Onda de frio na Europa em janeiro de 2017

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gnome globe current event.svg
Este artigo ou seção é sobre um evento atual. A informação apresentada pode mudar rapidamente.
Editado pela última vez em 6 de abril de 2017.
Onda de frio na Europa em janeiro de 2017
P za d Aracoeli, ghiaccioli alla fontana P1130785.jpg

Uma fonte congelada em Roma em 7 de janeiro de 2017.

Tipo de tempestade:Onda de frio
Formada:5 de janeiro de 2017[1]
Temperatura mais baixa :-40 °C na Rússia
Danos:TBA
Fatalidades: mais de 60 mortes
Áreas afetadas:Europa Oriental, Europa Central, Itália, Rússia

Um período de tempo excepcionalmente frio e nevado em janeiro de 2017 causou mais de 45 mortes na Europa de Leste e Europa Central. Em algumas áreas, os voos e os serviços de transporte marítimo foram suspensos, e houve grandes interrupções no fornecimento de energia e outras infra-estruturas essenciais.[2] O clima foi o resultado de estacionário de alta pressão sobre a Europa Ocidental, resultando em fortes ventos que circulam do leste da Rússia para a Europa Oriental.[3] Entre as mortes, 10 foram registradas na Polônia, oito na Itália, três na República Checa, duas na Bulgária e uma na Grécia.[4]

Regiões abrangidas[editar | editar código-fonte]

O Rio Danúbio congelado em Budapeste

Na segunda semana de 2017 foram registados 48 casos de pessoas que morreram de frio na Polônia,[5] quando as temperaturas caíram abaixo de -20 °C.[6] Transporte público gratuito foi oferecido em Varsóvia e em Cracóvia em consequência do smog, resultado do tempo frio.[7] Sete mortes relacionadas com o frio foram relatadas na Itália, principalmente de pessoas sem-teto,[7] e partes do país experimentaram quedas excepcionais de neve, ventos fortes e temperaturas baixímas. Vários aeroportos foram fechados, incluindo na Sicília e em Bari e Brindisi.[7] A nevasca formou-se no Mar Adriático,[2] e as escolas no sul do país foram fechadas.[6]

Seis mortes foram relatadas na República Checa, principalmente de pessoas sem-teto.[7] Os corpos de três imigrantes foram encontrados perto da fronteira entre a Bulgária e Turquia.[2][7] A organização internacional Médicos Sem Fronteiras, tem levantado preocupações sobre o risco para os migrantes, especialmente cerca de 2000 pessoas que vivem em Belgrado.[7] O Bósforo foi fechado para o transporte marítimo depois de uma tempestade de neve que também afetou serviços em Istambul, Turquia, onde mais de 650 voos foram suspensos.[2][6][7] As nevascas na Bulgária também afetaram partes da Romênia e Ucrânia,[3] e os embarques no Danúbio foram suspensos.[2][7]

Referências

  1. «Arctic outbreak evolution and snowfall forecast, Jan 5-7, 2017». Severe Weather Europe 
  2. a b c d e Rawlinson, Kevin; Press, Associated (8 de janeiro de 2017). «Freezing conditions cause death and chaos across Europe». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077 
  3. a b «Winter digs in across Central and Eastern Europe». www.aljazeera.com. Consultado em 10 de janeiro de 2017 
  4. «Onda de frio na Europa causa mais de 30 mortes - ISTOÉ Independente». ISTOÉ Independente. 9 de janeiro de 2017 
  5. «Mróz w Polsce wciąż zabija. Od listopada zmarło już 61 osób». tvnmeteo.tvn24.pl. Consultado em 11 de janeiro de 2017 
  6. a b c «Snowstorms hold mainland Europe in an icy grip as scores succumb to bitterly cold weather». The Telegraph 
  7. a b c d e f g h «Europe cold weather death toll rises». BBC News (em inglês). 9 de janeiro de 2017