Júpiter Maçã

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: "Flávio Basso" redireciona para este artigo. Para o político e aristocrata da Roma Antiga, veja Flávio Basso Herculano.
Júpiter Maçã
Júpiter Maçã em 2007
Nome completo Flávio Basso
Pseudônimo(s) Júpiter Maçã  • Júpiter Apple
Woody Apple (anteriormente)
Nascimento 26 de janeiro de 1968
Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil
Morte 21 de dezembro de 2015 (47 anos)
Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil
Ocupação
Carreira musical
Período musical 1984–2015
Gênero(s)
Instrumento(s)
Afiliações
Assinatura
Júpiter Maçã signature.svg

Flávio Basso, também conhecido como Júpiter Maçã ou Jupiter Apple (Porto Alegre, 26 de janeiro de 1968 — Porto Alegre, 21 de dezembro de 2015),[1] foi um cantor, compositor e cineasta. Referência fundamental do rock gaúcho, foi fundador das bandas TNT — com o amigo de infância Charles Master — e Os Cascavelletes, que influenciaram toda uma nova geração de bandas gaúchas dos anos 80 em diante.[2][3] Em carreira solo, foi reconhecido com um dos ícones da psicodelia brasileira, ao trazer um novo grau de experimentalismo ao rock nacional, com o disco A Sétima Efervescência, eleito pela revista Rolling Stone Brasil um dos cem maiores discos da música brasileira.[4][5]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Origens, TNT e Cascavelletes[editar | editar código-fonte]

Flávio Basso nasceu em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, em 26 de janeiro de 1968; um "feriado Beatle, o meu dia de nascimento", como dizia o próprio. Iniciou nas artes de maneira autodidata na pré-adolescência, expressando-se "através da música com um violão".[6]

Aos 17 anos, funda com os amigos Márcio Petracco (baixo), Felipe Jotz (bateria) e Charles Master (guitarra) o grupo TNT,[7] uma banda de rockabilly adolescente. Depois de convidar Nei Van Soria para assumir a guitarra, Basso ficaria apenas no vocal.[8] Falando principalmente de mulheres e suas desilusões amorosas, o TNT logo passou a lotar shows e ter boa execução nas rádios.[9]

O sucesso da banda chama a atenção do selo Plug, da gravadora BMG, que convida a banda em 1985 para gravar duas músicas para a coletânea Rock Grande do Sul, que apresentou o rock gaúcho ao mercado brasileiro,[10] nos anos 80. Entretanto, antes gravar o primeiro disco, devido a divergências musicais, Basso e Nei Van Soria deixam o TNT para fundar Os Cascavelletes, com Frank Jorge e Alexandre Barea.

Durante sua curta carreira, entre 1987 e 1992, Os Cascavelletes causaram furor pelo seu som irreverente e letras polêmicas. O lançamento do álbum Rock'a'ula pela gravadora EMI-Odeon em 1989 traz à banda um reconhecimento nacional, com a música "Nega Bombom" fazendo parte da trilha da novela Top Model, da Rede Globo.

A performance pautada pela tríade "sexo, drogas e rock 'n' roll" e as letras com referências pornográficas resultou em um estilo musical próprio, o chamado "porno rock",[11] que influenciou bandas de rock no Rio Grande do Sul de 1990 em diante.

No início dos anos 90, Flávio ainda voltaria a integrar o TNT, excursionando e participando das gravações de dois singles independentes: "Você (isso me deixa insano)" e "Tá na Lona".

A origem do nome Jupiter Apple, segundo o próprio, em trecho do livro de Cristiano Bastos e Pedro Brandt Júpiter Maçã - A efervescente vida e obra, Flavio diz que o nome Júpiter vem do avô, que usava o pseudônimo como escritor, e Apple da avó "Appel".

