Partido Comunista da Turquia/Marxista-Leninista

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Partido Comunista da Turquia/Marxista-Leninista
Türkiye Komünist Partisi/Marksist-Leninist
Viva o nosso partido TKP/ML
e o Exército Popular TİKKO, TMLGB
Secretário-geral 1. İbrahim Kaypakkaya[1]
2. Süleyman Cihan[1]
3. Kazım Çelik[1]
4. Mehmet Demirdağ[1]
5. Desconhecido[nota 1]
Fundador İbrahim Kaypakkaya
Fundação 24 de abril de 1972 (49 anos)
Ideologia Comunismo
Marxismo-Leninismo-Maoismo
Anti-imperialismo
Pensamento Gonzalo[2]
Espetro político Extrema-esquerda
Publicação Revista: Komünist
(Comunista)
Jornal: İşçi-Köylü Kurtuluşu
(Libertação dos Trabalhadores e Camponeses)
Ala jovem União da Juventude Marxista-Leninista da Turquia
Ala armada Exército de Libertação dos Trabalhadores e Camponeses da Turquia (TİKKO)
Dividiu-se de Partido Revolucionário dos Trabalhadores e Camponeses da Turquia
Afiliação nacional (anteriormente) Movimento Revolucionário Unido dos Povos[3][4]
Afiliação internacional Coordenação Internacional de Partidos e Organizações Revolucionárias
Conferência Internacional de Partidos e Organizações Marxistas-Leninistas (Boletim Internacional) (anteriormente)
Movimento Revolucionário Internacionalista
Batalhão Internacional da Liberdade
Movimento Comunista Internacional
Bandeira do partido
Flag of Communist Party of Turkey-Marxist–Leninist.svg
Página oficial
www.tkpml.com
Política da Turquia

Partidos políticos

Eleições

O Partido Comunista da Turquia/Marxista-Leninista (em turco: Türkiye Komünist Partisi/Marksist-Leninist, abreviado como TKP/ML) é uma organização insurgente maoísta da Turquia que realiza uma guerra popular prolongada contra o governo turco. Foi fundada em 1972 por um grupo dissidente do Partido Revolucionário dos Trabalhadores e Camponeses da Turquia (PRTCT), liderado por İbrahim Kaypakkaya como TKP (M-L). Os fundadores do TKP (M-L) eram os ex-membros do PRTCT que desejavam realizar a luta armada.

O TKP/ML participa da Conferência Internacional de Partidos e Organizações Marxistas-Leninistas e do Movimento Comunista Internacional.[5] O TKP/ML é listado como uma organização terrorista pela governo turco.

Organização[editar | editar código-fonte]

TİKKO
Türkiye İşçi Köylü Kurtuluş Ordusu
Participante na Violência política na Turquia (1976–1980), Insurgência maoísta na Turquia, Guerra Civil Síria
Organização
Parte de Partido Comunista da Turquia/Marxista-Leninista
Área de
operações
Turquia, Rojava
Relação com outros grupos
Aliados Movimento Revolucionário Unido dos Povos
Inimigos  Turquia
Exército Nacional Sírio
 Estado Islâmico do Iraque e do Levante
Conflitos
Insurgência maoísta na Turquia
Cerco de Kobanî
Ofensiva de Manbij
Ofensiva de Al-Hawl
Ofensiva de Al-Shaddadi
Campanha de Raqqa (2016–2017)
(Batalha de Raqqa (2017))
Operação Ramo de Oliveira

A ala armada do partido é nomeada Exército de Libertação dos Trabalhadores e Camponeses da Turquia (Türkiye İşci e Köylü Kurtuluş Ordusu em turco, abreviado como TİKKO).

A União da Juventude Marxista-Leninista da Turquia (Türkiye Marksist Leninist Gençlik Birliği em turco, abreviada como TMLGB) é a organização de jovens da TKP/ML. A TMLGB, fundada em 1972 como uma organização para jovens trabalhadores, camponeses, estudantes e outros jovens de diferentes setores produtivos do Comitê da Província de Istambul. Mehmet Zeki Şerit (falecido em 1977 sob tortura) foi o primeiro presidente até sua designação para outro cargo no mesmo ano. A TMLGB não funcionou ativamente até seu primeiro congresso em 1987.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Após o memorando militar de 1971, o governo turco reprimiu o movimento comunista na Turquia. İbrahim Kaypakkaya e vários de seus colegas foram presos. A maquinaria do partido havia sido destruída, enquanto Kaypakkaya havia morrido na prisão em 1973 por tortura.

O Partido Comunista da Turquia (Marxista-Leninista) se reorganizou entre 1973 e 1978. O primeiro congresso do partido ocorreu em 1978 (TKP (M-L) I. Kongresi em turco). Em 1981, o segundo congresso foi organizado (TKP (M-L) II. Kongresi). O partido se dividiu após o segundo congresso, o grupo dissidente adotou o nome TKP/ML (Bolşevik), mais tarde Partido Bolchevique (Curdistão do Norte-Turquia).

Esta não foi a primeira nem a última divisão do partido. O Partido Comunista da Turquia/Marxista-Leninista – Hareketi já havia se separado (1976) durante o período de reorganização. Outras divisões se seguiram ao segundo congresso: Partido Comunista da Turquia/Marxista-Leninista (Partidário Revolucionário) (1987), Partido Comunista da Turquia/Marxista-Leninista (Centro do Partido Maoista) (1987) e Partido Comunista da Turquia (Marxista-Leninista) (1994).

