Punhos Harmoniosos e Justiceiros

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Zhang Decheng um dos lideres dos Boxers
Boxers, desenhado por Johannes Koekkoek cerca do ano de 1900.
Uma das bandeiras usadas pelo movimento dos boxers.

Punhos da Justiça e da Concórdia (chinês tradicional: 義和團, chinês simplificado: 义和团, pinyin: Yìhétuán), também traduzido para Punhos Harmoniosos e Justiceiros, ou Punhos Honrados e Harmoniosos ou Sociedade dos Punhos Harmoniosos, foi uma sociedade secreta chinesa conhecida por ter provocado a Rebelião dos Boxers entre 1899 e 1901. Tornou-se um movimento de massa numerando entre cinquenta e cem mil membros, esta sociedade adotava ações xenófobas, inicialmente hostis a dinastia manchu dos Qing, e posteriormente anti-ocidentais, anti-japonesas e anticristãs. O movimento foi gradualmente utilizado e conduzido pelo Império Chinês para lutar contra a influência das potências estrangeiras. A sociedade secreta é mais conhecida no Ocidente como os 'Boxers', visto que os membros de suas milícias praticavam kung fu, conhecido como "boxe chinês"[1][2].Eles utilizavam roupas e turbantes vermelhos,brancos e amarelos e por conta de sua crença usavam apenas armas chinesas tradicionais como lanças,espadas,escudos de vime, mosquetes de fósforos dentre outras[3].

Referências

  1. Origem do termo « Boxer »
  2. Colin Mackerras, China in Transformation 1900-1949, Longman
  3. Landor, Arnold Henry Savage (2000). China and the Allies. [S.l.]: New York, Scribner. 1865 páginas. Consultado em 1901  Verifique data em: |acessodata=, |ano= / |data= mismatch (ajuda)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Jean Mabire, L'Été rouge de Pékin, La révolte des Boxeurs, récit, édition du Rocher, Paris, 2006.
  • John K. Fairbank, La Grande Révolution chinoise, 1800-1989, édition Champ Flammarion, 1986.
  • Alain Roux, La Chine au xxe siècle, édition Campus, Histoire.
  • Sous la direction de Marie-Claire Bergère, Lucien Bianco, et Jürgen Domes, La Chine au xxe siècle, d'une révolution à l'autre, 1895-1949, édition Fayard.
  • Jacques Weber, La France en Chine (1843-1943), numéro XXIV d’Enquêtes et Documents, Ouest-Éditions, juin 1997.
  • Diana Preston, The Boxer Rebellion. Berkley Publishing Group (2001), 464 pages.
  • Joseph Esherick, The Origins of the Boxer Uprising, University of California Press, 1987.