Carreira solo[editar | editar código-fonte]

Apoiado por sua banda, formada por Julio Sasquatt (bateria), Julio Cascaes (guitarra), Felipe Faraco (baixo) e Astronauta Pinguim (teclados), o show foi gravado em Porto Alegre, na noite da quarta-feira, 23 de novembro de 2011 no Bar Opinião. Com participações mais do que especiais de Nei Van Soria, Lucio Vassarath, Hique Gomes, Márcio Petracco, Conjunto Bluegrass Porto-Alegrense, Clara Averbuck, Hamburg Black Cats e Bibiana Graeff, o DVD apresenta um registro de 20 canções que sintetizam a carreira de Jupiter Apple, mostrando hits de seus álbuns solo e também relembrando momentos dos tempos de TNT e d'Os Cascavelettes.[12]

Em 19 de julho de 2012 caiu do segundo andar do prédio onde morava em Porto Alegre, ficando internado em saúde regular no setor de traumatologia do Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre.[13]

Depois de quase 2 anos sem dar notícias aos fãs e ficar afastados dos palcos, Júpiter retornou e lançou, em julho de 2014, o DVD Six Colours Frenesi. O set list completo do show tem 20 músicas, clássicos do rock Gaúcho e mais de duas horas de show.[14][15][16] O DVD possui uma versão de "Lovely Riverside" que conta com a participação do grupo Conjunto Bluegrass Porto-Alegrense. Em sua última fase como Júpiter Maçã ele passou a trabalhar seus lançamentos em forma de singles acompanhados de videoclipes.Em Outubro de 2014, Júpiter participa de uma entrevista no Programa "Matador de Passarinho" apresentado por Rogério Skylab, esta entrevista ficou marcada pelo estado de Embriaguez de Júpiter, que, dito pelo próprio Júpiter, aquela foi a última vez que o Músico fez uso de drogas.

Morte e legado[editar | editar código-fonte]

Em 21 de dezembro de 2015, Júpiter foi encontrado caído no banheiro de sua residência. O serviço de emergência foi acionado, mas o músico veio a falecer em sua casa. Com a saúde frágil, ele morreu após uma queda no banheiro de sua casa, por ataque fulminante do miocárdio.

Para Frank Jorge, parceiro da época d'Os Cascavelletes e também uma referência no rock gaúcho, Flávio Basso deixa um grande legado como compositor e como criador[17]: "um criador incansável, um cara que fugia totalmente dos lugares-comuns, da previsibilidade".

Homenagens póstumas[editar | editar código-fonte]

Em 2016, Nei Van Soria, Frank Jorge, Alexandre Barea e Humberto "Cokeyne Bluesman" Petinelli, ex-integrantes dos Cascavelletes, reúnem-se em estúdio para gravar uma canção em sua homenagem. Intitulada "Balada para Flávio", a canção foi composta por Nei, logo após o último encontro com Flávio, em dezembro de 2015. A canção ganhou um videoclipe. Na descrição do vídeo, que também foi divulgado em seu perfil oficial no Facebook, Nei Van Soria conta sua trajetória ao lado de Basso: "O Flávio foi meu parceiro e amigo por mais de 30 anos! Nossa convivência ao longo desse tempo e a admiração que nutríamos um pelo outro mantinha-nos próximos, mesmo quando estávamos longe". O clipe começa com imagens de arquivo de Basso se apresentando com Os Cascavelletes e em carreira solo, para logo depois mostrar o músico contando sobre um possível filme sobre a história da banda: "Os Cascavelletes é uma banda revolucionária. O filme vai começar com Nei Van Soria tocando piano com uma cortina vermelha ao fundo". Em seguida, Nei aparece tocando.[18]

Em setembro de 2016 foi lançado o livro A Odisseia: Memórias e Devaneios de Jupiter Apple, uma autobiografia ficcional que Júpiter escreveu junto com o também músico Juli Manzi, a partir de 2014.[19]

Em 2019, o artista gaúcho de PsyTrance (estilo de música eletrônica) ''Basso'' fez uma homenagem a Júpiter Maçã em um EP de Progressive Psytrance intitulado ''Jupiter Apple'',[20] o EP conta com duas faixas inéditas ''Basso - Jupiter Apple'' e ''Basso - Éternité'', sendo que a segunda faixa ''Éternité'' possui a voz do próprio Júpiter Maçã, declamando uma linda mensagem sobre seu próprio trabalho, com trechos que foram retirados de entrevistas. O EP foi lançado pela gravadora alemã de PsyTrance, Parabola Music, distribuído pela Geomagnetic (EUA) e está disponível nos principais sites de vendas do mundo.[21]

Discografia[editar | editar código-fonte]

[22][23][24][25]

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Prêmio Açorianos[editar | editar código-fonte]

Ano Categoria Indicação Resultado
1999[26] Compositor de Pop/Rock Júpiter Apple Venceu

