campeonato Asiático de Atletismo em Kōbe depois de conseguir uma altura de 2,35 metros, um novo recorde nacional e do campeonato.[8] Ele continuou com sua boa forma e conquistou o ouro nos Jogos Mundiais Militares no Rio de Janeiro, Brasil, com uma marca de 2,28 metros.[9] Ele fez sua estréia em um competição mundial adulto no Campeonato Mundial de Atletismo de 2011, em Daegu, chegando a final, perdendo a medalha no desempate e terminando em sétimo lugar no ranking geral. Ele ainda ganhou a medalha de ouro do Campeonato do Conselho do Golfo e do Campeonato Árabe antes de encerrar o ano com outra medalha de ouro internacional nos Jogos Pan-Arábicos, em Doha.[10]

No Campeonato Asiático de 2012 em Pista Coberta, em Hangzhou, na China, em 19 de fevereiro de 2012, Barshim ganhou a medalha de ouro, estabelecendo uma nova marca pessoal (e nacional) de 2,37 metros, quebrando também o recorde do campeonato, que era de 2,34 metros; foi também a melhor marca da temporada, para pista coberta.[11]

No Campeonato Mundial de Atletismo de 2013 realizado em Moscou, ficou com a medalha de prata, saltando a marca de 2,38m.[12]

Em 5 de junho de 2014 atingiu 2,41m em Roma. Mais tarde, em Nova Iorque, saltou 2,42m. Durante a etapa de Bruxelas da Diamond League melhorou novamente a sua marca pessoal, saltando 2,43m, ficando a apenas 2cm do recorde mundial do salto em altura. Com estes 2,43m fixou o recorde asiático, que já lhe pertencia.

Suas maiores conquistas vieram nos anos e campeonatos mundiais seguintes, Londres 2017 e Doha 2019, quando se tornou bicampeão mundial, o segundo deles em frente a seu povo no Khalifa International Stadium, na capital do Catar.[13] [14] Um tricampeonato foi conseguido quando venceu novamente em Eugene 2022, com a marca de 2,37 m.[15] No Mundial de Budapeste 2023 ficou com a medalha de bronze, vendo seu amigo, adversário e co-campeão olímpico de Tóquio 2020, Gianmarco Tamberi, ser campeão mundial ao ar livre pela primeira vez.

Barshim é treinado pelo técnico polonês Stanislaw "Stanly" Szczyrba desde 2009, quando ainda era um juvenil, e por toda sua carreira.[16]

Jogos Olímpicos[editar | editar código-fonte]

Londres 2012[editar | editar código-fonte]

Em sua primeira Olimpíada, Bashim conquistou a medalha de bronze empatado com Derek Drouin, do Canadá, e Robert Grabarz, da Grã-Bretanha, com um salto de 2,29 m.[17] Posteriormente, o vencedor da prova, Ivan Ukhov, da Rússia, teve sua medalha de ouro confiscada por problemas de doping. Em 2021 as medalhas foram realocadas pelo COI e Bashim recebeu a medalha de prata. [18]

Rio 2016[editar | editar código-fonte]

No Rio de Janeiro Barshim conquistou a medalha de prata com um salto de 2,36 m, a segunda medalha de prata olímpica da história do Qatar.[19]

Tóquio 2020[editar | editar código-fonte]

Pouco antes da Rio 2016, o saltador italiano Gianmarco Tamberi, adversário e amigo de Barshim, fraturou o tornozelo ficando impossibilitado de competir no Rio de Janeiro. A contusão faz o atleta entrar em depressão, acreditando que não mais poderia saltar. Foi ajudado psicologicamente no processo de recuperação por Barshim, e os dois viveriam um momento inusitado cinco anos depois, em outra Olimpíada.[20]

Em Tóquio 2020, os Jogos Olímpicos realizados em 2021 por causa da pandemia de Covid-19, Barshim e Tamberi voltariam a se encontrar numa decisão. Os dois foram os únicos saltadores que sobraram na prova após a altura de 2,37 m e ambos falharam em saltar 2,39 m;[21] os dois atletas estavam empatados, pois todos os saltos anteriores tinham sido iguais, com as alturas transpostas com o mesmo número de tentativas. As regras tradicionais do salto em altura impediam que houvesse um empate pela medalha de ouro, sendo os atletas obrigados a um desempate começando pela altura imediatamente abaixo da falhada, até que um deles conseguisse ultrapassar. Entretanto, um novo adendo na regra que entrou em vigor em 2020, possibilitava aos atletas nesta condição que, ao invés de saltos de desempate, eles concordassem em dividir a medalha se desejassem. Barshim e Tamberi desistiram de tentar um desempate e dividiram a medalha de ouro, sendo os dois considerados campeões olímpicos e recebendo cada um uma medalha de ouro, a primeira vez que isto aconteceu em 109 anos nos Jogos Olímpicos.[22]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Tilastopaja. «Mutaz Essa Barshim» (em inglês) 
  2. IAAF. «Singh takes Shot Put gold for India – Asian Indoor champs day 2» (em inglês) 
  3. IAAF. «2010 IAAF World Indoor Championships – Men's High Jump» (PDF) (em inglês) 
  4. ASPIRE. «ASPIRE Proud Sponsor of the Toulon International Youth Football Festival» (PDF) (em inglês) 
  5. IAAF. «Barshim scales 2.31m in Hanoi – Asian junior championships» (em inglês) 
  6. IAAF. «High Jump junior 2006» (em inglês) 
  7. IAAF. «High Jump junior 2006» (em inglês) 
  8. (em inglês). IAAF http://www.iaaf.org/news/newsid=60806.html  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  9. IAAF. «Strong showing by Kenya at the World Military Games in Rio de Janeiro.» (em inglês) 
  10. IAAF. «Qatar's young guns shine in Doha – Arab Games report» (em inglês) 
  11. «Press Release, Final Results, Asian Athletics Association» (em inglês) 
  12. «results». IAAF. Consultado em 19 de agosto de 2013 
  13. «HIGH JUMP MEN IAAF WORLD CHAMPIONSHIPS LONDON 2017». IAAF. Consultado em 14 de agosto de 2017 
  14. «REPORT: MEN'S HIGH JUMP - IAAF WORLD ATHLETICS CHAMPIONSHIPS DOHA 2019». IAAF. Consultado em 4 outubro 2019 
  15. «HIGH JUMP MEN». World Athletics. Consultado em 22 julho 2022 
  16. «BARSHIM CONSOLIDATES HIS STATUS AS QATAR'S GREATEST SPORTING HERO». IAAF. Consultado em 5 outubro 2019 
  17. «Men High Jump Athletics XXX Olympic Games London 2012». Todor66. Consultado em 9 agosto 2021 
  18. «LONDON 2012 ATHLETICS HIGH JUMP MEN RESULTS». olympics.com. Consultado em 9 agosto 2021 
  19. «Mutaz Barshim wins first silver Olympic medal in Qatar's history». Doha News. Consultado em 14 de agosto de 2017 
  20. «Lesão, ouro compartilhado e comemoração com gesso: a jornada de Gianmarco Tamberi para a glória». Lance. Consultado em 9 agosto 2021 
  21. «Men High Jump Athletics XXII Olympic Games Tokyo, Japan 2020». Todor66. Consultado em 9 agosto 2021 
  22. «Decisão de amigos de dividir ouro no salto em altura foi uma vergonha histórica». Folha de S. Paulo. Consultado em 9 agosto 2021