Edson Rontani

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Edson Rontani
Comic image missing-pt.png

Nascimento 23 de março de 1933
Local Piracicaba
Morte 24 de fevereiro de 1997 (63 anos)
Área(s) de atuação desenhista
Gênero(s) super-heróis

Edson Rontani (Piracicaba, São Paulo, 23 de março de 1933 - † 24 de fevereiro de 1997) foi desenhista técnico do Estado de São Paulo, bacharel em direito, colaborador de jornais, desenhista, cartunista, ilustrador e radialista brasileiro[1].

foi o editor do primeiro fanzine brasileiro sobre histórias em quadrinhos publicado em 12 de Outubro de 1965 em Piracicaba, cidade cidade onde nasceu.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Embora fosse professor, contador e advogado por formação, Edson nunca exerceu nenhuma das profissões, foi chargista, caricaturista, artista plástico, radialista[1]

Na década de 1950 fundou uma escola de desenho[1], Criou o primeiro fanzine sobre histórias em quadrinhos que recebeu nome de "Ficção" (Boletim do Intercâmbio Ciência-Ficção Alex Raymond)[2], editado em 1965 na cidade de Piracicaba. O fanzine era composto por textos informativos e uma lista de produções brasileira de quadrinhos desde 1905. Na época, produções independentes e manufaturadas como esta não eram denominadas fanzines, tanto que o Ficção foi lançado com o nome de boletim informativo para amantes das histórias em quadrinhos.

Rontani catalogou nas edições deste fanzine tudo o que era de seu conhecimento pois até esta época não havia sequer um levantamento das revistas em quadrinhos publicadas ou quais editoras foram fundadas no país. Como colecionava revistas desde sua infância, ele as estudava e guardava dados históricos para dividir com outros colecionadores estes conhecimentos. O fanzine possuía uma tiragem de 600 exemplares, e entre seus leitores estavam José Mojica Marins (o Zé do Caixão), Gedeone Malagola, Adolfo Aizen, Mauricio de Sousa, Jô Soares e Lyrio Aragão[3].

Trabalhou em jornais e fez capas para as revistas Batman e Superman da EBAL.[4] Rontani era um colecionador de quadrinhos chegando a passar por suas mãos mais de 170 mil exemplares de histórias em quadrinhos. Possuiu juntos ao mesmo tempo cerca de 74 mil exemplares. Foi desenhista artístico e lecionava desenho em seu Instituto Orbis, situado no centro de Piracicaba. Sua memória é perpetuada até hoje pelo Jornal de Piracicaba com a publicação semanal da coluna "Você Sabia?", que ele editou de 1982 a 1997, ano em que faleceu.[4] A coluna foi reeditada pelo Jornal de Piracicaba de 2002 a 2009, através de seu filho Edson Rontani Júnior. Aposentou-se como desenhista técnico da Secretaria Estadual de Agricultura[3].

Faleceu em Piracicaba em 1997.

Homenagens[editar | editar código-fonte]

Em 1995, Worney Almeida de Souza lançou 30 anos do Ficção, com um texto escrito por ele e Edgard Guimarães sobre a história dos fanzines no Brasil e a reprodução da primeira edição do Ficção.[5]

Em sua homenagem foi criada a "Sala Edson Rontani" no Teatro Municipal Dr. Losso Netto" em Piracicaba em 1998, através de propositura do então vereador Roberto Morais (hoje, deputado estadual). Possui uma rua com seu nome no bairro Vila Verde/Dois Córregos, através de propositura do vereador Gustavo Ranzzani Herrmann.[6]

Em 2001, foi nomeado pela Associação dos Quadrinhistas e Caricaturistas do Estado de São Paulo (AQC-ESP) como "Mestre do Quadrinho Nacional" no 17º Prêmio Angelo Agostini.[7]

No ano seguinte, foi realizada a exposição "As várias faces do criador do Nhô Quim - Exposição de Obras de Edson Rontani", Nho Quim (homônimo de uma personagem de Angelo Agostini) foi criado para ser o mascote do Esporte Clube XV de Novembro, time de futebol de Piracicaba[8].

Em 2008, a Editora Marca de Fantasia lançou uma compilação "Você Sabia" contendo as colunas semanais homônimas publicadas no Jornal "O Diário de Piracicaba"[4].

Em junho de 2010 a Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo denominou a escola do bairro Mário Dedini em Piracicaba como Escola Estadual Edson Rontani, por iniciativa do deputado estadual Roberto Felício[9].

Em 2012, o dia 12 de outubro foi escolhido pelo professor universitário e fanzineiro, Gazy Andraus, para ser o Dia Nacional dos Fanzines,[10][11] anteriormente os fanzineiros comemoravam o Dia Mundial dos Fanzines no dia 29 de abril, tal qual acontece em Portugal.[12]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Jotapê Martins (8 de Fevereiro de 2001). «Mestre do quadrinho nacional pela AQC-SP: EDSON RONTANI». Omelete 
  2. Henrique Magalhães (2013). Marca da Fantasia, ed. O rebuliço apaixonante dos fanzines. 3. [S.l.: s.n.] ISBN 978-85-7999-077-9 
  3. a b Marcelo Naranjo, sobre o Press Release (13 de outubro de 2005). «Primeiro fanzine brasileiro completou 40 anos de lançamento». Universo HQ 
  4. a b c Andréa Pereira (14 de janeiro de 2008). «Marca de Fantasia lança Você Sabia?». HQManiacs. Consultado em 27 de maio de 2010. 
  5. Guimarães, Edgard (2000). Fanzine. [S.l.]: independente. 36 páginas 
  6. «Desenhista nacional Edson Rontani vira nome de rua em Piracicaba». Universo HQ. 7 de fevereiro de 2002 
  7. Jotapê Martins (8 de Fevereiro de 2001). «Troféu Angelo Agostini será entregue dia 10 de fevereiro». Omelete 
  8. «Exposição resgata obras de Edson Rontani». Universo HQ. 11 de outubro de 2002 
  9. «Ementa - Dá a denominação de "Edson Rontani" à Escola Estadual Bairro Mário Dedini, em Piracicaba.». Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo 
  10. Gibiteca homenageia fanzines com eventos durante o mês de outubro
  11. Fanzinada na Livraria HQMix
  12. Andraus, Gazy. «Fanzinoteca Mutação: espaço educativo e cultural aos zines» (PDF). Anais do I Fórum Nacional de Pesquisadores de Arte Sequencial. ISSN 2238-8095 


Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre autor ou ilustrador de banda desenhada é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.