Quintã

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Portugal Quintã 
  Freguesia portuguesa extinta  
Quintã está localizado em: Portugal Continental
Quintã
Localização de Quintã em Portugal Continental
Coordenadas 41° 17' 37" N 7° 51' 29" O
Concelho primitivo Vila Real
Concelho (s) atual (is) Vila Real
Freguesia (s) atual (is) Pena, Quintã e Vila Cova
Extinção 28 de janeiro de 2013
Área
 - Total 4,18 km²
População (2011)
 - Total 174
    • Densidade 41,6 hab./km²
Orago São Bartolomeu

Quintã foi uma freguesia portuguesa do concelho de Vila Real, ocupando o extremo leste da região do Vale da Campeã. Tinha 4,18 km² de área[1] e 174 habitantes (2011[2]). Foi extinta (agregada) pela reorganização administrativa de 2012/2013,[3] sendo o seu território integrado na União das Freguesias de Pena, Quintã e Vila Cova.

Até ao início do século XXI, a antiga freguesia possuía um único lugar (Quintã). Entretanto, fruto do "êxodo urbano", surgiu nos limites do seu território a urbanização da Sardoeira (lugar partilhado com a freguesia vizinha de Torgueda[4]).

População da freguesia de Quintã (1801–2011)
1801

[5]

1849 1864

[6][7]

1878

[6][8]

1890

[6][9]

1900

[6][10]

1911

[6][11]

1920

[6][12]

1930

[6][13]

1940

[6][14]

1950

[6][15]

1960

[6]

1970

[16]

1981

[17]

1991

[18]

2001

[19]

2011

[2]

131 * 181 183 159 152 160 157 146 160 196 192 212 180 190 148 174
* Nesta data o território de Quintã pertencia ao (agora extinto) concelho de Ermelo, constituindo com Vila Cova uma única freguesia (população: 500 habitantes).[20]
Distribuição da População por Grupos Etários em 2001 e 2011
Idade 0-14 15-24 25-64 > 65 0-14 15-24 25-64 > 65
2001 27 12 80 29 18,2% 8,1% 54,1% 19,6%
2011 16 25 95 38 9,2% 14,4% 54,6% 21,8%

História[editar | editar código-fonte]

Quintã é uma povoação muito antiga, aparecendo referenciada em documentos do século XI, a par de «Campelana» (Campeã), «Mondrones» (Mondrões), «Todesindes» (Tuizendes, freguesia de Torgueda) e Constantim. Fez parte de um couto criado por D. Teresa, antes de 1128, em favor de São Miguel da Pena e São Salvador de Torgueda.[21]

Ao longo da sua história, Quintã pertenceu às freguesias da Campeã, Torgueda e Pena. Segundo as Memórias de Vila Real,[22] antes do século XVI Quintã foi atingida por peste, tendo os moradores da freguesia da Campeã (à qual Quintã pertencia) recusado sepultar os mortos nas suas igrejas. O apoio acabou por surgir das freguesias vizinhas de Torgueda e Pena, o que levou os moradores de Quintã a desanexarem-se da sua freguesia original, passando a fregueses das outras duas. Na Relação de Vila Real e seu Termo (1721), Quintã ainda surge como lugar meeiro de Torgueda e da Pena, sendo anexa de uma e outra freguesia em anos alternados. No século XIX, Quintã desanexou-se das duas freguesias de que era meeira, passando a freguesia autónoma. Nos Censos de 1849, Quintã surge anexada a Vila Cova, constituindo com ela uma única freguesia ("Quintã e Vila Cova")[20].

Tal como as restantes freguesias da região da Campeã (Campeã em sentido restrito e Vila Cova), Quintã passou a integrar o antigo concelho de Ermelo pela Reforma Administrativa de 1836 (Liberalismo), tendo retornado ao concelho de Vila Real pelo decreto de 31 de Dezembro de 1853 que extinguiu aquele.

Na sequência da reorganização administrativa ditada pela Lei n.º 22/2012,[23] o seu território e o de Vila Cova foram anexados ao da vizinha freguesia de Pena, passando o conjunto a designar-se oficialmente União das Freguesias de Pena, Quintã e Vila Cova.[3] Assim, "Quintã" foi de facto extinta enquanto designação oficial de freguesia.

