Diário de S. Paulo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Diário de São Paulo)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura o extinto jornal "Diário de São Paulo" lançado em 1929, veja Diários Associados.
Diário de S. Paulo
Capa do Diário de S Paulo.jpg
Capa da última edição, publicada em 23 de janeiro de 2018.
Periodicidade Diária
Formato Tabloide
Sede São Paulo, SP
País Brasil
Fundação 8 de novembro de 1884
Fundador(es) José Maria Lisboa
Américo de Campos
Pertence a Cereja Comunicação Digital
Idioma Português
Término de publicação 23 de janeiro de 2018

Diário de S. Paulo foi um jornal brasileiro publicado na cidade de São Paulo entre 1884 e 2018, que até 2001 chamou-se Diário Popular.

História[editar | editar código-fonte]

Sua primeira edição saiu em 8 de novembro de 1884, com o nome de Diário Popular, editada por José Maria Lisboa e Américo de Campos. Caracterizava-se por ser um jornal de pequenos anúncios para pequenos negócios. Tinha, por isso, uma tiragem razoável e, consequentemente, uma situação financeira sólida. O vespertino vinculado ao Diário Popular, chamado Popular da Tarde e especializado em esportes, circulou entre dezembro de 1968 e novembro de 1988.

Em 1988, Rodrigo Lisboa Soares, bisneto de José Maria Lisboa, o fundador, vendeu o jornal ao grupo empresarial do político Orestes Quércia. Em 2001, foi adquirido pela Infoglobo, empresa das Organizações Globo, proprietária também dos jornais O Globo e Extra. O grupo queria um jornal na região de São Paulo e mudou o título do veículo para Diário de S. Paulo,[1] mesmo nome de jornais lançados, em 1865[2] e em 1929, este por Assis Chateaubriand e que pertencia aos Diários Associados. A Infoglobo apresentou uma nova linha editorial para o jornal, menos popular e policial.

Em 15 de outubro de 2009, o empresário J. Hawilla, proprietário da rede de jornais Bom Dia, da empresa de marketing esportivo Traffic e da TV TEM, adquiriu o jornal, assim como o parque gráfico, localizado em Osasco. Em 2 de setembro de 2013, a Traffic vendeu o controle acionário do jornal para o grupo Cereja Comunicação Digital.[3]

Após atravessar problemas financeiros e administrativos com a nova gestão, o jornal teve sua falência decretada pela 2.ª Vara de Falências de São Paulo, em 23 de janeiro de 2018.[4]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre meios de comunicação é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.