Renato Aroeira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Renato Aroeira
Nascimento 18 de maio de 1954 (66 anos)
Belo Horizonte
Cidadania Brasil
Ocupação cartunista editorial
Prêmios Prêmio Vladimir Herzog

Renato Aroeira (Belo Horizonte, 18 de maio de 1954) é um chargista brasileiro. Começou sua carreira aos 17 anos, fazendo ilustrações para a coluna sobre esportes de seu pai no Jornal de Minas. Fez charges para os principais jornais do Rio de Janeiro, como O Globo e O Dia, além de outros veículos, como a revista IstoÉ. É casado com a diretora de cinema Aida Queiróz.[1][2]

Tentativas de censura[editar | editar código-fonte]

Em 2019, o advogado Rodrigo Fux, filho do ministro do STF, Luiz Fux, pediu a abertura de um processo criminal contra Aroeira devido a uma charge, publicada durante as eleições de 2018, que retratava o então candidato à presidência Jair Bolsonaro e o premiê israelense Benjamin Netanyahu formando o símbolo da suástica com os braços. A acusação foi de que a charge seria antissemita. A 5ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça (TJ) do Rio de Janeiro definiu que a referência ao nazismo possuía propósito satírico e não causaria danos morais. A sentença ainda registrou que, no ano anterior, Bolsonaro não ficara constrangido em tirar fotografia ao lado de um homem fantasiado de Adolf Hitler.[3][4][5][6]

Em 15 de junho de 2020, Aroeira e Ricardo Noblat foram alvos de pedido de investigação protocolado na Procuradoria-Geral da República (PGR) pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça. Tendo por base a Lei de Segurança Nacional (criada durante a ditadura militar brasileira), foi aberto de um inquérito sobre uma postagem de Noblat no Twitter, em que compartilhava uma charge de Aroeira sobre Bolsonaro. A charge, que trazia o título "Crime continuado", mostrava o presidente com um pincel e uma lata de tinta como se tivesse acabado de pintar uma suástica em cima de uma cruz vermelha (símbolo de serviços de saúde) enquanto falava "Bora invadir outro?", fazendo referência à fala do presidente que pedia para que as pessoas invadissem hospitais durante a pandemia de COVID-19.[7][8][9]

Já no dia seguinte ao pedido de investigação, diversos chargistas, no Brasil e no exterior, começaram a fazer suas próprias versões derivadas da charge original trazendo o título "Charge continuada" (em referência ao título "Crime continuado" da charge original) e com a utilização da hashtag #SomosTodosAroeira para divulgação nas redes sociais. Todas as charges derivadas foram reunidas na conta @somostodosaroeira do Instagram, chegando a mais de 400 artes diferentes relacionadas à charge original.[10][11][12][13]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Em outubro de 2020, durante a divulgação dos vencedores do Prêmio Jornalistico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos, a comissão organizadora do prêmio anunciou a criação, exclusivamente para esta edição do evento, do "Prêmio Destaque Vladimir Herzog Continuado", especialmente para homenagear Aroeira em decorrência do processo pela charge de Bolsonaro pintando uma suástica no símbolo da saúde. Com isso, além de Aroeira, todos os 109 chargistas que inscreveram trabalhos relacionados ao movimento Charge Continuada no Vladimir Herzog foram laureados com este prêmio especial.[14][15][16]

Referências

  1. «Aniversário: Aroeira promove comemoração com música e desenho». O Dia. 7 de maio de 2014 
  2. «Os caras do traço». Jornal de Brasília. 6 de agosto de 2019 
  3. «Filho de Fux processa chargista por crítica a Bolsonaro e Netanyahu». O Globo. 18 de janeiro de 2019 
  4. «Filho de Fux processa chargista por desenho com Bolsonaro e Netanyahu». Metrópoles. 18 de janeiro de 2019 
  5. «Filho de Luiz Fux abre processo contra chargista Aroeira por crítica contra Bolsonaro e Netanyahu». Fórum. 19 de janeiro de 2019 
  6. «Charge que associou Bolsonaro a nazismo é satírica e não ofende a honra, diz TJ do Rio». Associação Nacional de Jornais. 28 de fevereiro de 2019 
  7. «A ameaça de processo contra Noblat e Renato Aroeira é o retorno à censura». Veja. 15 de junho de 2020 
  8. «'Sou mais um aterrorizado do que um terrorista', diz autor de charge de Bolsonaro». O Estado de S. Paulo. 16 de junho de 2020 
  9. «'Quer que desenhe?' O novo papel das charges e como elas ganharam sobrevida nas redes sociais». Rolling Stone. 22 de julho de 2020 
  10. «Cartunistas se unem em defesa de chargista e fazem ação contra governo Bolsonaro». Folha de S. Paulo. 16 de junho de 2020 
  11. «Chargistas protestam a favor de colega acusado de 'difamar' Bolsonaro». Correio Braziliense. 16 de junho de 2020 
  12. «Aroeira, sobre charge de Bolsonaro e suástica: "Deram mais visibilidade"». UOL. 16 de junho de 2020 
  13. «Cartunistas fazem campanha em apoio ao colega Renato Aroeira». Rádio UFMG Educativa. 18 de junho de 2020 
  14. «Prêmio Vladimir Herzog anuncia trabalhos finalistas». Portal Imprensa. 8 de outubro de 2020 
  15. «O GLOBO vence duas categorias do Prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos». O Globo. 17 de outubro de 2020 
  16. «Prêmio Vladimir Herzog divulga vencedores». Associação Brasileira de Imprensa. 19 de outubro de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) desenhista ou ilustrador(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.