Paolo Giordano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde novembro de 2016). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Paolo Giordano
Nascimento 19 de dezembro de 1982 (36 anos)
Turim,  Itália
Género literário Romance, conto
Movimento literário Pós-modernismo

Paolo Giordano (Turim, 19 de dezembro de 1982), é um escritor italiano vencedor do Prêmio Strega 2008 com sua primeira novela, A solidão dos números primos.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Paolo Giordano vive em San Mauro Torinese, a sua terra de origem.[1] Seu pai, Bruno, é ginecólogo, enquanto sua mãe, Iside, é professora de inglês; Tem uma irmã mais velha.[2][3][1] Em 2001 licenciou-se com uma qualificação excepcional (100/100) no liceu científico estatal Gino Segré de Turín.[4][5] Finalizou sua licenciatura (laurea especialistica, grau universitário italiana) em Física das interacções fundamentais, graduando-se cum laude na Universidade de Turim com uma tese considerada das melhores.[6] Obteve uma bolsa para realizar um doutoramento em física de partículas na Escola de Doutoramentos em Ciência e Alta tecnologia da mesma institutição. Tem pesquisado as propriedades do quark fundo num projecto cofinanciado pelo Instituto Nacional de Física Nuclear de Itália, e em particular, a descomposição inclusiva do mesón B no canal semileptónico e radiativo.

[7][8]

Chegou à fama com a publicação de sua primeira novela, A solidão dos números primos (2008), que ganhou nesse mesmo ano os prêmios Campiello de melhor opera prima, Fiesole de narrativa de autores menores de 40 e o Strega, convertendo-se aos 26 anos no escritor mais jovem a ter vencido este último reconhecimento literário.[9][10] Segundo Tuttolibri, o suplemento cultural do diário La Stampa, foi o livro mais vendido em Itália em 2008, com mais de um milhão de cópias.[11] A novela sobre Mattia e Alice — que, como explica Giordano, eram dois números primos gémeos, sozinhos e perdidos, juntos mas não o bastante para cobrir a verdade— foi levada ao cinema em 2010 pelo director Saverio Costanzo; o papel de Mattia foi interpretado por Luca Marinelli na sua estreia no ecrã grande, enquanto de Alice foi interpretado pela florentina Alba Rohrwacher.

Após este sucesso, publicou El cuerpo humano (2012) e Il nero e l’argento (2014; traduzida ao espanhol com o título de Como da família).

Entre 2006-2007, Giordano frequentou dois cursos externos da Escola Holden, onde conheceu a Raffaella Lops, que posteriormente se converteu em seu agente e editora.[1]

Tem uma secção na revista Gioia, onde escreve relatos curtos tomando como ponto de partida uma notícia de actualidade e um número.[12] Depois de visitar em 2006 um projecto de Médicos Sem Fronteiras em Kinshasa, na República Democrática do Congo, onde a organização assiste doentes de Aids e prostitutas do bairro de Masina, escreveu o relato Mundele (o alvo), apresentado a 16 de maio de 2008 em Milão.[13][14]

Tem assistido a diversos festivais, entre eles ao Hay enCartagena 2010; em 2010-2012 esteve como escritor com o exército italiano em Afeganistão; foi jurado do Festival da Canção de San Remo 2013; suas obras têm sido traduzidas a vários idiomas.[15]

Obras[editar | editar código-fonte]

Romances[editar | editar código-fonte]

  • A solitudine dei numeri primi, 2008 — A solidão dos números primos, trad.: Juan Manuel Salmerón Arjona; Salamandra, Barcelona, 2009
  • Il corpo umano, 2012 — O corpo humano, trad.: Patricia Orts; Salamandra, Barcelona[16]
  • Il nero e l’argento, 2014 — Como da família, trad.: Carlos Maior, Salamandra, Barcelona[17]

Relatos[editar | editar código-fonte]

Publicações científicas.[editar | editar código-fonte]

  • Paolo Gambino, Paolo Giordano, Giovanni Ossola, Nikolai Uraltsev, Inclusive semileptonic B decays and the determination of |Vub|, Journal of High Energy Physics, n. 10, outubro de 2007, p. 58.
  • Paolo Giordano, Inclusive semileptonic B decays and the determination of |Vub|, Journal of Physics: Conference Séries, v. 110, 30 de junho de 2008.
  • Paolo Gambino, Paolo Giordano, Normalizing inclusive rare B decays, Physics Letter B, maio de 2008.

Referências

  1. a b c Giordano.
  2. Cristina Tagliabue.
  3. Foto Arquivado em 14 de janeiro de 2009, no Wayback Machine. della premiazione dello Strega, 3 de julio de 2008.
  4. Intervista di Mirella Serra, "Io, Baricco non lo conosco", La Stampa, 5 luglio 2008
  5. Mario Porqueddu, Con me tornò la severità, buttai il tema, Corriere della Sera, 25 giugno 2009
  6. Los mejores laureados Arquivado em 8 de agosto de 2009, no Wayback Machine. de la Universidad de Turín en la inauguración del año académico 2007-2008.
  7. Elogios del presidente del INFN al físico ganador del Premio Strega, Istituto Nazionale di Fisica Nucleare, 4 de julio de 2008.
  8. Informe de primer año Arquivado em 17 de abril de 2009, no Wayback Machine. - Scuola di dottorato in Scienza e Alta tecnologia de Turín, orientación en Física y Astrofísica.
  9. Paolo Giordano vincitore del Premio Fiesole Narrativa Under 40 ed. 2008 Arquivado em 11 de janeiro de 2012, no Wayback Machine., Comune di Fiesole, 19 novembre 2008.
  10. Paolo Fallai, Strega, trionfa l'esordiente Giordano, Corriere della Sera, 4 luglio 2008.
  11. Luciano Genta, Giordano è il numero primo Arquivado em 26 de janeiro de 2010, no Wayback Machine., La Stampa
  12. La matematica e lo stile Arquivado em 6 de maio de 2006, no Wayback Machine., entrevista de Stefania Leo a Giordano, Raramente.net, 12 de junio de 2008
  13. Mondi al limite Arquivado em 26 de agosto de 2009, no Wayback Machine. - Medici Senza Frontiere
  14. Paolo Giordano, Kinshasa, il destino è un numero colorato Arquivado em 19 de novembro de 2011, no Wayback Machine., La Stampa, 16 de mayo de 2008
  15. Entrevistado por Alberto Ojeda en 2013
  16. «Información bibliográfica sobre la edición en español». Consultado em 27 de novembro de 2015. Arquivado do original em 7 de abril de 2014 
  17. Entrevista de Paolo Giordano a ABC