Otis Rush

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Gnome globe current event.svg
Este artigo ou seção é sobre alguém que morreu recentemente.
A informação apresentada pode mudar com frequência. Não adicione especulações, nem texto sem referência a fontes confiáveis. (data da marcação: 03 de outubro de 2018; editado pela última vez em 22 de outubro de 2018)
Twemoji 1f464.svg
Otis Rush
Otis Rush at Notodden bluesfestival.jpg
Otis Rush no Notodden bluesfestival em 1997
Informação geral
Nome completo Otis Rush Jr.
Nascimento 29 de abril de 1934
Origem Filadelfia, Mississippi
Morte 29 de setembro de 2018 (84 anos)
Gênero(s) Chicago blues
Electric blues
Instrumento(s) voz, guitarra
Período em atividade 19562004
Gravadora(s) Cobra, Chess, Duke, Vanguard, Cotillion, Bullfrog, Black & Blue, Delmark, Sonet, Blind Pig, This Way Up, House of Blues
Página oficial http://www.otisrush.net/

Otis Rush Jr., conhecido simplesmente por Otis Rush (Filadélfia, 29 de abril de 1934 - 29 de setembro de 2018) foi um cantor e guitarrista de blues estadunidense.

Considerado o 53º melhor guitarrista de todos os tempos pela revista norte-americana Rolling Stone,[1] Rush era canhoto e usava a guitarra para destros simplesmente virada ao contrário, sem trocar o encordoamento. Com isso, a corda mais fina (E) ficava em cima, e os bends tinham que ser realizados para baixo, contribuindo para seu som distinto. Outros guitarristas que utilizam o instrumento dessa maneira são Albert King, Dick Dale e Edgard Scandurra. Outra de suas características era quase sempre aparecer em público usando o seu indefectível chapéu de cowboy.

Inovador e inventor do estilo que ficou conhecido como "West Side Chicago Blues" - um blues ao mesmo tempo mais lírico e mais ritmicamente complexo - servindo de influência a guitarristas de renome, como Eric Clapton, Jimmy Page, Stevie Ray Vaughan, Johnny Winter e Duane Allman.[2] Por conta disso, Otis figura no panteão do Blues, ao lado de nomes como Buddy Guy e Magic Sam.

Suas obras mais famosas são "All Your Love (I Miss Loving)", "I Can't Quit You Baby" - que mais tarde seria regravada pelo Led Zeppelin e também pelos Rolling Stones - e "Double Trouble", que foi homenageada pelo Stevie Ray Vaughan que assim nomeou sua banda.[3] Ao longo de sua trajetória musical, recebeu 5 indicações ao Grammy Awards, tendo vencido em 1999 na categoria Melhor Álbum de Blues Tradicional com o álbum Any Place I'm Going.[4]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Rush iniciou sua carreira musical depois de se mudar para Chicago, Illinois em 1948 tocando em bares e clubes na cena de blues do sul e oeste, entre 1956 e 1958 gravou oito singles pela Cobra Records, alguns com participação de Ike Turner ou Jody Williams.[5] Seu primeiro single "I can't quit you baby" alcançou o sexto lugar nas paradas de sucesso R&B da revista Billboard.

Depois da falência da Cobra Records em 1959, Rush passou a gravar pela Chess Records.[5] Gravou apenas oito músicas nessa gravadora, elas foram lançadas na compilação "Door to door" em 1969 que também conta com músicas de Albert King.

Em 2004 Rush sofreu um infarto e precisou se afastar dos palcos.

Morte[editar | editar código-fonte]

Otis veio a falecer no dia 29 de setembro de 2018, aos 84 anos, vitimado por complicações do acidente vascular cerebral. Sua morte foi anunciada em seu site por sua esposa Masaki.[6]

Prêmios e Indicações[editar | editar código-fonte]

Ano Prêmio Categoria Trabalho Indicado Resultado Ref.
1979 20th Annual Grammy Awards Best Ethnic or Traditional Folk Recording Right Place, Wrong Time Indicado [4]
1979 22nd Annual Grammy Awards Best Ethnic or Traditional Folk Recording So Many Roads Indicado [4]
1995 37th Annual Grammy Awards Best Traditional Blues Album Ain't Enough Comin' In Indicado [4]
1999 41st Annual Grammy Awards Best Traditional Blues Album Any Place I'm Going Venceu [4]
2008 50th Annual Grammy Awards Best Traditional Blues Album Live... and in Concert from San Francisco Indicado [7]

