Lourenço Mutarelli

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Lourenço Mutarelli
Nascimento 18 de abril de 1964 (57 anos)
São Paulo, Brasil.
Prémios Prémio PT de Literatura (3.º lugar)
Género literário Romance, conto, histórias em quadrinhos, poesia
Magnum opus O Cheiro do Ralo

Lourenço Mutarelli (São Paulo, 18 de abril de 1964) é escritor, ator, professor, dramaturgo e autor de histórias em quadrinhos brasileiro. [1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Mutarelli, forçado pelo seu pai[2], cursou a Faculdade de Belas Artes. Durante três anos, trabalhou na Maurício de Sousa Produções, no começo como intervalador e depois como cenarista.

Entusiasmado pelo grande número de revistas que surgiram na década de 1980, tentou publicar suas histórias sem sucesso - foram consideradas muito "estranhas". Também fez humor criando o personagem "Cãozinho sem pernas" que ainda hoje, é lembrado com saudade por seus leitores. Iniciou sua produção em histórias em quadrinhos por meio dos fanzines, distribuídos pelo próprio autor. Seus dois títulos, Over-12 (1988) e Solúvel (1989) tiveram 500 exemplares impressos pela extinta Editora Pro-C, de Francisco Marcatti, importante nome nos quadrinhos underground na década de 80, e hoje são raridades muito bem conservadas.

Publicou ainda tirinhas e histórias de uma página na revista Animal – publicação mensal sob a editoração de Rogério de Campos, Fabio Zimbres, Priscila Farias e Newton Foot que publicava, entre materiais nacionais, um leque de autores europeus – e em outros títulos da Editora Vidente – de Gilberto Firmino. Com Marcatti e Glauco Mattoso editou dois números da revista "Tralha", também publicada pela Vidente.[3]

Recebeu vários prêmios e é aclamado por sua participação no cinema e no teatro. Criador da arte do filme Nina, dirigido por Heitor Dhalia, autor do romance O Cheiro do Ralo, adaptado para o cinema, dirigido por Heitor Dhalia e estrelado por Selton Mello. O protagonista, que tem o nome velado no romance, no cinema recebe a alcunha do autor do livro.

Seu romance O Natimorto foi adaptado para o teatro pelo dramaturgo Mário Bortolotto e ganhou as telas em 2011 com Mutarelli no elenco.[4]

A maior parte de suas publicações aconteceram por intermédio da Devir Editora e pela Companhia das Letras. Compartilhou seu cotidiano no seu blog (durante 2007) e na revista Piauí Nº 35 em uma matéria desenhada.

Depressão e Síndrome do Pânico[editar | editar código-fonte]

Em um aniversário de Mutarelli, duas de suas amigas organizaram um sequestro forjado que o levaria para a sua festa surpresa. Cada uma escolheu um amigo com "fisionomias de bandido" e, quando elas foram busca-lo na casa de sua mãe, Sandra Mutarelli, para leva-lo para a festa surpresa, os dois homens abordaram os três. Segundo Mutarelli, no documentário de alunos da USP-ECA Tarja Preta, os "sequestradores" andaram com ele dentro do carro por meia hora, ameaçando estupra-lo e mata-lo. A "brincadeira" desencadeou uma crise de depressão com sérias crises de pânico, por aproximadamente dois anos. O episódio deu origem ao álbum Réquiem, de 1991.[2]

Em entrevista para Fabrício Carpinejar, no programa da Gazeta, A Máquina, Mutarelli relata que tinha, em média, quinze ataques de pânico por dia. Sua situação o impossibilitava de sair de casa, fazendo com que ele passasse três meses em posição fetal na sala da casa. O sufoco que o desenhista sentia em sua garganta fez com que sua possibilidade de alimentação fosse reduzida à gelatina e caqui - alimentos que descem facilmente pela garganta. Mutarelli encontrou no desenhou uma forma de terapia e em 1991, lançou o álbum Transubstanciação. O escritor Glauco Mattoso, seu companheiro, teve um papel fundamental nessa época de sua vida.

