Paul Bril

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde março de 2017).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde março de 2017).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde março de 2017). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Paisagem fantástica de uma montanha, Paul Bril, 1598
Diana e Callisto, Paul Brill, Década de 1620

Paul Bril (Antuérpia, 1554Roma, 1626) foi um pintor e paisagista flamengo barroco, activo no século XVII, na cidade de Roma. Era irmão do também célebre Mathijs Bril.

Juntamente com o irmão, trasladou-se na juventude para Roma, onde estudou com vários pintores e em diversos ateliers. Depois dos estudos, e com o talento enaltecido pelos muitos mecenas burgueses que enchiam a Roma seiscentista, foram ambos contratados para pintar vários frescos em igrejas e até mesmo na Catedral de São Pedro, no Vaticano.

Mas Mathijs jovem morreu, em 1583, e foi Paul que levou o apelido Bril para a frente. Da sua obra, hoje, são conhecidas maioritariemente, paisagens e inúmeros frescos, tal como gravuras e trabalhos em cobre.

Mas foram as paisagens que lhe trouxeram realmente o valor do reconhecimento, tendo inspirado pintores do «grand-monde» da arte, como Nicolas Poussin e Claude Lorrain.