Pórtico dos Deuses

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Pórtico dos Deuses
Reconstrução do Pórtico dos Deuses
Tipo Pórtico
Construção Século I d.C.
Geografia
País Itália
Cidade Roma
Localidade Regio IX - Circo Flamínio
Coordenadas 41° 53' 51.01" N 12° 28' 44.82" E
Pórtico dos Deuses está localizado em: Roma
Pórtico dos Deuses
Pórtico dos Deuses

Pórtico dos Deuses (em latim: Porticus Divorum) era uma área religiosa localizada no Campo de Marte da Roma Antiga e que compreendia dois pequenos templos: o Templo do Divino Tito[1] e um templo que se presume ter sido o Templo do Divino Vespasiano[2].

O complexo todo era chamado também de Templu Divorum ou, mais comumente, apenas de Divorum[2].

História[editar | editar código-fonte]

O Pórtico dos Deuses foi encomendado pelo imperador romano Domiciano[2], como confirma o historiador Eutrópio:

Domiciano realizou muitas obras em Roma, entre elas o Capitólio e o Fórum Transitório, o Pórtico dos Deuses, [e os templos] de Ísis e de Serápis e o estádio.
 

Depois do século IV não há mais referências ao pórtico e presume-se que tenha sido demolido para que fossem aproveitados seus materiais de construção. Apesar disto, seu nome se conservou como "Diburi" ou "Diburo" (de "Divorum") em documentos medievais relativos ao mosteiro de San Ciriaco in Camilliano (onde hoje está a igreja de Santa Maria in Via Lata)[2].

Descrição[editar | editar código-fonte]

O pórtico, que se estendia ao longo da Via Lata[3] e ficava ao lado do Saepta Julia e das Termas de Agripa, é descrito em onze fragmentos do "Plano de Mármore" da época severiana[2]. Segundo ele, media 194 x 77 metros[2]. O local onde foi construído provavelmente era parte da Vila Pública[3].

O acesso ao pórtico se dava pelo norte através de um arco triplo. No interior estavam dois pequenos templos tetrastilos prostilos já citados, um dedicado ao divino Tito e outro, presumivelmente, a seu pai, Vespasiano[2], um de frente para o outro[3]. O pórtico tinha trinta colunas no lado mais longo e dezesseis no mais curto. Finalmente, havia ainda um altar e um pequeno bosque[2].

Na moderna Roma, o pórtico se estendia da Piazza Grazioli pela Via di San Marco e sua área corresponde, a grosso modo, ao ocupado pelo Palazzo Venezia[2]. Atualmente não há vestígios visíveis do pórtico.

Localização[editar | editar código-fonte]

Planimetria do Campo de Marte central

Plan champ de mars centre.png

Ínsulas

da época

de Adriano
Galpões
militares?
Galpões
militares?
Galpões
militares?
Quartel da
I coorte
dos vigiles
Pórtico e Templo
de Bom Evento


Referências

  1. CIL VI, 10234, linhas 8, 10 e 23
  2. a b c d e f g h i Samuel Ball Platner, A Topographical Dictionary of Ancient Rome, Oxford University Press, Londra, 1929, pagg. 152-153.
  3. a b c L. Richardson jr., A New Topographical Dictionary of Ancient Rome, JHU Press, 1992, ISBN 978-0801843006, pag. 111.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Platner, Samuel Ball (1929). A Topographical Dictionary of Ancient Rome (em inglês). Londres: Oxford University Press 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]