O Signo do Caos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
O signo do caos
 Brasil
2003 •  P&B, cor •  80 min 
Direção Rogério Sganzerla
Roteiro Rogério Sganzerla
Elenco Otávio Terceiro
Sálvio do Prado
Camila Pitanga
Giovana Gold
Eduardo Cabus
Helena Ignez
Freddy Ribeiro
Gílson Moura
Felipe Murray
Vera Magalhães
Anita Terrana
Ruth Mezek
Djin Sganzerla
Género drama
Idioma português
Página no IMDb (em inglês)

O signo do caos é um filme brasileiro de 2003, do gênero drama, dirigido por Rogério Sganzerla. Em novembro de 2015 o filme entrou na lista feita pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine) dos 100 melhores filmes brasileiros de todos os tempos.[1]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Chega na alfândega do Rio de Janeiro uma carga de material cinematográfico. Mas o material só poderá ser liberado depois da análise pelo serviço de censura do governo. O responsável por isso é o dr. Amnésio.

Elenco[editar | editar código-fonte]

  • Otávio Terceiro .... dr. Amnésio
  • Sálvio do Prado .... Edgar Morel
  • Camila Pitanga .... Furacão de Santos
  • Giovanna Gold .... Aurora
  • Eduardo Cabus .... dr. Lourival Fontes
  • Helena Ignez .... Guida
  • Freddy Ribeiro .... Fred
  • Gilson Moura .... capanga contratado pelo DIP
  • Felipe Murray .... capanga contratado pelo DIP
  • Vera Magalhães .... convidada da festa
  • Anita Terrana .... convidada da festa
  • Ruth Mezek .... convidada da festa
  • Djin Sganzerla .... Lolita

Produção[editar | editar código-fonte]

O signo do caos foi a obra derradeira do cineasta, um exercício de experimentação formal rodado em 16 mm e 35 mm, misturando imagens em preto&branco e coloridas. Sganzerla expõe na obra um esboço dos problemas enfrentados pela classe cinematográfica nacional, usando uma trama com um pé no thriller policial noir. O filme é uma fábula, onde Sganzerla prova que é possível fazer cinema de qualidade no Brasil e gastar pouco (o orçamento do filme foi cerca de 800 mil reais).[carece de fontes?]

Referências

  1. André Dib (27 de novembro de 2015). «Abraccine organiza ranking dos 100 melhores filmes brasileiros». Abraccine. abraccine.org. Consultado em 26 de outubro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.