Regueifa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2013).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

A regueifa designa em Portugal um pão de romaria. A regueifa tem uma forma de rosca e é feita com farinha de boa qualidade, fazendo lembrar aquilo que em Portugal se designa de "pão espanhol".

É típica do Norte de Portugal, sendo conhecida desde o Minho até à zona de Aveiro. Com a industrialização a regueifa, em especial no Entre Douro e Minho, popularizou-se como pão domingueiro.

O nome desta iguaria, assim como a forma tradicional de preparação, parecem intimamente ligados à massa original marroquina chamada rghaif[1] e especificamente à variante chamada meloui, em que a massa é entrançada antes de cozer.[2]

Preparação[editar | editar código-fonte]

Para preparar a regueifa doce, desfaz-se fermento de padeiro num pouco de água tépida, mistura-se com uma pequena quantidade de farinha e deixa-se levedar cerca de uma hora. Batem-se gemas e uma clara de ovos com açúcar, junta-se manteiga amolecida e uma pitada de canela. Juntam-se as misturas anteriores com farinha, amassa-se e deixa-se repousar até aumentar de volume. Tendem-se as regueifas e torna-se a deixar aumentar de volume. Levam-se ao forno quente a cozer e, depois de cozidas, pincelam-se com manteiga.

Referências