Rogério Skylab

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Rogério Skylab
Retrato a lápis de Skylab por Denis Mandarino
Informação geral
Nome completo Rogério Tolomei Teixeira
Nascimento 2 de setembro de 1956 (60 anos)
Local de nascimento Rio de Janeiro,  Rio de Janeiro
 Brasil
Gênero(s) Rock experimental, noise rock, rock de garagem, art rock, música acústica, música minimalista, MPB, rock cômico, electronica, samba-rock, bossa nova
Ocupação(ões) Cantor-compositor, violonista, letrista, produtor musical, poeta, ex-apresentador de televisão
Cônjuge Solange Venturi (1983 – atualmente)
Instrumento(s) Vocal, violão
Período em atividade 1991 – atualmente
Gravadora(s) OutraCoisa, Psicotropicodelia, Discobertas, Coqueiro Verde Records
Afiliação(ões) Zumbi do Mato, Robertinho de Recife, Fausto Fawcett, Arrigo Barnabé, Luís Capucho, Jorge Mautner, Livio Tragtenberg, Maurício Pereira, Marcelo Birck, Romulo Fróes, Michael Sullivan, Jards Macalé
Influência(s) Zumbi do Mato, Arrigo Barnabé, Frank Zappa, Júpiter Maçã, Daminhão Experiença
Página oficial rogerioskylab.com.br

Rogério Tolomei Teixeira[1] (Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2 de setembro de 1956), mais conhecido por seu nome artístico Rogério Skylab, é um cantor-compositor, violonista, letrista, poeta, ex-apresentador de televisão e produtor de discos brasileiro. Seu estilo musical único é caracterizado pelo minimalismo e pela experimentação com gêneros distintos, e suas letras são permeadas de pessimismo, escatologia, niilismo e humor negro (ele, porém, nega que suas canções possuam inclinações cômicas[2][3]). Algumas de suas composições mais notáveis são "Fátima Bernardes Experiência", "Dedo, Língua, Cu e Boceta", "Eu Chupo Meu Pau" e "Matador de Passarinho".

Biografia[editar | editar código-fonte]

Rogério Tolomei Teixeira nasceu no Rio de Janeiro em 2 de setembro de 1956, e é de ascendência italiana e portuguesa. Formou-se em Letras e em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro,[4] e também iniciou um curso de Direito, mas nunca o concluiu.[5] Antes de abraçar a carreira musical trabalhou como funcionário de uma agência do Banco do Brasil em Maracaju, Mato Grosso do Sul, por 28 anos.[6] Em 1991 participou de um festival de música em Juiz de Fora, Minas Gerais; ganhou o prêmio em dinheiro do primeiro lugar com a canção "Samba do Skylab" (da qual retirou seu nome artístico), utilizando-o para financiar a gravação de seu álbum de estreia, Fora da Grei, no ano seguinte; foi muito bem-recebido pela crítica, e lhe rendeu muitas aparições nos talk shows de Jô Soares Jô Soares Onze e Meia e Programa do Jô ao decorrer dos anos 1990.[2]

Em 1999 Skylab lançou seu segundo álbum (e o primeiro numa série de dez álbuns autointitulados), Skylab. Foi produzido por Robertinho de Recife, mas o músico ficou ligeiramente insatisfeito com o resultado final, alegando que tinha "teclados demais" e que não esteve muito envolvido em sua parte criativa. Seu terceiro álbum, Skylab II, foi seu primeiro lançamento ao vivo; comentando sobre, afirmou que "este é 100% Skylab. O outro era 80% Robertinho".[7] Skylab II contou com a participação especial de Löis Lancaster, vocalista do grupo experimental Zumbi do Mato – Lancaster voltaria para o segundo álbum ao vivo de Skylab, Skylab IX, no qual também participaram Maurício Pereira (d'Os Mulheres Negras) e Marcelo Birck (do Graforréia Xilarmônica).[8] Zé Felipe e Marlos Salustiano, respectivamente baixista e tecladista do Zumbi do Mato, colaboraram com Skylab em seu álbum de 2007 Skylab VII, que foi indicado ao Prêmio Dynamite de Música Independente na categoria "Melhor Álbum de Rock";[9] dois anos depois, Felipe e Skylab fizeram um álbum colaborativo, Rogério Skylab & Orquestra Zé Felipe. Em 2005, Skylab já ganhara o Prêmio Claro de Música Independente, na categoria "Melhor Álbum de MPB", por Skylab V.

Depois do lançamento de Skylab X, Skylab pôs de lado sua sonoridade experimental para trabalhar na "Trilogia dos Carnavais", mais focada em gêneros típicos brasileiros como o samba, a bossa nova e a MPB. A trilogia é composta por Abismo e Carnaval, Melancolia e Carnaval e Desterro e Carnaval, e teve as participações de músicos como Jorge Mautner, Jards Macalé, Arrigo Barnabé, Romulo Fróes, Fausto Fawcett e Michael Sullivan.[10][11] Mais recentemente, em 2016, colaborou com Livio Tragtenberg numa série de dois álbuns, com um terceiro sendo atualmente planejado.

