Mylène Farmer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde outubro de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Mylène Farmer
Mylene Farmer em 2012
Informação geral
Nome completo Mylène Jeanne Gautier
Nascimento 12 de setembro de 1961 (56 anos)
Origem Montreal  Canadá
País  França
Gênero(s) pop, dance, europop
Instrumento(s) vocal
Período em atividade 1984-atualmente
Gravadora(s) Polydor

Mylène Farmer (Montreal, 12 de Setembro de 1961), cujo nome verdadeiro é Mylène Jeanne Gautier, é uma cantora, compositora e atriz francesa, de origem canadense.

Tendo vendido mais de 30 milhões de cópias, é a artista musical de maior sucesso em todos os tempos no território francês. Mudou-se para França terra natal dos seus pais, aos oito anos de idade. O seu apelido artístico, Farmer, foi adotado em homenagem a atriz de cinema Frances Farmer. Em sua adolescência, passa três anos no cours Florent e participa em alguns castings para modelo e manequim fotográfico.

Enigmática, misteriosa e muitas vezes alvo da crítica da imprensa pelo seu silêncio promocional, Mylène Farmer é a maior e mais bem sucedida cantora francesa dos últimos anos.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Anos 1980[editar | editar código-fonte]

Em 1983 Mylène Farmer encontra Laurent Boutonnat. Ele será durante anos seu produtor, compositor e realizador de videoclips. Em 1984 será ele o impulsionador para que Mylène Farmer dê voz à música "Maman a tort", a sua primeira canção com letras de Laurent Boutonnat. Contudo é em 1986 com o primeiro álbum "Cendres de Lune" e com a música "Libertine" escrita por Mylène Farmer que a rampa de lançamento para o seu estrondoso sucesso fica lançada. Acompanhado de um videoclip inédito para a altura, como que uma curta metragem realizada por Laurent Boutonnat, teve continuidade com a música "Pourvu qu'elles soient douces".

Em 1988 sai o seu segundo álbum "Ainsi soit je...", que é distinguido com o disco de diamante pelas 1.800.000 cópias vendidas, de onde é proveniente a música "Sans contrefaçon" e "Pourvu qu'elles soient douces". É com este videoclip que o público se rende ao universo de Mylène Farmer e as vendas chegam a ser de 15.000 exemplares por dia útil em Dezembro de 1988. Foi graças a esta música que, nesse mesmo ano, Mylène Farmer ganhou um prémio na cerimónia Victoires de la musique.

De seguida Mylène Farmer ingressa na sua primeira digressão de nome "En Concert", de onde é proveniente o álbum "En Concert" editado em 1989 com 2 CDs. A realização dos fatos para o concerto ficou a cargo de Thierry Mugler.

Anos 1990[editar | editar código-fonte]

Em Março de 1991 sai o single "Désenchantée" que por si só vende cerca de 1.800.000 exemplares. Esta música faz parte do seu terceiro álbum de originais "L'Autre..." (2.200.000 cópias vendidas).

A pedido de Mylène Farmer, Luc Besson realizou o videoclip de "Que mon coeur lâche", uma música inédita que serviu para publicitar o seu primeiro álbum de compilações "Dance Remixes" de 1992.

Em 1993 Mylène Farmer participa no que será o seu primeiro e até hoje único filme "Giorgino", sob a direcção de Laurent Boutonnat. "Giorgino" estreou em Outubro de 1994. Após "Giorgino" Mylène Farmer faz uma pausa prolongada na sua carreira e retira-se para a Califórnia. Ela muda de imagem e encontra-se, reflexo disso é o seu álbum seguinte.

"Anamorphosée" sai em Outubro de 1995 é um álbum que apresenta uma Mylène Farmer mais vivaz e sedutora. As fotografias de apresentação da nova imagem e do álbum ficaram a cargo de Herb Ritts. De seguida Mylène Farmer anuncia a sua segunda digressão, de onde é proveniente o álbum "Live à Bercy". Para estes concertos a artista confiou em Paco Rabanne para a criação dos fatos.

Em Março de 1999 Mylène Farmer retoma de novo a sua carreira, após uma estadia em Los Angeles, e lança a música "L'Âme-stram-gram" com um videoclip filmado na China pelo realizador Ching Siu Tung. O seu quinto álbum "Innamoramento" sai no fim de 1999, e é com a música "Je te rends ton amour", realizada por François Hanss, que Mylène Farmer se vê a braços com a censura do seu videoclip nos canais de televisão que se recusam a passá-lo.

