Sônia Luyten

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Sônia Maria Bibe Luyten é uma pesquisadora brasileira, especialista em histórias em quadrinhos e na cultura pop do Japão.[1] Tem 50 anos de profissão ligado às Histórias em Quadrinhos.

Formada em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero,[2] trabalhou como tradutora de tiras no Jornal da Tarde, através da Associated Press.[3] É Mestre e Doutora pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo em Ciências da Comunicação.


É uma pioneira no estudo de histórias em quadrinhos no Brasil, tendo começado a se dedicar ao tema ainda nos anos 70. Doutora em Comunicação Social pela Universidade de São Paulo, ela lecionou na própria USP e em outras instituições. Foi professora convidada da Universidade de Estudos Estrangeiros de Osaka e Tóquio (1984-1990), professora da Universidade Real de Utrecht (1993-1996) e professora convidada da Universidade de Poitiers (1998-1999). Em 2009 foi professora titular da Universidade Presidente Antônio Carlos (UNIPAC), de Juiz de Fora.[4][5]

Na década de 70, fundou na USP o primeiro núcleo de estudos de mangá (quadrinho japonês) que se tornou o embrião da Associação Brasileira de Desenhistas de Mangá e Ilustrações (Abrademi), nessa época, fundou a revista Quadreca,[6] cuja quarta edição foi dedicada aos mangás.[7] O artigo da Quadreca foi o primeiro do Brasil sobre mangá.


Dirigiu dos anos 1970 a 1980 Troféu HQMix, a Gibiteca do Museu de Imprensa Júlio de Mesquita Filho, também na USP. Entre os anos de 2000 e 2004, colaborou com o site Universo HQ, escrevendo as colunas Quadrinhos pelo Mundo[8] e Banca de Teses.[9] Vencedora de dois troféus HQ Mix por sua produção teórica, desde 2009 é integrante do comitê organizador do prêmio.


A autora escreveu prefácios nas seguintes obras: no Mangá Tropical (2003 -Via Lettera),[10] Uma Biografia Mangá: Osamu Tezuka de Toshio Ban (2003, Conrad Editora)[11] e Mulheres de Yoshiriro Tatsumi (2007 - Zarabatana Books).[12]


Em 2009, ao lado de Maurício Pestana da revista Raça Brasil, fez a curadoria da exposição PICHA, dedicada às histórias em quadrinhos africanas.[13] no Museu Afro-Brasileiro de São Paulo.

Sonia foi casada com Joseph Luyten (1941-2006), um renomado professor e pesquisador holandês, dedicado aos estudos da literatura de cordel, morto em julho de 2006, vítima de um ataque cardiaco.[14][15]

Atualmente é presidente da Comissão de Teses do Troféu HQ Mix.

Obras publicadas[editar | editar código-fonte]

  • Comunicação e aculturação: a colonização holandesa no Paraná (Edições Loyola, 1981)
  • O que é Histórias em Quadrinhos (Editora Brasiliense, 1985 - Coleção Primeiros Passos)
  • Histórias em quadrinhos: Leitura crítica (Edições Paulinas, 1989)
  • Mangá: o poder dos quadrinhos japoneses 1ª edição (Estação Liberdade, 1991)
  • Mangá: o poder dos quadrinhos japoneses 2ª edição (Hedra, 2000)
  • Cultura Pop japonesa: anime e manga (Hedra, 2006)
  • Mangá: o poder dos quadrinhos japoneses 3ª edição (Hedra, 2012)
  • Efeito HQ . Livro online em conjunto com José Alberto Lovetro (2018)

Prêmios[editar | editar código-fonte]

  • 2008 Troféu HQ Mix - O Samurai (Associação dos Cartunistas do Brasil)
  • 2008 Honraria do governo japonês - Pioneira pelos estudos acadêmicos Cultura Pop japonesa (Ministério de Negócios Estrangeiros do Japão)
  • 2006 Prêmio Angelo Agostini - Mestre (Associação dos Cartunistas do Brasil)
  • Prêmio Cátedra UNESCO/Metodista de Comunicação
  • 2004 Atuação relevante em prol do Humor Gráfico (Associação dos Cartunistas de Pernambuco)
  • 2001 Apoio ao Mangá (ABRADEMI)
  • 1999 Troféu HQ Mix - Divulgação das histórias em quadrinhos no exterior
  • 1991 Troféu HQ Mix - Livro teórico sobre histórias em quadrinhos
  • 1990 Prêmio Romano Callise - Melhor tese acadêmica (Festival Internacional de Lucca, Itália)           .

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]