Pardal-de-garganta-amarela

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaPardal-de-garganta-amarela
Um macho

Um macho
Estado de conservação
Espécie pouco preocupante
Pouco preocupante (IUCN 3.1)
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Passeriformes
Família: Passeridae
Género: Gymnoris
Espécie: G. xanthocollis
Nome binomial
Gymnoris xanthocollis
Burton, 1838
Sinónimos
Petronia xanthocollis

O Pardal-de-garganta-amarela (nome científico: Gymnoris xanthocollis, antiga nomenclatura: Petronia xanthocollis)[1] é uma espécie de ave da família Passeridae. É nativa do Afeganistão, Catar, Emirados Árabes Unidos, Índia, Irão, Iraque, Kuwait, Nepal, Omã, Paquistão, Síria e Turquia e pode ser encontrada no Bahrein, Israel, Líbano, Arábia Saudita e Sri Lanka.

Habitat[editar | editar código-fonte]

Pode ser encontrada em áreas abertas, em colinas ou margens de rios com árvores, também podendo ser encontrada em áreas de cultivo com árvores secas e vilas e áreas desabitadas com jardins.[2]

Reprodução[editar | editar código-fonte]

Se reproduz entre abril e julho no Iraque e no Afeganistão e entre fevereiro e maio e não se conhece seu período reprodutivo na Europa. O ninho é construído com tufos de cabelo, penas, relva, e pelos e forrado com penas, onde as cavidades restantes são preenchidas. São construídos em áreas cobertas, incluindo fendas em árvores, buracos em muros e construções e pode fazê-lo em ninhos antigos de outra espécie. Põe entre três e quatro ovos.[2]

Alimentação[editar | editar código-fonte]

Um espécime se alimentando de pequenas frutas.

Se alimenta de vegetais, principalmente de sementes, como cereais cultivados e também de pequenas frutas e néctar. Durante a época reprodutiva, podem comer insectos.[2]

Migração[editar | editar código-fonte]

É migrante no oeste do Paleártico. No norte e noroeste da área de ocorrência, a espécie migra do leste da Turquia para o Paquistão e o norte da Índia durante o verão. No sul a espécie é semi-migrante com alguns espécimes migrando para o sul da área de reprodução no inverno.[2]

Referências