Prenome

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com pronome.

O prenome (do latim praenōmen, composto de prae- «pre-» e nomen «nome») é o elemento onomástico que precede o apelido de família (sobrenome) na forma de designar as pessoas. Na língua coloquial, são mais comuns as expressões "nome próprio" ou "nome de batismo"[1].

Na Roma Antiga, o prenome precedia o gentilício. No início da Idade Média, o nome pessoal era o nome principal da identidade. Era acompanhado de diferentes determinantes: origem geográfica, filiação (patronímico), de parentesco, de profissão. Durante a segunda metade da Idade Média na Europa, e mais tarde em outros lugares, o nome de família que acompanhava o nome da pessoa, passou a ter uma importância maior na identificação do indivíduo. Então o nome pelo qual a pessoa era conhecida passou a ser o prenome, que deveria vir acompanhado pelo nome de família.

Exemplos de prenomes comuns são José, João, Carlos, Antônio, Paulo, Pedro, Lucas, Luiz, Maria, Joana, Paula, Ana, Francisca, Antônia, Adriana, Juliana, Márcia, Fernanda, Patrícia, Aline etc. A cada pessoa podem ser atribuídos um ou mais prenomes quando nasce ou quando é batizada[2].

Em algumas culturas e idiomas (por exemplo em húngaro, vietnamita, chinês, japonês ou coreano), o apelido de família precede o prenome na ordem do nome completo, como Deng Xiaoping, sendo Deng o apelido de família e Xiaoping o prenome.

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre onomástica é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.