VMB MTV Brasil[editar | editar código-fonte]

Ano Categoria Indicação Resultado
2009 Videoclipe do Ano Jupiter Apple - Modern Kid (Direção: André Peniche) Indicado

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Morre em Porto Alegre aos 47 anos o músico Júpiter Maçã». G1. 21 de dezembro de 2015. Consultado em 21 de dezembro de 2015 
  2. Redação UOL (21 de dezembro de 2015). «Ícone do rock gaúcho, músico Júpiter Maçã morre aos 47 anos em Porto Alegre». UOL Entretenimento: Música. Consultado em 13 de janeiro de 2016 
  3. Eduardo Guimarães da Silveira. «Cascavelletes». Whiplash. Consultado em 26 de dezembro de 2015 
  4. Pedro Antunes e João Paulo Carvalho (21 de dezembro de 2015). «Morre Júpiter Maçã, ícone da psicodelia brasileira, aos 47 anos». Estadão Cultura Música. Consultado em 13 de janeiro de 2016 
  5. Alexandre Mathias (Outubro de 2007). «A Sétima Efervescência - Júpiter Maçã (1996, Antídoto)». Rolling Stone Brasil. Consultado em 13 de janeiro de 2016 
  6. «Entrevista de Júpiter Maçã à Giulianna Correia». TV Limão. Consultado em 28 de dezembro de 2015 
  7. Petaxxon Comunicação Online. «Biografia de TNT». Letras.com.br. Consultado em 28 de dezembro de 2015 
  8. «Linha do tempo: de Flávio Basso a Jupiter Apple, a carreira do artista (O início da carreira)». Zero Hora. Consultado em 28 de dezembro de 2015 
  9. MANN, Henrique. Som do sul - a história da música do Rio Grande do Sul no século XX. Porto Alegre: Editora Tchê, 2002, p. 90 e 91
  10. «Rock: Anos incríveis». Revista Superinteressante. Consultado em 28 de dezembro de 2015 
  11. Douglas Freitas, Gabriel Hoewell, Gilberto Sena. «Com quantos paus se faz rock'n'roll». Revista Bastião. Consultado em 28 de dezembro de 2015 
  12. «Exageradamente poeta». Revista Bastião. Consultado em 1 de setembro de 2014 
  13. «JM cai de prédio e é internado no HPS». O Globo 
  14. Gustavo Brigatti (1 de julho de 2014). «"Six Colours Frenesi" registra Jupiter Apple no palco do Opinião». Consultado em 13 de janeiro de 2016 
  15. Luiz Cesar Pimentel (27 de outubro de 2014). «Júpiter Apple está de volta! "Livre de químicas", com DVD novo…exclusivo!». Consultado em 13 de janeiro de 2016 
  16. Diego Camargo (7 de julho de 2014). «Jupiter Apple Release His First DVD». Consultado em 13 de janeiro de 2016 
  17. Jornal do Almoço (22 de dezembro de 2015). «Fãs e familiares se despedem de Júpiter Maçã, considerado um ícone do rock gaúcho». G1, RBS TV. Consultado em 28 de dezembro de 2015 
  18. «Nei Van Sória lança música em homenagem a Júpiter Maçã». Zero Hora. Consultado em 5 de julho de 2016 
  19. «"A odisseia - Memórias e devaneios de Jupiter Apple" reúne relatos que misturam fato e ficção». ZH 2014 
  20. «Jupiter Apple (Original Mix) de Basso no Beatport». www.beatport.com. Consultado em 6 de novembro de 2019 
  21. redação*, da. «DJ santa-mariense lança EP com gravadora alemã nesta sexta-feira». Diário de Santa Maria. Consultado em 6 de novembro de 2019 
  22. «Jupiter Maçã». Discogs. Consultado em 29 de dezembro de 2022 
  23. «Jupiter Apple». Discogs. Consultado em 29 de dezembro de 2022 
  24. «Júpiter Maçã no Apple Music». Apple Music. Consultado em 29 de dezembro de 2022 
  25. «Jupiter Apple no Apple Music». Apple Music. Consultado em 29 de dezembro de 2022 
  26. Prefeitura Municipal de Porto Alegre. «Vencedores do Prêmio Açorianos de Música - 1999». Consultado em 16 de abril de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]