Skylab publicou seu primeiro (e, até o presente momento, único) livro, a coletânea de sonetos Debaixo das Rodas de um Automóvel, em 2006 pela Editora Rocco, e apresentou o talk show Matador de Passarinho no Canal Brasil de 2012 a 2014.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Desde 1983 Skylab é casado com a fotógrafa, produtora de discos e artista plástica Solange Venturi.

Skylab é conhecido por suas vastas influências musicais e literárias; alguns de seus escritores favoritos são Machado de Assis, João Cabral de Melo Neto, Clarice Lispector, Jorge Luis Borges, Rubens Figueiredo, Milton Hatoum e Cristóvão Tezza.[5] Musicalmente, foi influenciado por Arrigo Barnabé, Zumbi do Mato, Frank Zappa, Júpiter Maçã e Daminhão Experiença;[4] seu álbum de 2002 Skylab III foi dedicado a Daminhão.[12][13]

É torcedor fanático do Fluminense Football Club, e até já fez um cover do hino do clube para o álbum Skylab & Tragtenberg, Vol. 1.[14]

Ele é agnóstico.[15]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Discografia de Rogério Skylab

Série Skylab[editar | editar código-fonte]

Série Skygirls[editar | editar código-fonte]

Trilogia dos Carnavais[editar | editar código-fonte]

Com Orquestra Zé Felipe[editar | editar código-fonte]

Com Livio Tragtenberg[editar | editar código-fonte]

  • 2016 - Skylab & Tragtenberg – vol. 1[16]
  • 2016 - Skylab & Tragtenberg – vol. 2

Coletâneas[editar | editar código-fonte]

  • 2002 - Tributo ao Inédito (Compilação com 10 bandas independentes cariocas)
  • 2008 - Tributo ao Álbum Branco (Compilação de diversos músicos brasileiros prestando uma homenagem em forma de covers ao álbum The Beatles, o "Album Branco" dos Beatles)
  • 2010 - The Best of Rogério Skylab (Compilação de diversas músicas que estão entre o "Skylab" até o "Skylab VIII")
  • 2016 - Trilogia dos Carnavais – 25 anos de Carreira ou de Lápide[17] (Álbum ao vivo contendo músicas presentes da Trilogia dos Carnavais, lançada entre 2012 e 2015)

Publicações[editar | editar código-fonte]

Livros de sonetos[editar | editar código-fonte]

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Ano Prêmio Indicação Trabalho Resultado Ref.
2006 Prêmio Claro de Música Independente Melhor Álbum de MPB Skylab V Venceu [18][19]
2008 Prêmio Dynamite de Música Independente Melhor Álbum de Rock Skylab VII Indicado [20]

Referências

  1. Dicionário Cravo Albin de Música Popular Brasileira
  2. a b Leonardo Rodrigues (15 de julho de 2014). «Sempre fui contra a imagem cômica que Jô Soares me deu, diz Rogério Skylab». Consultado em 6 de abril de 2017 
  3. Abonico Smith (11 de dezembro de 2009). «Mondo Bacana :: Rogério Skylab». Consultado em 18 de maio de 2017 
  4. a b Bate-papo com Rogério Skylab | Bate-papo UOL
  5. a b Omar Godoy. «Rogério Skylab, um filho da adversidade». Consultado em 6 de abril de 2017 
  6. «Ex-bancário, Matador de Passarinho condena Felipão: 'Falou besteira'». 30 de novembro de 2012. Consultado em 17 de abril de 2017 
  7. Sílvio Essinger (19 de abril de 2001). «The strange world of Rogério Skylab» (em inglês). Consultado em 6 de abril de 2017 
  8. Rogério Skylab – Skylab IX no Discogs
  9. Prêmio Dynamite da Música divulga classificados. A Notícia, 9 de setembro de 2008
  10. Mariana Peixoto (27 de setembro de 2015). «Sem qualquer ressentimento, o irreverente Rogério Skylab segue criando e provocando polêmicas». Consultado em 6 de abril de 2017 
  11. Júlio Maria (22 de setembro de 2016). «Crítica: Skylab, mais profundo do que o humor». Consultado em 6 de abril de 2017 
  12. Leon Carelli (13 de dezembro de 2016). «'Só os mendigos salvam o planeta'». Consultado em 14 de janeiro de 2017 
  13. Marco Antônio Barbosa (2002). «Rogério Skylab em 'Skylab III'». Consultado em 11 de abril de 2017 
  14. Panorama Tricolor – Skylab & Tragtenberg, Vol. 1
  15. Lista fiável de ateus, agnósticos e afins (português)
  16. «Skylab & Tragtenberg - vol. 1 - Rogerio Skylab». Rogerio Skylab (em inglês) 
  17. «Crítica: Skylab, mais profundo do que o humor - Cultura - Estadão». Consultado em 24 de setembro de 2016 
  18. rockemgeral.com.br/ Lobão sai como grande vencedor do Prêmio Claro
  19. territoriodamusica.com/ Rogério Skylab lança novo álbum
  20. revistaogrito.ne10.uol.com.br/ Confira todos os indicados no Prêmio Dynamite este ano

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Rogério Skylab