Paulo Caruso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta biografia de uma pessoa viva não cita as suas fontes ou referências, o que compromete sua credibilidade. (desde dezembro de 2014)
Ajude a melhorar este artigo providenciando fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: Se procura o ator, veja Paulo Caruso (ator).
Paulo Caruso
Paulo Caruso no Roda Viva.
Informação geral
Nome completo Paulo José Hespanha Caruso
Nascimento 6 de dezembro de 1949 (66 anos)
São Paulo, São Paulo
Outras ocupações Músico, compositor, cantor

Paulo Caruso (São Paulo, 6 de dezembro de 1949) é um chargista e cartunista brasileiro. Trabalhou por muitos anos na revista ISTOÉ, onde assinava a charge da semana com o título Avenida Brasil, que tratava principalmente de aspectos da política brasileira. Atualmente publica suas charges na revista Época e desenha no programa Roda Viva, na TV Cultura. Tem também um trabalho importante com Histórias em Quadrinhos e como músico, através da banda Conjunto Nacional.

É irmão gêmeo de Chico Caruso e tio de Fernando Caruso.Paulo Caruso foi importante.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Biografia

Paulo José de Hespanha Caruso (São Paulo SP 1949). Caricaturista, ilustrador, chargista e músico. Paulo Caruso, irmão gêmeo do também caricaturista Chico Caruso (1949), forma-se, em 1976, em arquitetura pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo - FAU/USP, porém, não segue a carreira. No final da década de 1960, inicia-se como chargistas no Diário Popular. Nos anos 1970, colabora com O Pasquim, ao lado de Millôr Fernandes (1923), Jaguar (1932) e Ziraldo (1932). Em 1981, com Alex Solnik, inaugura a página de humor Bar Brasil, na revista Careta, e que tem continuação, nos anos seguintes, na revista Senhor. A partir 1988, publica na revista Isto É, a coluna de humor Avenida Brasil. Em ambas as colunas, Caruso faz circular caricaturas de personalidades brasileiras das décadas de 1980 e 1990, sintetizando com sátira e humor vários momentos da história política do país. Paralelamente ao desenho, dedica-se à composição musical e à produção de espetáculos de música e de teatro. Em 1985, por ocasião do Salão Internacional de Humor de Piracicaba, forma a banda Muda Brasil Tancredo Jazz Band, com participações do irmão, de Cláudio Paiva, de Aroeira, de Luis Fernando Veríssimo (1936), entre outros. Nos shows, a banda interpreta músicas de cunho humorístico e com sátira política. Em 1998, lança o CD Pra seu Governo, que traz músicas próprias e conta com as parcerias do irmão, no vocal, e de Luis Fernando Veríssimo, no sax. Entre os livros que publica, destacam-se: As Origens do Capitão Bandeira, 1983; Ecos do Ipiranga, 1984; Bar Brasil, 1985 e São Paulo por Paulo Caruso - Um Olhar Bem-Humorado sobre esta Cidade, 2004.

Por L.S.O= Lucas Saldanha Olopes

Publicações[editar | editar código-fonte]

  • As Origens do Capitão Bandeira (1983)
  • Ecos do Ipiranga (1984)
  • Bar Brasil (com a colaboração do jornalista Alex Solnik, 1985)
  • As Mil e Uma Noites (1985)
  • Bar Brasil na Nova República
  • Avenida Brasil - "A Transição Pela Via das Dúvidas"
  • Avenida Brasil - "A Sucessão está nas Ruas"
  • Avenida Brasil - "O Bonde da História"
  • Avenida Brasil - "Assim Caminha a Humanidade"
  • Avenida Brasil - "Se Meu Fusca Falasse"
  • Avenida Brasil - "O Circo do Poder"
  • Avenida Brasil - "Conjunto Nacional"
  • Avenida Brasil - "Se meu Rolls-Royce Falasse"
  • Avenida Brasil - "Enfim um País Sério"
  • São Paulo por Paulo Caruso (2004)
  • Desenhando Longe - a Copa de 94 (2015)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre autor ou ilustrador de banda desenhada é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.