Leandro Braga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Leandro Braga
'
Nascimento 1955
São José dos Campos
Cidadania Brasil
Ocupação ,
Página oficial
http://www.leandrobraga.com.br/

Leandro Braga (São José dos Campos, São Paulo, 27 de julho de 1955) é pianista, arranjador e compositor brasileiro.

Começou seus estudos no piano clássico aos 4 anos de idade, em sua cidade natal, São José dos Campos. Em 1972 ingressou na faculdade de Medicina, na qual graduou-se em 1978, na cidade de Sorocaba, São Paulo.

Durante a faculdade, aproximou-se de músicos profissionais ligados à música popular, principalmente ao jazz e à música brasileira. Estudou arranjo, orquestração, harmonia, entre outros estudos, com Amylson Godoy, Nelson Ayres e Hilton Valente (Gogô).

Seu maior mestre e inspirador foi o pianista, compositor e arranjador Luizinho Eça. Ainda hoje, Luizinho representa sua maior influência e inspiração na música.

Ao mudar-se para o Rio de Janeiro, em 1988, cidade onde reside até hoje, iniciou seus primeiros trabalhos, como sua participação na banda de Beth Carvalho. Desde então, começou a ser pleiteado como arranjador, gravando, assim, diversas canções com artistas consagrados da música brasileira, como: Chico Buarque, Caetano Veloso, Simone, Djavan, Fátima Guedes, Emílio Santiago, Tim Maia, Elba Ramalho, Guinga, Leny Andrade, Fafá de Belém, Adriana Calcanhoto, além da própria Beth Carvalho e outros.

Dentre seus trabalhos da época, empreendeu um com Ney Matogrosso, no qual atuou como diretor musical, arranjador e pianista.

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • And Why Not? - E por que não? - Arabesque Records (1991)
  • Noel Rosa – Letra e Música – Johnny Alf e Leandro Braga - Lumiar (1997)
  • Pé na Cozinha - MP,B (1997)
  • A música de Chiquinha Gonzaga - CID (1999) - com Leila Pinheiro em "Lua Branca"
  • Primeira Dama - CD (2002) - com D. Ivone Lara em "Há Música No Ar"
  • A música de Chaplin - Lua Discos (2003) - com Gilson Peranzzetta e João Carlos Assis Brasil
  • Fé Cega - MP,B (2013)
  • Claudette Soares e Leandro Braga

*Lançado em 2013, pela gravadora Biscoito Fino, o último CD da cantora Simone, contou com a direção, produção musical, arranjo e piano de Leandro Braga, que também atuou como o diretor musical e tecladista da turnê de lançamento.

Participação em outros trabalhos[editar | editar código-fonte]

Premiações[editar | editar código-fonte]

  • Prêmios Sharp - Categorias: Melhor Música (pela faixa "Um Ariel de saudades"), Melhor solista e Revelação - pela obra 'Pé Na Cozinha'
  • 4º Prêmio Rival Petrobrás de Música - como melhor arranjo - pela obra 'Primeira Dama'
  • Indicação Grammy Latino - com a obra 'Primeira Dama'[1]

Arranjos para orquestras[editar | editar código-fonte]

Leandro Braga também escreveu trabalhos para orquestras, como a Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, a Orquestra Petrobrás Sinfônica, a Jazz Sinfônica, de S. Paulo, a Orquestra Sinfônica de Brasília, a Orquestra Sinfônica de Düsseldorl (Alemanha), a Orquestra Sinfônica da Universidade Federal da Bahia, em inúmeros outros trabalhos.

Na obra "Sinfonia do Descobrimento", Leandro Braga musicaliza a Carta do Descobrimento, de Pero Vaz de Caminha, obra escrita para orquestra sinfônica, Coro Misto, Coro Infantil, percussionistas de música popular, 2 narradores e 1 soprano.

Em 2011, fez composição e arranjos para os Jogos Mundiais Militares realizados no Rio de Janeiro, executados pela Banda Sinfônica do Exército.

Em 2013, Leandro publicou o livro ilustrado Na Bateria da Escola de Samba (Editora Gryphus), que conta com a parceria do Mestre Mangueirinha. Este livro explica a formação, o funcionamento e estrutura das baterias do samba, dirigido ao público infanto-juvenil. Foi selecionado para os Acervos Básicos da FNLIJ – Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil.

Trabalhos sociais[editar | editar código-fonte]

Fundou e dirigiu por quatro anos a ONG Toca o Bonde – Usina de Gente, atuava como professor de música para crianças e adolescentes do complexo do Falete. O projeto foi selecionado e patrocinado pelo BNDES e pelas Centrais Elétricas de Furnas por 3 anos, e abrangeu cerca de 50 crianças que tinham aulas de violino, violoncelo, flauta, clarinete, trompete, trombone, harpa, piano, bateria, percussão, canto, além das matérias teóricas e de cidadania.

Atuou também como diretor do projeto TIM Música nas Escolas, durante cinco anos. O projeto foi criado e desenvolvido pela empresa TIM e abrangeu cinco escolas públicas do Rio de Janeiro. Esta ação culminou na montagem da Orquestra Brasileira do Rio de Janeiro, formada pelos alunos do projeto que executam diversos instrumentos de corda, sopro e percussão.

Leandro Braga também realizou a composição das músicas do projeto “Dançando Para Não Dançar”. Desde 1995, este projeto vem proporcionando às crianças, moradoras de áreas populares cariocas, acesso à educação, à cultura, à saúde, e, especialmente, à profissionalização, através do ensino do balé clássico. São mais de 2 mil crianças atendidas nas comunidades do Cantagalo, Pavão-Pavãozinho, Rocinha, Mangueira, Chapéu-Mangueira, Babilônia, Macacos, Tuíuti, Jacarezinho, Salgueiro, Santa Marta e Borel.

Teatro[editar | editar código-fonte]

Na área do teatro, Leandro Braga realizou diversos trabalhos, incluindo a regência e direção musical da temporada paulista da ópera Evita, e o espetáculo dirigido por Ney Matogrosso “Somos Irmãs”, sobre a vida das irmãs Linda e Dircinha Batista.

Em 2000, Leandro dividiu o palco com Hermeto Pascoal, no Teatro Municipal de Niterói (RJ), pelo projeto "Festival Leader Instrumental". Neste mesmo ano, assinou a direção musical e os arranjos da peça "Atlântida", apresentada no Teatro Carlos Gomes.

Livros[editar | editar código-fonte]

  • Primeira Dama - livro com partituras das músicas do CD "Primeira Dama", transcritas para piano solo.
  • Na Bateria da Escola de Samba - (2013)

Referências

  1. Barbosa, Marco Antonio (23 de julho de 2003). «Saem os indicados ao Grammy Latino». CliqueMusic. UOL. Consultado em 5 de julho de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]