Anos 2000[editar | editar código-fonte]

Mais uma vez Mylène Farmer entra em digressão com "Mylenium Tour" por França, Bélgica, Suíça e Rússia. Esta digressão deu origem ao CD duplo "Mylenium Tour", editado também em VHS e DVD. Um espetáculo sem precedentes e arrebatador, onde p foco central da decoração era uma enorme estátua inspirada num desenho de H.R.Giger.

Em 2001 é editado o primeiro Best-of de Mylène Farmer, "Les Mots" que é lançado com um dueto com Seal, música que confere o nome ao álbum. Outra música deste álbum a ser explorada foi "C'est une belle journée" que teve direito a um videoclip feito com desenhos da própria Mylène Farmer. Algum tempo mais tarde sai também o videoclip da música "Pardonne-moi", desta vez realizado por Laurent Boutonnat. É neste ano que Mylène Farmer recebe na cerimónia dos NRJ Music Awards, pela terceira vez, o prémio para a Melhor artista francófona do ano de 2001.

No início de 2003 Mylène Farmer recebe pela quarta vez consecutiva o prémio para a Melhor Artista Francófona na cerimónia dos NRJ Music Awards. Por este feito ela entra para o Guinness. Neste mesmo ano lança o seu primeiro livro escrito, um conto "Lisa-Loup et le conteur", acompanhado de ilustrações feitas pela própria artista. É também editado um novo álbum "Remixes", que conta com a remistura dos títulos mais populares da cantora.

Em 2005 é lançado o álbum "Avant que l'ombre..." que é precedido pelo single "Fuck Them All" com o videoclip realizado por Agustin Villaronga. Deste álbum foram também lançados em single as músicas "Q.I.", "Redonne-moi", "L'Amour n'est rien..." e "Peut-être toi".

Em Janeiro de 2006 Mylène Farmer deu treze concertos no Palais Omnisports de Paris em Bercy, "Avant que l'ombre... a Bercy". Treze datas completamente esgotadas quase com um ano de antecedência, um espetáculo com tecnologia inédita e não transportável visto por 170.000 espectadores, montada pelo estúdio de Mark Fisher, com um palco principal gigantesco e uma cruz (palco secundário) no meio do recinto. Franck Sorbier foi o criador dos fatos para estes concertos. No dia 21 de Janeiro de 2006 Mylène Farmer recebe o prémio de Melhor Álbum Francófono do Ano pelo seu álbum "Avant que l'ombre..." aquando da cerimónia dos NRJ Music Awards.

No final de Setembro de 2006, começou a rodar nas rádios o novo dueto de Mylène Farmer, desta vez com o conhecido Moby : um remake do single "Slipping Away", que rápidamente chegou aos tops da Europa.

Novidades em 2008, com o lançamento do primeiro single "Dégénération" do álbum "Point de Suture" com saída prevista em Agosto de 2008.

Em Abril de 2010, saiu um novo single "Paradis Inanimé", que deu um grande sucesso. Nesse mesmo ano a cantora decidiu lançar um single inédito "Oui mais non" que alcançou o topo das paradas francesas e belgas, seu oitavo album titulado "Bleu noir" alcançou o status de Diamante somente trés meses após o lançamento.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns[editar | editar código-fonte]

Álbuns de concertos[editar | editar código-fonte]

Compilações[editar | editar código-fonte]

Compactos[editar | editar código-fonte]

(Canções com vídeo musical realizado por Laurent Boutonnat, excepto quando mencionado em contrário.)

Participação em bandas sonoras[editar | editar código-fonte]

  • Filme: Pédale douce com a música: Sans contrefaçon
  • Filme: Les Razmokets à Paris (Rugrats em Paris) com a música: L'histoire d'une fée, c'est...
  • Filme: Jacquou le Croquant de Laurent Boutonnat com a música Devant Soi

Participação em filmes de animação[editar | editar código-fonte]

Videografia[editar | editar código-fonte]

DVD[editar | editar código-fonte]

VHS[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Troféus[editar | editar código-fonte]

  • World Music Awards:
    • Melhores Vendas Francesas (1993)
  • Victoires de la musique:
    • Victoire da cantora francófona (1988)
    • Victoire do álbum francófono mais exportado (Anamorphosée) (1997)
    • Victoire da melhor cantora dos últimos 20 anos (2005)
  • M6 Awards:
    • Melhor Videoclip (2000)
  • NRJ Music Awards:
    • Melhor Concerto (2000)
    • Melhor Álbum Francófono (2000)
    • Melhor Artista Feminina Francófona (2000)
    • Melhor Artista Feminina Francófona (2001)
    • Melhor Artista Feminina Francófona (2002)
    • Melhor Artista Feminina Francófona (2003)
    • Melhor Álbum Francófono (2006)
    • Melhor Álbum Francófono (2009)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Mylène Farmer