Américo de Campos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para o político, veja Américo Brasílio de Campos.
Município de Américo de Campos
Trevo

Trevo
Bandeira de Américo de Campos
Brasão de Américo de Campos
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 24 de junho
Fundação 25 de junho de 1927 (91 anos)
Gentílico américocampense
Lema Cidade vitoriosa de gente seleta e forte
Prefeito(a) Carlos Roberto Achilles (PPS)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Américo de Campos
Localização de Américo de Campos no/em São Paulo (ou não..)
Américo de Campos está localizado em: Brasil
Américo de Campos
Localização de Américo de Campos no Brasil
20° 17' 56" S 49° 43' 55" O20° 17' 56" S 49° 43' 55" O
Unidade federativa {{{1}}}
Mesorregião São José do Rio Preto IBGE/2008[1]
Microrregião Votuporanga IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Cosmorama, Palestina, Pontes Gestal e Álvares Florence
Distância até a capital 533 km
Características geográficas
Área 253,1 km² [2]
População 5 706 hab. Censo IBGE/2010[2]
Densidade 22,54 hab./km²
Altitude 471 m
Clima subtropical e extremamente quente Cfa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,774 elevado PNUD/2000[3]
PIB R$ 49 533 mil IBGE/2009[4]
PIB per capita R$ 9 025,66 IBGE/2009[4]

Américo de Campos é um município brasileiro do estado de São Paulo. Tem uma população de 5.706 habitantes (IBGE/2010).[2]Conhecida regionalmente por suas manifestações culturais como o carnaval de rua, festa do peão boiadeiro e a tradicional folia de reis.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1920, Manoel Francisco Tomaz e Henrique de Souza Lima, planejaram fundar um patrimônio nos sertões entre o rio Preto e o São José dos Dourados, recebendo do procurador de Escolástica Augusta de Vasconcelos, proprietária da Fazenda Águas Paradas, a doação de dez alqueires de terra para o Bispado de São Carlos, divididos em quarteirões, criando o povoado de Vila Botelho.

Outros colonizadores apoiaram o empreendimento, como João Batista de Souza Filho, Joaquim Manoel Serapião, Olegário Nogueira da Silva, Francisco Vilar Horta, João Batista da Silveira, Fungêncio de Andrade, Israel Francisco Tomaz, Francisco Goulart, Carlos Lauer e Guilherme Palhate, que se destacaram no desenvolvimento e administração do núcleo.

Em 1920 já estava construída a capela e o cruzeiro, iniciando-se também, as primeiras casas residenciais e comerciais, adotando o nome de São João das Águas Paradas.

Em 1926 criou-se o Distrito de Paz e em 1948, o Município, agora denominado Américo de Campos, em homenagem ao político e homem público paulista.

Formação Administrativa[editar | editar código-fonte]

Distrito criado com Denominação de Américo Campos, por Lei Estadual nº 2180, de 27 de dezembro de 1926, no Município de Tanabi.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o Distrito de Américo de Campos figura no Município de Tanabi.

Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, Américo de Campos é Distrito apenas judiciário e figura igualmente no Município de Tanabi.

No quadro anexo ao Decreto-lei estadual nº 9073, de 31-III-1938, o Distrito de Américo de Campos permanece no Município de Tanabi assim figurando no quadro fixado pelo Decreto estadual nº. 9 775, de 30-XI-1938, para 1939-1943.

Em virtude do Decreto-lei estadual nº 14334, de 30-XI-1944, que fixou o quadro territorial para vigorar em 1945-48, o Distrito de Américo de Campos figura igualmente no Município de Tanabi.

Elevado à categoria de município com a denominação de Américo de Campos, por Lei Estadual nº 233, de 24 de dezembro de 1948, desmembrado de Tanabi. Constituído de 2 Distritos: Américo de Campos e Pontes Gestal. Sua instalação se verificou no dia 10 de abril de 1949.

Fixado o quadro territorial para vigorar em 1949-1953, o Município de Américo de Campos é composto dos Distritos de Américo de Campos e Pontes Gestal.

No quadro fixado pela Lei Estadual nº 2456, de 30-XII-1953 para vigorar em 1954-1958, O Município de Américo de Campos é constituído de 2 Distritos, Américo de Campos e Pontes Gestal.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 01-VII-1960.

Lei Estadual nº 8092, de 28 de fevereiro de 1964, desmembrado de Américo de Campos o Distrito de Pontes Gestal.

Em divisão territorial datada de 31-XII-1968, o município é constituído do Distrito Sede.

Assim permanecendo em Divisão Territorial de 15-VII-1997

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a uma latitude 20º17'57" sul e a uma longitude 49º43'54" oeste, estando a uma altitude de 471 metros.

Possui uma área de 253,1 km².

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo - 2010[2]

População total: 5.706

  • Urbana: 4.788
  • Rural: 918
  • Homens: 2.862[5]
  • Mulheres: 2.844

Densidade demográfica (hab./km²): 22,54

Dados do Censo - 2000

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 14,82

Expectativa de vida (anos): 71,79

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 1,95

Taxa de alfabetização: 87,30%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,774

  • IDH-M Renda: 0,696
  • IDH-M Longevidade: 0,780
  • IDH-M Educação: 0,846

(Fonte: IPEADATA)

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Comunicações[editar | editar código-fonte]

A cidade foi atendida pela Companhia de Telecomunicações do Estado de São Paulo (COTESP) até 1975, quando passou a ser atendida pela Telecomunicações de São Paulo (TELESP)[6], que construiu em 1977 a central telefônica utilizada até os dias atuais. Em 1998 esta empresa foi privatizada e vendida para a Telefônica, sendo que em 2012 a empresa adotou a marca Vivo para suas operações de telefonia fixa[7][8][9].

Administração[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. a b c d «Censo Populacional 2010 - IBGE» (PDF). IBGE.gov.br. Consultado em 2 de setembro de 2011 
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2005-2009» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 29 dez. 2011 
  5. «SIDRA IBGE - Tabela 608 - População residente, por situação do domicílio e sexo». IBGE. Consultado em 2 de setembro de 2011  horizontal tab character character in |título= at position 26 (ajuda)
  6. «Área de atuação da Telesp em São Paulo». Página Oficial da Telesp (arquivada) 
  7. «Telesp vai servir mais 86 cidades do estado». Acervo Folha de São Paulo 
  8. «Nossa História». Telefônica / VIVO 
  9. GASPARIN, Gabriela (12 de abril de 2012). «Telefônica conclui troca da marca por Vivo». G1 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]