Os Meninos da Rua Paulo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Os Meninos da Rua Paulo (desambiguação).
Os Meninos da Rua Paulo
A Pál utcai fiúk
Os Meninos da Rua Paulo (BR)
Autor(es) Ferenc Molnár
Idioma húngaro
País  Hungria
Género drama e comédia
Linha temporal 1889
Localização espacial Hungria
Lançamento 1907
Edição brasileira
Tradução Paulo Rónai
Editora Saraiva
Lançamento 1952
Páginas 189

Os Meninos da Rua Paulo (em húngaro A Pál utcai fiúk) é um romance juvenil escrito pelo jornalista e escritor húngaro Ferenc Molnár, publicado pela primeira vez em 1907.[1][2][3] É considerado o livro húngaro mais conhecido ao redor do mundo, tendo sido adaptado para o cinema em diversas línguas. Também alveja o público adulto para denunciar a falta de espaço para jovens na sociedade, e a violência psicológica que os meninos sofreram pelo "sistema de guerra" vivido no contexto histórico.

A popularidade internacional se intensificou por ser uma história não só metafórica em relação a transição a vida adulta, como também por ser considerada uma narrativa que poderia ter acontecido em qualquer lugar do mundo.

No Brasil, o livro foi publicado pela primeira vez em 1952 pela Coleção Saraiva, com tradução de Paulo Rónai e revisão de Aurélio Buarque de Holanda.[4] Na década de 1980, a editora Ediouro publicou a obra na Coleção Elefante.[5] Em 2005, a editora Cosac Naify relançou a obra.[6] Posteriormente, em 2017, a Companhia das Letras, após comprar os direitos da Cosac, reeditou a obra.[7][8]

Enredo[editar | editar código-fonte]

O romance é sobre meninos de escola, no bairro de Józsefváros, em Budapeste e é ambientado em 1889. Os meninos passam seu tempo em uma área aberta, sem prédios, um terreno baldio que eles consideram sua "pátria". A história tem dois protagonistas principais, János Boka (o honrado líder dos "Meninos da Rua Paulo") e Ernő Nemecsek (o menor membro do grupo).

Quando os "Redshirts" - outra gangue de meninos, liderada por Feri Áts, que se reúnem nos jardins próximos - tentam tomar a área, os meninos são forçados a se defender de maneira militar.

Embora os Meninos da Rua Paulo ganhem a guerra e o pequeno Nemecsek demonstre repetidamente que sua bravura e lealdade superam seu tamanho, o livro termina em tragédia.

Adaptações[editar | editar código-fonte]

Cinema[editar | editar código-fonte]

O livro foi adaptado pela primeira vez em 1917, para o cinema mudo. O filme foi dirigido por Béla Balogh, com Gyárfás László (Boka), Hatvani János (Nemecsek), Weisz Jenő (Geréb) e Drávai Sándor (Áts Feri).[9][10] A segunda adaptação também foi dirigida e roteirizada por Béla Balogh, em 1924, com Faragó Gyuri (Nemecsek), Verebes Ernő (Boka), Szécsi Ferkó (Geréb), Barabás István (Áts Feri) e Pártos Frigyes (Csónakos).[11]

Em 1934, o livro ganhou uma adaptação estadounidense, com o título No greater glory, com direção de Frank Borzage e roteiro de Jo Swerling, com George P. Breakston (Nemecsek), Jimmy Butler (Boka), Jackie Searl (Gereb), Frankie Darro (Áts Feri), Donald Haines (Csónakos), Wesley Giraud (Kolnay) e Beaudine Anderson (Csele).[12]

Música[editar | editar código-fonte]

Em 1991, o Ira!, banda brasileira de rock, lançou o álbum "Meninos da Rua Paulo", com duas faixas musicais em referência à obra de Ferenc Molnár: "Rua Paulo" e "Os meninos da rua Paulo".[13]

Legado[editar | editar código-fonte]

Escultura dos Meninos da Rua Paulo em Budapeste, de Szanyi Péter
  • O livro tem sido considerado o mais conhecido livro húngaro através do mundo. Foi traduzido para várias línguas e em diversos países tem sido recomendado nas escolas. Ernesto Nemecsek tem estado no ranking dos heróis da literatura juvenil, tais como Oliver Twist, Tom Sawyer e Huckleberry Finn.
  • Constantemente a história tem sido transformada em peça.
  • A história foi adaptada para o teatro em 1992, no Brasil, com enorme sucesso. No elenco, atores como Selton Mello, Marcelo Serrado, Oberdan Junior e Michel Bercovith, entre outros. Houve uma montagem teatral, no começo dos anos 70, em São Paulo.

Referências

  1. «Michel Laub e Luiz Schwarcz conversam sobre "Os meninos da Rua Paulo" - Blog da Companhia das Letras». Blog da Companhia. 2 de fevereiro de 2017. Consultado em 15 de abril de 2021. Cópia arquivada em 24 de setembro de 2020 
  2. Trigo, Luciano (5 de fevereiro de 2017). «'Os meninos da Rua Paulo': Os desafios da passagem para a vida adulta | G1 - Pop & Arte». Máquina de Escrever. Consultado em 15 de abril de 2021. Cópia arquivada em 11 de fevereiro de 2017 
  3. Molnár, Ferenc (2005). Os meninos da rua Paulo. São Paulo: Cosac Naify. p. 11. ISBN 9788575034316 
  4. Molnár, Ferenc (2005). Os meninos da rua Paulo. São Paulo: Cosac Naify. p. 13, 256. ISBN 9788575034316 
  5. Molnár, Ferenc (1980). Os meninos da Rua Paulo. Rio de Janeiro: Tecnoprint 
  6. Molnár, Ferenc (2005). Os meninos da rua Paulo. São Paulo: Cosac Naify. ISBN 9788575034316 
  7. «OS MENINOS DA RUA PAULO - Grupo Companhia das Letras». Companhia das Letras. Consultado em 19 de julho de 2017. Cópia arquivada em 30 de outubro de 2020 
  8. Molnár, Ferenc (2017). Os meninos da rua Paulo. São Paulo: Companhia das Letras. ISBN 9788535928464 
  9. «A PÁL-UTCAI FIÚK (1917)». Hangosfilm (em húngaro). Consultado em 15 de abril de 2021. Cópia arquivada em 27 de novembro de 2020 
  10. «A Pál-utcai fiúk». Kriticus Tömeg. Consultado em 15 de abril de 2021. Cópia arquivada em 15 de abril de 2021 
  11. «A PÁL-UTCAI FIÚK (1924)». Hangosfilm. Consultado em 15 de abril de 2021. Cópia arquivada em 15 de abril de 2021 
  12. «No Greater Glory (1934)». Kriticus Tömeg. Consultado em 15 de abril de 2021. Cópia arquivada em 21 de junho de 2016 
  13. «Discografia». IRA!. 30 de janeiro de 2014. Consultado em 15 de abril de 2021. Cópia arquivada em 26 de janeiro de 2021 
Ícone de esboço Este artigo sobre um livro é um esboço relacionado ao Projeto Literatura. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.