Osvaldo Arthur Bratke

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Oswaldo Arthur Bratke
Nascimento 24 de agosto de 1907
Botucatu, São Paulo
Morte 6 de julho de 1997 (89 anos)
São Paulo, São Paulo
Nacionalidade Brasileiro
Ocupação Arquiteto

Oswaldo Arthur Bratke[1] (Botucatu, 24 de agosto de 1907 - São Paulo, 6 de julho de 1997) foi um dos principais nomes da arquitetura paulista.

Em 1926 entrou na Escola de Engenharia da Universidade Mackenzie. Ainda como estudante, venceu o concurso para o Viaduto Boa Vista, em São Paulo. Diplomou-se em 1931 como arquiteto-engenheiro.

Dois anos depois começa uma sociedade com o arquiteto Carlos Botti, com quem realiza inúmeros projetos residenciais, principalmente em São Paulo e em 1938 ele desenvolve o projeto de reforma e ampliação do Parque Balneário de Santos e do Gran Hotel de Campos do Jordão.

Quando em 1942 Botti morre, Oswaldo começa uma carreira solitária e continua desenvolvendo projetos residenciais e trabalha também com planejamento urbanístico.

É reconhecido pelos seus inúmeros projetos de residências. Seu filho Carlos Bratke formou-se pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie, em 1967 e é conhecido por seus vários projetos na avenida Berrini em São Paulo e por projetar os relógios públicos dessa mesma cidade.

Principais obras[editar | editar código-fonte]

Fundação Maria Luisa e Oscar Americano

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Osvaldo Arthur Bratke

Referências

  1. Pela grafia original do nome, Oswaldo Arthur Bratke.
  2. Hugo Segawa (1997). «Estações da Companhia Mogiana de Estradas de Ferro». Livro "Oswaldo Arthur Bratke", p. 213-216/ republicado por Centro Oeste. Consultado em 30 de setembro de 2020