Palestina (São Paulo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Palestina
  Município do Brasil  
Símbolos
Bandeira de Palestina
Bandeira
Brasão de armas de Palestina
Brasão de armas
Hino
Apelido(s) "Cidade Presépio"
Gentílico palestinense
Localização
Localização de Palestina em São Paulo
Localização de Palestina em São Paulo
Mapa de Palestina
Coordenadas 20° 23' 24" S 49° 25' 58" O
País Brasil
Unidade federativa São Paulo
Municípios limítrofes Paulo de Faria, Orindiúva, Nova Granada, Mirassolândia, Tanabi, Cosmorama, Américo de Campos, Pontes Gestal, Riolândia
Distância até a capital 490 km
História
Fundação 2 de janeiro de 1926 (95 anos)
Aniversário 31 de maio
Administração
Distritos
Prefeito(a) Reinaldo Cunha (PSDB, 2021 – 2024)
Características geográficas
Área total [2] 695,5 km²
População total (Censo IBGE/2020[2]) 13 123 hab.
Densidade 18,9 hab./km²
Clima Não disponível
Altitude 550 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
CEP 15470-000 a 15479-999[1]
Indicadores
IDH (PNUD/2000[3]) 0,764 alto
PIB (IBGE/2009[4]) R$ 137 606 mil
PIB per capita (IBGE/2009[4]) R$ 12 119,57
Outras informações
Padroeiro(a) São João Batista
Sítio www.palestina.sp.gov.br (Prefeitura)
www.camarapalestina.sp.gov.br (Câmara)

Palestina é um município brasileiro do estado de São Paulo. O município é formado pela sede, pelos distritos de Duplo Céu e Jurupeba e pelo povoado de Boturuna.[5][6]

História[editar | editar código-fonte]

De acordo com os registros históricos do município, Palestina foi fundada pelo espanhol Valentim Álvares, em 1º de abril de 1922, quando ficou resolvido a constituição de um patrimônio sob a denominação de “São João da Palestina”, onde ele doou parte de sua propriedade para o patrimônio, reservando um quarteirão para que se construísse nele a igreja. Algum tempo depois o nome São João da Palestina foi mudado para Nova Palestina e, em seguida para Palestina.[7]

Palestina tornou-se distrito pela Lei 2.236 de 22 de dezembro de 1927, no município de Nova Granada, sendo elevado a município pela Lei 2.782 de 23 de dezembro de 1936. O município de Palestina foi instalado no dia 03 de maio de 1937.

Pelo Decreto nº 10.001 de 24/02/1939 o município de Palestina foi dividido em 3 zonas: 1ª zona - Palestina, 2ª zona - Santa Filomena, 3ª zona - Guarda Mor.[8] O Decreto-Lei n° 14.334 de 30/11/1944 transformou as zonas em Distritos e mudou-lhes os nomes: Santa Filomena passou a denominar-se Boturuna e Guarda Mor passou a denominar-se Jurupeba. E pelo mesmo Decreto-Lei foi criado o distrito de Duplo Céu.[9]

Finalmente pela Lei nº 8092 de 19 de janeiro de 1969 foi criada a comarca de Palestina.[7]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se no norte do estado, na latitude 20º23'24" sul e na longitude 49º25'59" oeste, estando a uma altitude de 550 metros.

Possui uma área de 695,5 km².

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo - 2010[2]

População total: 11.051

  • Urbana: 9.188
  • Rural: 1.863
  • Homens: 5.595[10]
  • Mulheres: 5.456

Densidade demográfica (hab./km²): 15,89

Taxa de alfabetização: 91,7%[11]

Dados do Censo - 2000

(Fonte: IPEADATA)

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Comunicações[editar | editar código-fonte]

A cidade era atendida pela Telecomunicações de São Paulo (TELESP),[12] que inaugurou a central telefônica utilizada até os dias atuais. Em 1998 esta empresa foi privatizada e vendida para a Telefônica,[13] sendo que em 2012 a empresa adotou a marca Vivo[14] para suas operações de telefonia fixa.

Filhos Ilustres[editar | editar código-fonte]

Administração[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. «Busca Faixa CEP». Consultado em 1 de fevereiro de 2019 
  2. a b c «Censo Populacional 2010 - IBGE» (PDF). IBGE.gov.br. Consultado em 25 de agosto de 2011 
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2005-2009» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 27 dez. 2011. Arquivado do original (PDF) em 3 de março de 2016 
  5. «Municípios e Distritos do Estado de São Paulo» (PDF). IGC - Instituto Geográfico e Cartográfico 
  6. «Divisão Territorial do Brasil». IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística 
  7. a b «Dados Gerais - Prefeitura Municipal de Palestina». www.palestina.sp.gov.br. Consultado em 12 de dezembro de 2020 
  8. «Decreto n° 10.001, de 24/02/1939». www.al.sp.gov.br. Consultado em 12 de dezembro de 2020 
  9. «Decreto-Lei n° 14.334, de 30/11/1944». www.al.sp.gov.br. Consultado em 10 de dezembro de 2020 
  10. «SIDRA IBGE - Tabela 608 - População residente, por situação do domicílio e sexo». IBGE. Consultado em 25 de agosto de 2011  horizontal tab character character in |título= at position 26 (ajuda)
  11. «Taxa de Alfabetização 2010» (zip). Censo 2010 IBGE: Indicadores Sociais Municipais. IBGE.gov.br. Consultado em 23 de janeiro de 2012 
  12. «Área de atuação da Telesp em São Paulo». Página Oficial da Telesp (arquivada) 
  13. «Nossa História». Telefônica / VIVO 
  14. GASPARIN, Gabriela (12 de abril de 2012). «Telefônica conclui troca da marca por Vivo». G1 
  15. «De Palestina à Bombonera: a origem de Romarinho, novo ídolo da Fiel». Globo Esporte. 29 de junho de 2012. Consultado em 26 de maio de 2021 
  16. «De Palestina para a América: Conheça a história de vida de Romarinho». Zero Hora. 29 de junho de 2012. Consultado em 26 de maio de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]