Honrarias[editar | editar código-fonte]

  • Em 1984 Rush foi induzido ao Blues Hall of Fame.[8]
  • Em 2010, foi agraciado com um Lifetime Achievement Award da revista Blues Blast Magazine.[9]
  • Em 2015, a Rolling Stone o colocou na posição 53 de sua lista dos 100 maiores guitarristas de todos os tempos.[1]
  • Em 20 de abril de 2018, Otis recebeu um Lifetime Achievement Award da Jazz Foundation of America "por toda uma vida de gênio e deixando uma marca indelével no mundo do blues e da linguagem universal da música".[10]

Estilo e Características[editar | editar código-fonte]

Rush tinha um estilo único de tocar sua guitarra que apresentava um som lento, ardente e glissando. Inovador, é creditado a ele a invenção de um estilo que ficou conhecido como "West Side Chicago Blues" - um blues eletrificado, ao mesmo tempo mais lírico e mais ritmicamente complexo - que serviu de influência a guitarristas de renome, como Eric Clapton, Jimmy Page, Stevie Ray Vaughan, Johnny Winter e Duane Allman[2]

Sobre seu naipe vocal, para Bill Dahl, do allmusic.com, Rush tinha uma "voz de tenor abrangente e poderosa".[5]

Outra de suas características era quase sempre aparecer em público usando o seu indefectível chapéu de cowboy.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

Coletâneas[editar | editar código-fonte]

Singles[editar | editar código-fonte]

  • 1956 "I Can't Quit You Baby" / "Sit Down Baby" (Cobra 5000)
  • 1956 "My Love Will Never Die" / "Violent Love" (Cobra 5005)
  • 1957 "Groaning the Blues" / "If You Were Mine" (Cobra 5010)
  • 1957 "Jump Sister Bessie" / "Love That Woman" (Cobra 5015)
  • 1957 "She's a Good 'Un" / "Three Times a Fool" (Cobra 5023)
  • 1958 "Checking on My Baby" / "It Takes Time" (Cobra 5027)
  • 1958 "Double Trouble" / "Keep On Loving Me Baby" (Cobra 5030)
  • 1958 "All Your Love (I Miss Loving)" / "My Baby's a Good 'Un" (Cobra 5032)
  • 1960 "So Many Roads So Many Trains" / "I'm Satisfied" (Chess 1751)
  • 1960 "You Know My Love" / "I Can't Stop Baby" (Chess 1775)
  • 1962 "Homework" / "I Have to Laugh" (Duke 356)
  • 1969 "Gambler's Blues" / "You're Killing My Love" (Cotillion 44032)

DVDs[editar | editar código-fonte]

  • 2003 Live Part One (Blues Express)
  • 2006 Live at Montreux 1986 (Eagle Rock Entertainment)

Referências

  1. a b «The 100 Greatest Guitarists of All Time: Otis Rush» (em inglês). Rolling Stone. Consultado em 16 de fevereiro de 2012 
  2. a b terra.com.br/ Morre o guitarrista Otis Rush, um dos maiores nomes do blues
  3. registadeu.com.br/ A vida, obra e até a morte de Otis Rush foram ignoradas no Brasil
  4. a b c d e grammy.com/ GRAMMY Award Results for Otis Rush
  5. a b c Bill Dahl. «Otis Rush Biography». AllMusic. Consultado em 17 de fevereiro de 2016  Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome "AMG" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes
  6. OtisRush.net. Retrieved 29 September 2018
  7. articles.southbendtribune.com/ 50th Annual Grammy Awards nominees
  8. «Otis Rush». Msbluestrail.org. Consultado em 27 de dezembro de 2017 
  9. bluesblastmagazine.com/ 2010 Blues Blast Music Awards
  10. «Jazz Foundation Taps Brittany Howard, Chevy Chase, Bruce Willis, & More For Annual Gala». 18 de abril de 2018. Consultado em 29 de setembro de 2018 
Ícone de esboço Este artigo sobre guitarristas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.