O Cheiro do Ralo (filme)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
O Cheiro do Ralo
 Brasil
2007 •  cor •  112 min 
Direção Heitor Dhalia
Produção executiva Matias Mariani
Marcelo Doria
Rodrigo Teixeira.
Roteiro Lourenço Mutarelli
Heitor Dhalia
Elenco Selton Mello
Sílvia Lourenço
Paula Braun
Alice Braga
Género drama
Direção de fotografia José Roberto Eliezer
Direção de arte Guta Carvalho
Figurino Tica Bertani
Patricia Zuffa
Edição Pedro Becker
Jair Peres
Companhia(s) produtora(s) Branca Filmes
Geração Conteúdo
Tristero Filmes
Lançamento 23 de março de 2007[1]
Idioma português
Orçamento R$ 315 mil
Site oficial
Página no IMDb (em inglês)

O Cheiro do Ralo é um filme de drama brasileiro de longa-metragem de lançado em 23 de março de 2007. Baseado no livro de mesmo título de Lourenço Mutarelli, foi roteirizado por Marçal Aquino e Heitor Dhalia e dirigido por Heitor Dhalia.

Protagonizado por Selton Mello, tem participações de Sílvia Lourenço, Paula Braun e Alice Braga.

Produção[editar | editar código-fonte]

Orçado originalmente em R$ 2,5 milhões, foi realizado com apenas R$ 315 mil, reunidos entre sócios privados e pelos produtores executivos. O longa participou do Festival do Rio 2006 - nas categorias de melhor ator (Selton Mello, dividindo o prêmio com Sidney Santiago), prêmio especial do júri e da FIPRESCI (oferecido pela imprensa internacional) - da 30ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo - Prêmio de Melhor Filme (Júri Oficial e Crítica) e Menção Honrosa do Júri Oficial para todo o elenco -, do 2007 Sundance Filme Festival (onde foi elogiado pela crítica americana), do 4º Festival de Cinema de Campo Grande (Melhor Filme Nacional) e do 10º Festival de Cinema de Punta Del Leste ( Melhor Ator – Selton Mello).

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Ambientado em São Paulo, O Cheiro do Ralo narra a história de Lourenço (Selton Mello), dono de uma loja que compra objetos usados de pessoas que passam por dificuldades financeiras. Dada a natureza de seu negócio - a aquisição sempre pelo menor preço possível -, Lourenço acaba por desenvolver um jogo perverso com seus clientes. Aos poucos, esse personagem substitui, em seu relacionamento com os clientes, a frieza pelo prazer que sente ao explorá-los em um momento de aflição financeira. Perturbado pelo simbólico e fedorento cheiro do ralo que existe na loja, Lourenço é colocado em confronto com o universo e os personagens que julgava controlar. Isso o obriga a uma reavaliação de sua visão de mundo e o conduz, de forma inexorável, para um trágico desfecho. De certo modo, sua coleção de tipos se rebela e se volta contra ele. Na loja, Lourenço acaba sendo confrontado pelos personagens que julgava controlar.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Festival Internacional de Cinema do Rio de Janeiro

  • Melhor Filme pela Crítica International, Prêmio Especial do Júri e Melhor Ator (Selton Mello)

Mostra Internacional BR de Cinema de São Paulo

  • Prêmio Bandeira Paulista de Melhor Filme, Prêmio da Crítica e Menção Honrosa ao Elenco.

Beverly Hills Film Festival – EUA

  • Melhor Filme Estrangeiro

Referências

  1. «De rejeitado a queridinho: 'O cheiro do ralo' estréia nos cinemas». G1. 23 de março de 2007. Consultado em 10 de junho de 2016