Atividades[editar | editar código-fonte]

Em 17 de maio de 1985, a TKP-ML transmitiu uma mensagem de propaganda a milhões de telespectadores em Istambul, substituindo a trilha sonora do noticiário da noite.[6]

Em 29 de junho de 2010, duas guerrilhas da TİKKO foram mortos nas montanhas de Tunceli pelas forças estatais turcas.

Em 2 de fevereiro de 2011, cinco guerrilhas da TİKKO morreram em uma avalanche em Tunceli.[7][8]

Em 26 de julho de 2013, o prédio de controle de regulador de uma usina hidrelétrica foi bombardeado no interior da província de Tunceli por militantes da TİKKO.

Em 14 de março de 2014, os guerrilheiros da TİKKO atacaram uma delegacia de polícia em Tunceli. A TKP-ML declarou que o ataque foi uma vingança pela morte de Berkin Elvan.[9][10]

Em 2016, a organização supostamente sequestrou Erkan Doğan, um civil, que foi encontrado mais tarde executado.[11]

Luta contra o Estado Islâmico[editar | editar código-fonte]

Em 2014 a organização enviou um grupo de combatentes para apoiar os curdos e outras minorias na luta contra o EIIL em Kobanî. Desde então, o grupo treina e apoia ativamente as minorias na luta contra os grupos extremistas.

Em 25 de março de 2016, a sede da organização em Serêkaniyê foi atingida por uma motocicleta-bomba, causando ferimentos leves em dois membros e danos à sede.[12][13][14]

Em 14 de agosto de 2017, um dos comandantes da TİKKO, Fermun Çırak (também conhecido por Nubar Ozanyan), morreu na luta contra o EIIL. Ozanyan havia treinado combatentes internacionalistas curdos, turcos, armênios, árabes, palestinos, gregos, canadenses, sardos, belgas e franceses contra o EIIL e outros grupos islâmicos.

Em 2018, o Estado Islâmico tentou assassinar os membros da organização colocando minas terrestres nas estradas que levavam à sede da organização. Nenhuma vítima foi relatada.

Designação como organização terrorista[editar | editar código-fonte]

A organização está listada entre as 12 organizações terroristas ativas na Turquia desde 2007, de acordo com o Departamento de Operações e Combate ao Terrorismo da Direção Geral de Segurança da polícia turca.[15]

Membros notáveis[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. O TKP/ML e seus seguidores não divulgam a identidade seu secretário-geral. A razão para isso é impedir que os secretários gerais sejam expostos.

Referências

  1. a b c d e «1997'de yitirdiklerimiz (20 kişi); Resim ve bilgiler için ilgili ismin üzerine TIKLAYINIZ !». Consultado em 28 de maio de 2020. Arquivado do original em 31 de março de 2016 
  2. CORREO, NOTICIAS (23 de maio de 2019). «Simpatizantes de terrorista Abimael Guzmán marchan por las calles de Estados Unidos y Canadá | MUNDO». Correo (em espanhol). Consultado em 5 de maio de 2021 
  3. «Peoples' United Revolutionary Movement established for a joint struggle». Firat News Agency. 14 de março de 2016. Consultado em 28 de maio de 2020. Arquivado do original em 14 de março de 2016 
  4. «TKP-ML Resmi Internet Sitesi | Resmi İnternet Sitesi» (em turco). Consultado em 28 de maio de 2020 
  5. CORREO, NOTICIAS (23 de maio de 2019). «Simpatizantes de terrorista Abimael Guzmán marchan por las calles de Estados Unidos y Canadá | MUNDO». Correo (em espanhol). Consultado em 5 de maio de 2021 
  6. A World to Win Magazine, 1985, "TKP/ML seizes the airwaves 8PM News Break"
  7. To the Press and the Public: 5 martyrs of TKP-ML-TIKKO died in Tunceli
  8. Mike Ely. «Turkey: Five Communist Fighters Killed in Avalanche». Kasama Project. Consultado em 28 de maio de 2020. Arquivado do original em 13 de outubro de 2014 
  9. «TÄ°KKO'dan Berkin Elvan için misilleme eylemi». BestaNûçe Bestanuce.com. Consultado em 28 de maio de 2020. Arquivado do original em 9 de janeiro de 2015 
  10. Özgür Gelecek. «Gerilladan Berkin Elvan için misilleme eylemi». Consultado em 28 de maio de 2020 
  11. «Tunceli'de TKP/ML TİKKO'lu teröristler, kaçırdıkları Erkan Doğan'ı öldürdü - Son dakika haberleri». Karar.com (em turco). Consultado em 28 de maio de 2020 
  12. «Islamic State bomb attack against Serêkaniyê HQ of TKP-ML-TIKKO». Signalfire. 28 de março de 2016. Consultado em 28 de maio de 2020 
  13. «TKP-ML TİKKO'ya yönelik bombalı saldırı». Hawar Haber Ajansı (em turco). 26 de março de 2016. Consultado em 28 de maio de 2020. Arquivado do original em 14 de setembro de 2016 
  14. The Carter Center (2017), pp. 2, 3.
  15. TÜRKİYE'DE HALEN FAALİYETLERİNE DEVAM EDEN BAŞLICA TERÖR ÖRGÜTLERİ: «Archived copy». Consultado em 28 de maio de 2020. Arquivado do original em 14 de janeiro de 2013 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]