Paulo Gallotti

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Paulo Gallotti
Ministro do Superior Tribunal de Justiça do Brasil
Mandato: 3 de junho de 1999
a 1º de agosto de 2009
Nomeação por: Fernando Henrique Cardoso
Antecessor(a): Romildo Bueno de Souza
Sucessor(a): Raul Araújo Filho
Dados pessoais
Nascimento: 3 de março de 1945 (76 anos)
Canoinhas, SC
Cônjuge: Maria Antonieta Tancredo Gallotti
Alma mater: Universidade Federal de Santa Catarina

Paulo Benjamin Fragoso Gallotti (Canoinhas, 3 de março de 1945)[1] é um magistrado brasileiro. Foi ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) entre 1999 e 2009.

É sobrinho e primo, respectivamente, dos ex-ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís d'Assunção Gallotti e Octavio Pires Gallotti.[2]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Paulo Gallotti formou-se em direito pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Foi advogado em Florianópolis, de 1969 a 1970, e assessor judiciário concursado do Tribunal de Justiça de Santa Catarina de 1970 a 1971.[1]

Em 1971, ingressou na carreira da magistratura como juiz substituto, tornando-se desembargador do Tribunal de Justiça de Santa Catarina em 1995.[1]

Em 1999, foi nomeado ministro do Superior Tribunal de Justiça pelo presidente Fernando Henrique Cardoso, em vaga destinada a membro de Tribunal de Justiça estadual. Aposentou-se voluntariamente em 2009.[1]

Referências

  1. a b c d «Ministro Paulo Gallotti». Superior Tribunal de Justiça. Consultado em 10 de janeiro de 2015 
  2. «Indicações ao STJ causam polêmica». Senado Federal. Consultado em 10 de janeiro de 2015 
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.