Ricardo Silvestrin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ricardo Silvestrin
Ricardo Silvestrin na 42º Feira do Livro da FURG, em Rio Grande (RS).
Nascimento 17 de maio de 1963 (56 anos)
Porto Alegre
Residência Porto Alegre
Nacionalidade Brasil Brasileira
Principais trabalhos Play, O videogame do rei, O menos vendido
Escola/tradição Poesia
Principais interesses Literatura

Ricardo Silvestrin (Porto Alegre, 17 de maio de 1963) é um escritor e músico brasileiro.[1][2]

Formado em Letras pela UFRGS, 1985. No mesmo ano, publicou seu primeiro livro de poemas, "Viagem dos olhos", pela editora Coolírica. Ganhou 5 vezes o Prêmio Açorianos de Literatura: como poeta (1995 e 2007), como autor de livro infantil (1998), como editor (editora Ameopoema, 2005) e como destaque de mídia (pelo programa de rádio "Transmissão de pensamento", 2008).[3] Seu livro de 2004, "É tudo invenção" foi selecionado para representar o Brasil na 41ª Feira de Literatura de Bolonha e integra a Biblioteca Básica do Estudante Brasileiro, da FNLIJ, além de fazer parte dos programas de leitura PNBE e Alfabetização na Idade Certa.

Já participou de várias antologias, inclusive na revista "Frogpond", antologia mundial de haicai, publicada em 2000 pela Haiku Society of America, de Nova York.[4] Em 2008 publicou seu primeiro livro de contos, "Play". No ano seguinte, seu primeiro romance, "O Videogame do rei".

Em 2001, com os também poetas Alexandre Britto e Ronald Augusto, criou o grupo musical os poETs. Acompanhados de músicos convidados, os poETs já se apresentaram em São Paulo, Rio de Janeiro, Manaus, Brasília e Curitiba, além de diversas cidades do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, sempre cantando composições próprias, e já têm dois CDs gravados: "Música legal com letra bacana" (YB Gravadora, 2004) e "os poETs 2" (Loop Reclame, 2009). Em 2013, os poETs ao vivo, DVD com show na Casa de Cultura Mario Quintana.[5]

Em 2019, lançou o álbum SILVESTREAM, de Ricardo Silvestrin & Banda, com seu repertório solo de canções.

De 2003 a 2009, Ricardo Silvestrin escreveu uma coluna quinzenal no Segundo Caderno do jornal Zero Hora. De 2008 a 2011, deu aulas de roteiro e dramaturgia no Curso de Realização Audiovisual da Unisinos.

Em dezembro de 2010, foi indicado para assumir a direção do Instituto Estadual do Livro,[6] cargo que ocupou até maio de 2012.[7]

É colunista do site Musa Rara e da revista Lamás Medula, da Argentina.

Livros publicados[editar | editar código-fonte]

  • 2019: Isso não é arte (traduções de haicais de Kobayashi Issa, editora Bestiário)
  • 2019: Sobre o que (poesia, editora Patuá)
  • 2017: "Era mais de uma vez" (infantil, poesia, Fundação Educar DPaschoal)
  • 2017: "Prêt-à-porter, haicais para as quatro estações" (haicai, editora Artes e Ecos)
  • 2017: "Os seres Trock" (infantil, poesia, Editora Biruta)
  • 2016: "Typographo" (poesia, Editora Patuá)
  • 2015: "Adversos" (poesia, Coleção Livros Únicos, editora Kombina)
  • 2013: "Metal" (poesia, Artes e Ofícios Editora)
  • 2013: "Los Seres Trock" (poesia infantil, Montevideo, Topito Ediciones)
  • 2012: "Advogado do diabo" (poema dramático, Castelinho Edições)
  • 2009: "O videogame do rei" (romance, ed. Record)
  • 2009: "A moda genética" (poesia infantil, ed. Ática)
  • 2008: "Transpoemas" (poesia infantil, ed. Cosac Naify)
  • 2008: "Play" (contos, ed. Record)
  • 2006: "O menos vendido" (poesia, ed. Nankin)
  • 2005: "Mmmmmonstros!" (poesia infantil, ed. Salamandra)
  • 2004: "ex, Peri, mental" (poesia, ed. Ameopoema)
  • 2003: "É tudo invenção (poesia infantil, ed. Ática)
  • 1998: "Pequenas observações sobre a vida em outros planetas" (poesia infantil, ed. Projeto) (reed. em 2004 pela ed. Salamandra)
  • 1995: "Palavra mágica" (poesia, Ed. Massao Ohno)
  • 1992: "Quase eu" (poesia, coleção Petit Poa, SMC)
  • 1988: "O Baú do Gogó" (poesia infantil, ed. Sulina)
  • 1988: "Bashô um santo em mim" (haicais, ed. Tchê)
  • 1985: "Viagem dos olhos" (poesia, ed. Coolírica)

Referências

  1. «Minibiografia de Ricardo Silvestrin no sítio da editora Cosac Naify». Consultado em 21 de março de 2010. Arquivado do original em 19 de agosto de 2014 
  2. «Entrevista com Ricardo Silvestrin no sítio da Editora Ática». Consultado em 21 de março de 2010 
  3. «Lista de vencedores do Prêmio Açorianos de Literatura». Consultado em 21 de março de 2010 
  4. «Haicai brasileiro na revista Frogpond». Consultado em 21 de março de 2010 
  5. «Notícia sobre os poETs no sítio Artistas Gaúchos». Consultado em 21 de março de 2010 
  6. «Ricardo Silvestrin é indicado para Instituto Estadual do Livro». Consultado em 15 de dezembro de 2010 
  7. «Laís Chaffe assume a direção do IEL». Consultado em 10 de agosto de 2012 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]