Notas e Referências

  1. Instituto Geográfico Português, Carta Administrativa Oficial de Portugal (CAOP), versão 2012.1
  2. a b INE (2012) – "Censos 2011 (Dados Definitivos)", "Quadros de apuramento por freguesia" (tabelas anexas ao documento).
  3. a b Diário da República, Reorganização administrativa do território das freguesias, Lei n.º 11-A/2013, de 28 de janeiro, Anexo I.
  4. A página da Câmara Municipal de Vila Real só contabilizava um lugar na antiga freguesia, e o site da Junta de Freguesia de Torgueda não faz qualquer referência ao facto de a urbanização da Sardoeira ser um local meeiro, no entanto, confrontando fotografias de satélite recentes com os limites da antiga freguesia conforme indicados no site do Instituto Geográfico do Exército, facilmente se conclui que a maior parte daquela urbanização está implantada em território da antiga freguesia de Quintã.
  5. Luís Nuno Espinho da Silveira, coord. (2001) – "Os Recenseamentos da População Portuguesa de 1801 e 1849: Edição crítica, vol. I" (Censos 1801), p. 241 (ficheiro: p. 250).
  6. a b c d e f g h i j INE (1964) – "X Recenseamento Geral da População no Continente e Ilhas Adjacentes às 0 horas de 15 de Dezembro de 1960. Tomo I, volume I" (Censos 1960), p. 90 (ficheiro: p. 116).
  7. Estatística de Portugal (1868) – "População: Censo no 1.º de Janeiro 1864" (Censos 1864), p. 232 (ficheiro: p. 258).
  8. Estatística de Portugal (1881) – "População no 1.º de Janeiro 1878 (parte 2)" (Censos 1878), p. 331 (ficheiro: p. 143).
  9. Direcção da Estatística Geral e Comércio (1896) – "Censo da População do Reino de Portugal no 1.º de Dezembro de 1890. Volume I" (Censos 1890), p. 238 (ficheiro: p. 357).
  10. Direcção Geral da Estatística e dos Próprios Nacionais (1905) – "Censo da População do Reino de Portugal no 1.º de Dezembro de 1900 (Quarto recenseamento geral da população). Volume I" (Censos 1900), p. 248 (ficheiro: p. 258).
  11. Direcção Geral da Estatística (1913) – "Censo da População de Portugal no 1.º de Dezembro de 1911 (5.º Recenseamento Geral da População). Parte I" (Censos 1911), p. 228 (ficheiro: p. 267).
  12. Direcção Geral de Estatística (1923) – "Censo da População de Portugal no 1.º de Dezembro de 1920 (6.º Recenseamento Geral da População). Volume I" (Censos 1920), p. 178 (ficheiro: p. 229).
  13. Direcção Geral de Estatística (1933) – "Censo da População de Portugal no 1.º de Dezembro de 1930 (7.º Recenseamento Geral da População). Volume I" (Censos 1930), p. 190 (ficheiro: p. 192).
  14. INE (1945) – "VIII Recenseamento Geral da População no Continente e Ilhas Adjacentes em 12 de Dezembro de 1940. Volume XVIII: Distrito de Vila Real" (Censos 1940), p. 28 (ficheiro: p. 32).
  15. INE (1952) – "IX Recenseamento Geral da População no Continente e Ilhas Adjacentes em 15 de Dezembro de 1950. Tomo I" (Censos 1950), p. 238 (ficheiro: p. 240).
  16. INE (1975) – "11.º Recenseamento da População, 1.º Recenseamento da Habitação: População e Alojamento por lugares: distrito de Vila Real", p. 44. (Ficheiro: "11.º Recenseamento da População, 1.º Recenseamento da Habitação: continente e ilhas" (Censos 1970), p. 1028.)
  17. INE (1983) – "XII Recenseamento Geral da População, II Recenseamento Geral da Habitação: Resultados Definitivos: Distrito de Vila Real" (Censos 1981), p. 5 (ficheiro: p. 15).
  18. INE (1993) – "Censos 91: Resultados Definitivos – Região do Norte", p. 34 (ficheiro: p. 32).
  19. INE (2003) – "Censos 2001: Resultados definitivos: XIV Recenseamento Geral da População, IV Recenseamento Geral da Habitação: Norte", p. 27 (ficheiro: p. 130).
  20. a b Luís Nuno Espinho da Silveira, coord. (2001) – op. cit., vol. III (Censos 1849), p. 783 (ficheiro: p. 128).
  21. Ribeiro Aires (2007) — História das Freguesias do Concelho de Vila Real. Vila Real: Maronesa. pp. 523 ss.
  22. Fernando de Sousa e Silva Gonçalves (1987) — Memórias de Vila Real. Vila Real: Arquivo Distrital de Vila Real / Câmara Municipal de Vila Real. 2 vol.
  23. Diário da República, Regime jurídico da reorganização administrativa territorial autárquica, Lei n.º 22/2012, de 30 de maio

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]