Robert Conquest

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Robert Conquest
Historiador
Conquest (esquerda) recebendo a Medalha Presidencial da Liberdade com Aretha Franklin (centro) e Alan Greenspan (direita) na Casa Branca, 2005
Nacionalidade Reino Unido Britânico
Nascimento 15 de julho de 1917 (98 anos)
Local Malvern, Worcestershire
Atividade
Campo(s) Historiador

George Robert Ackworth Conquest (Malvern, Worcestershire, 15 de julho de 1917) é um historiador britânico.

Filho de pai estadunidense e mãe inglesa, é um especialista da história da União Soviética, celebrizado com a publicação de O Grande Terror (The Great Terror, 1968), sobre as purgas realizadas sob Stalin na década de 1930, e de Colheita de Amargura (The Harvest of Sorrow, [1986), sobre a política de colectivização violenta da agricultura, nos anos 1929-1931, que viria a provocar milhões de vítimas entre os camponeses soviéticos, nomeadamente por fome.

Fez os seus estudos de filosofia, política e economia em Winchester, em Grenoble (França) e, por fim, em Oxford, onde se doutorou em história soviética. Tendo aderido ao Partido Comunista Britânico em 1937, em Oxford, viria gradualmente a distanciar-se dele. Durante a Segunda Guerra Mundial serviu como oficial do serviço de informações, mas não há notícia de que tenha utilizado a sua posição para espiar a favor da União Soviética, como nesse período fizeram os "Cinco de Cambridge" e outros espiões britânicos. A sua desilusão definitiva com o comunismo deu-se na segunda metade da década de 40, quando assistiu ao estabelecimento do regime comunista de tipo soviético na Bulgária, onde estacionou, em 1944-1945, como oficial de ligação das Forças Aliadas junto do exército búlgaro sob comando soviético e, depois, até 1948, como diplomata britânico.

Regressado a Inglaterra, trabalhou até meados da década de 50 para o Information Research Department (Departamento de Pesquisa de Informação), um organismo secreto do Foreign Office (Ministério dos Negócios Estrangeiros) criado em 1948 pelo governo trabalhista para estudar o comunismo e combater activamente a sua influência interna e externamente, promovendo um eficaz relacionamento com jornalistas dos principais jornais, dirigentes sindicais, etc. Datam desse tempo os seus primeiros textos sobre a União Soviética. Tornou-se, depois, um ensaísta e escritor freelancer, foi editor do semanário The Spectator, escreveu poesia e ficção científica (da qual também foi editor) e ensinou em diversas universidades europeias e americanas, mas destacou-se principalmente como especialista em história soviética, publicando diversas obras sobre o tema, marcadas pela denúncia dos crimes do comunismo.

Foi acusado por alguns de colocar a sua produção académica ao serviço dos objectivos da propaganda política anti-comunista. Outros autores consideram, porém, que a sua obra ganhou um novo reconhecimento após a queda do comunismo, quando o negacionismo do Gulag praticamente desapareceu. Para Conquest, a informação a que foi possível ter acesso após a queda do comunismo mostra que o regime de Stalin foi ainda pior do que ele pensava[1] .

O ensaísta Christopher Hitchens chamou a Robert Conquest "Anti-Sovietchik n.º 1"[2] .

Conquest foi um admirador e colaborador de Ronald Reagan, Margaret Thatcher (sua amiga pessoal, para quem chegou a preparar discursos) e, mais recentemente, de Condoleeza Rice. O livro de Conquest intitulado Que Fazer Quando os Russos Vierem. Um Manual de Sobrevivência (What to Do When the Russians Come: A Survivor's Guide, 1984), obra revivalista do clima de 'pavor dos vermelhos' ("Red Scare") dos anos 40-50, foi considerado uma preciosa peça de propaganda em apoio da política de rearmamento de Ronald Reagan, contribuindo para a sua reeleição nesse mesmo ano. Tido como o teórico mais arrojado do lobby pró-americano da política britânica, foi também um eurocéptico radical, propugnador, em alternativa à integração do Reino Unido na União Europeia, de uma associação muito mais frouxa com os países de língua inglesa, a que chamava Anglosfera[3] .

Nos anos 80, já no seu quarto casamento, Conquest foi viver para a Califórnia, ocupando um cargo na Hoover Institution, da Universidade de Stanford, instituição que realizava estudos sobre a Rússia. Na era pós-guerra fria, Conquest revelou-se um céptico das perspectivas de paz e prosperidade na Rússia de Ieltsin e Putin. Foi um apoiante inicial da invasão americana e britânica do Iraque, mantendo depois alguma reserva sobre o tema. Foi galardoado por George W. Bush com a "Medalha Presidencial da Liberdade" em Novembro de 2005.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Richard Waters, "Conquest", Financial Times, 1 de Março de 2003.
  2. Christopher Hitchens, "Anti-Sovietchik No. 1", OpinionJournal.com, 3 de Fevereiro de 2007.
  3. Andrew Brown, "Scourge and poet", The Guardian, February 15, 2003 [1].

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Common Sense About Russia (1960)
  • Power and Politics in the USSR (1960)
  • Soviet Deportation of Nationalities (1960)
  • Courage of Genius: The Pasternak Affair (1961)
  • Industrial Workers in the USSR (1967)
  • Soviet Nationalities Policy in Practice (1967)
  • Agricultural Workers in the USSR (1968)
  • The Soviet Police System (1968)
  • Religion in the USSR (1968)
  • The Soviet Political System (1968)
  • Justice and the Legal System in the USSR (1968)
  • The Great Terror: Stalin's Purge of the Thirties (1968)
  • The Nation Killers: The Soviet Deportation of Nationalities (1970)
  • Where Marx Went Wrong (1970)
  • Lenin (1972)
  • Kolyma: The Arctic Death Camps (1978)
  • Inside Stalin's Secret Police: NKVD Politics, 1936-1939 (1985)
  • What to Do When the Russians Come: A Survivor's Guide (1985)
  • The Harvest of Sorrow: Soviet Collectivization and the Terror-Famine (1986)
  • Tyrants and Typewriters: Communiques in the Struggle for Truth (1989)
  • Stalin and the Kirov Murder (1989)
  • The Great Terror: A Reassessment (1990)
  • Stalin: Breaker of Nations (1991)
  • History, Humanity, and Truth (1993)
  • Reflections on a Ravaged Century (1999)
  • The Dragons of Expectation (2004)
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Robert Conquest