O Amigo da Onça

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Amigo da Onça é um personagem de cartoons e histórias em quadrinhos criado por Péricles de Andrade Maranhão (14 de agosto de 1924 - 31 de dezembro de 1961) e publicado em um cartoon pela primeira vez na revista O Cruzeiro em 23 de outubro de 1943.

Satírico, irônico e crítico, o Amigo da Onça aparece em diversas ocasiões desmascarando seus interlocutores ou colocando-os nas mais embaraçosas situações.

Em 1989, foi publicado na revista Semanário com roteiros de Jal e arte de Octavio Cariello.[1]


Na década de 1990, estrelou com 420 tiras produzidas por por Jal (roteiros) e Sergio Morettini (desenhos)[2].


A criação[editar | editar código-fonte]

O famoso personagem foi criado pelo cartunista pernambucano Péricles de Andrade Maranhão, em 1943, a pedido de Leão Gondim, editor da revista O Cruzeiro, inspirado nos cartoons Enemies of Man da revista americana Esquire e El enemigo del Hombre, personagem criado por Guillermo Divito para a revista argentina Patoruzú.[3][4]


Foi publicado de 23 de outubro de 1943 a 3 de fevereiro de 1962. Os diretores da revista O Cruzeiro queriam criar um personagem fixo e já tinham até o nome, adaptado de uma famosa anedota.[5]

Dois caçadores conversam em seu acampamento:

— O que você faria se estivesse agora na selva e uma onça aparecesse na sua frente?

— Ora, dava um tiro nela.

— Mas se você não tivesse nenhuma arma de fogo?

— Bom, então eu matava ela com meu facão.

— E se você estivesse sem o facão?

— Apanhava um pedaço de pau.

— E se não tivesse nenhum pedaço de pau?

— Subiria na árvore mais próxima!

— E se não tivesse nenhuma árvore?

— Sairia correndo.

— E se você estivesse paralisado pelo medo?

Então, o outro, já irritado, retruca:

— Mas, afinal, você é meu amigo ou amigo da onça?

Após a morte do autor, em 1962, o personagem continuou sendo publicado, desenhado pelo ilustrador Getulio Delphim (durante dois anos) - amigo e parceiro de Péricles na produção de outros personagens (Oliveira, o Trapalhão e Laurindo Capoeira) que não chegou a ser lançado devido à morte de Péricles. Péricles era muito ciumento com seu personagem, por isso Getúlio assinava "Equipe de "O Cruzeiro". Após esses dois anos, o cartunista Carlos Estevão desenhou o personagem até 1972.[6]

Expressão popular[editar | editar código-fonte]

Amigo da onça também é uma expressão popular, originada deste personagem de quadrinhos (ou banda desenhada). Usa-se essa expressão para definir a pessoa que diz ser amiga de outra mas que constantemente coloca essa outra em situação constrangedora ou vexatória.


Outras mídias[editar | editar código-fonte]

Teatro

Em 1988, ganha uma peça de teatro escrita por Chico Caruso com colaboração de Nani e estrelada por Paulo Betti e Grace Gianoukas.[1][7]

Filmes

Em 2005, foi lançado o curta-metragem A Última do Amigo da Onça, o curta é inspirado em uma história em quadrinhos produzida por Ofeliano de Almeida, que também produziu storyboards para o filme, a trama apresenta um fictício encontro entre Péricles (Osvaldo Mil) e sua criação (Fábio Lago),[8] em 2006, o ator Fábio Lago foi premiado como melhor ator na 33ª Jornada Internacional de Cinema da Bahia,[9] e no Festival Primeiro Plano em Juiz de Fora,[10] no mesmo ano, Ofeliano de Almeida como melhor argumento no Festival Guarnicê de Cinema.[11]

Animação

Em 2011, o Estúdio Saci elaborou um projeto de uma série de curtas de animação 3D[12]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]