Romances[editar | editar código-fonte]

Obra Editora Data de publicação
O Cheiro do Ralo Devir e Companhia das Letras 2002 / 2011
O Natimorto DBA e Companhia das Letras 2004 / 2009
Jesus Kid Devir 2004
A Arte de Produzir Efeito Sem Causa Companhia das Letras 2008
Miguel e os Demônios Companhia das Letras 2009
Nada Me Faltará Companhia das Letras 2010
O Grifo de Abdera Companhia das Letras 2015
O Filho Mais Velho de Deus e/ou Livro IV Companhia das Letras 2018

Peças[editar | editar código-fonte]

  • O Teatro de Sombras - Coletânea de 5 peças de teatro. (2007) (Devir Editora)

Quadrinhos e livros ilustrados[editar | editar código-fonte]

Obra Editora Data de publicação
Over-12 Pro-C Setembro de 1988
Rattu VHD Diffusion (revista Animal, 4ª edição) 1988
O Cãozinho Sem Pernas VHD Diffusion (revista Animal, 5ª edição) 1989
Solúvel Pro-C Fevereiro de 1989
Champion Vidente (revista Porrada!, 5ª edição) Agosto de 1990
Aquela Velha História Vidente (revista Porrada!, 7ª edição) 1990
Impublicáveis Pro-C 1990
A História de João Vidente (revista Porrada!, 8ª edição) Dezembro de 1990
O Cãozinho Sem Pernas Vidente (revista Abobrinha Selvagem) 1990
História em 1 Quadrinho Dealer (revista Mil Perigos, 3ª edição) 1991
Por que Sinto Tanto Prazer com a Dor? Dealer (revista Mil Perigos, 4ª edição) 1991
Transubstanciação Devir 1991
O Nada Asteróide (revista Superalmanaque Astronauta, 2ª edição) 1992
Desgraçados Vidente 1993
Eu Te Amo Lucimar Vortex 1994
O Nada Circo (revista Lúcifer, 1ª edição) Novembro de 1994
Resignação Comix Club (revista Brazilian Heavy Metal) Novembro de 1996
A Confluência da Forquilha Lilás 1997
Seqüelas Devir 1998
Requiem Opera Graphica (revista miniTONTO, 8ª edição) 1998
O Dobro de Cinco Devir 1999
Vozes Independente (minirrevista brinde da loja da Candyland) 2000
O Rei do Ponto Devir Novembro de 2000
Transubstanciação Devir Abril de 2001
A Soma de Tudo (Parte 1) Devir Novembro de 2001
A Soma de Tudo (Parte 2) Devir 2002
Destrudo Via Lettera (revista Front, 11ª edição) Setembro de 2002
Eu Acordava Chorando (apenas ilustrações) Panini (revista Wizard Brasil, 6ª edição) Março de 2004
Mundo Pet (coleção de histórias) Devir Setembro de 2004
A Caixa de Areia ou Eu Era Dois em Meu Quintal Devir 2006
O Astronauta - Ou Livre Associação de um Homem no Espaço Zarabatana Books 2010
Quando Meu Pai se Encontrou com o ET Fazia um Dia Quente Companhia das Letras 5 de dezembro de 2011
Cidades Ilustradas Casa 21 (13º volume) 15 de maio de 2012
Diomedes: A Trilogia do Acidente (coleção de histórias) Companhia das Letras 28 de junho de 2012
Sketchbooks Independente (financiamento via Catarse) Outubro de 2012
Ciclanos & Ciclanas Independente (financiamento via Catarse) Julho de 2015
13 (apenas ilustrações) Mino (livro O Diabo e Eu) 1 de junho de 2016
Capa Preta (coleção de histórias) Comix Zone 16 de dezembro de 2019
Mundo Pet (coleção de histórias) Comix Zone 26 de outubro de 2020

Web Séries[editar | editar código-fonte]


Filmografia[editar | editar código-fonte]

2006 O Cheiro do Ralo Segurança
2007 Antônio pode (curta-metragem) Antônio
2008 Cidade do Tesouro (curta-metragem) Ivan
2009 Natimorto Agente
2009 É Proibido Fumar Corretor
2009 Para Aceitá-la, Continue na Linha (telefilme) Delegado
2010 Bartô (curta-metragem) Antenor Saraiva
2011 Descompasso (curta-metragem) Alberto
2012 Chamada a Cobrar Delegado
2014 Quando Eu Era Vivo Donato
2014 O Diabo Era Mais Embaixo Diabo
2015 Que Horas Ela Volta? Carlos

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Assis, Diego (Março de 2007). «Lourenço Mutarelli:o homem que aprendeu avoar». Rolling Stone Brasil. Spring. Consultado em 22 de Janeiro de 2016 
  2. a b Documentário Tarja Preta - Lourenço Mutarelli de Ceres Prado, Denise Galvani, Gabriel Bueno, Maria Alice Stock, Nelson Lin e Rafael Sampaio. Orientador: prof Renato Levi.
  3. Assis, Diego (março de 2007). «Lourenço Mutarelli, o homem que aprendeu a voar». Rolling Stone. IG. Consultado em 17 de dezembro de 2016 
  4. Tomazzoni, Marco (28 de abril de 2011). «Lourenço Mutarelli se afirma como ator em "Natimorto"». Ultimo Segundo. IG. Consultado em 22 de Janeiro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre autor ou ilustrador de banda desenhada é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.