O Grupo do Leão (Columbano)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


O Grupo do Leão
Autor Columbano Bordalo Pinheiro
Data 1885
Técnica Pintura a óleo sobre tela
Dimensões 201 cm  × 376 cm 
Localização Museu Nacional de Arte Contemporânea em Lisboa

O Grupo do Leão é uma pintura a óleo sobre tela do pintor naturalista português Columbano Bordalo Pinheiro (1857-1929) datada de 1885 e conservada no Museu Nacional de Arte Contemporânea em Lisboa.

A pintura de grandes dimensões representa um grupo de artistas e escritores amigos e conhecidos que frequentavam havia cerca de uma década a cervejaria Leão de Ouro,[1] localizada na rua 1º de Dezembro, em Lisboa,[2] e daí o título da obra e a designação do próprio conjunto de intelectuais como o Grupo do Leão. O quadro foi pintado para ser exposto na própria cervejaria, no âmbito de uma nova decoração a que foi sujeita. O retrato do grupo, o único desta geração naturalista de Lisboa, esteve exposto na dita cervejaria até 1945.[3]

Descrição[editar | editar código-fonte]

No quadro estão representados, da esquerda para a direitaː[4]

Segundo Pedro Lapa, Columbano terá visto, em Paris, a Homenagem à Delacroix (1864) e a Esquina de mesa (1872), ambos de Fantin Latour (e em Galeria), e certamente que estes retratos colectivos o terão inspirado. O fundo claro e abstracto realça o recorte das figuras, tendo o Autor seguido uma economia tonal monocromática. Ainda segundo Pedro Lapa, as figuras apresentam-se com poses individuais de retrato ou trazidas de outras fontes para inserção no conjunto, como se de montagem, ou mesmo colagem, se tratasse. Para o desenvolvimento da obra, Columbano terá recorrido a uma fotografia de 1883 em que constam alguns dos representados, bem como alguns personagens terão posado propositadamente, e até mesmo, talvez no caso do empregado de mesa, o artista tenha desenhado e tirado apontamentos ao natural e posteriormente pintado.[5]

História[editar | editar código-fonte]

A obra foi adquirida em 1953 pelo Estado a Ramos da Costa, por 400.000$00 na moeda de então, tendo na altura Assis Chateaubriand, fundador do Museu de Arte de São Paulo, e o banqueiro Artur Cupertino de Miranda, manifestado também interesse na sua aquisição.[6]

Faziam ainda parte do Grupo do Leão, mas não foram representados no quadro de Columbano, os seguintes artistasː Abel Botelho (1854-1917), escritor; Bulhão Pato (1829-1912), poeta; Emídio de Brito, escritor; Fialho de Almeida (1857-1911), escritor; João Anastácio Rosa (1812-1884), actor e escultor; Leandro Braga (1839-1897), entalhador; Mariano Pina (1860-1899), escritor; Monteiro Ramalho (1862-1949), escritor.

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Página na Net do Restaurante Leão de Ouro, continuação da cervejaria [1]
  2. localização no GoogleMaps, [2]
  3. Nota de Pedro Lapa na página do Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado, [3]
  4. Nota de Pedro Lapa na página do Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado [4]
  5. Nota de Pedro Lapa na página do Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado, [5]
  6. Nota de Pedro Lapa na página do Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado [6]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Página do Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiadoː [7]