Santo Antônio do Aventureiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados de Santo Antônio, veja Santo António.
Município de Santo Antônio do Aventureiro
"Aventureiro"
Vista panorâmica de Sto. Antônio do Aventureiro

Vista panorâmica de Sto. Antônio do Aventureiro
Bandeira indisponível
Brasão indisponível
Bandeira indisponível Brasão indisponível
Hino
Aniversário 13 de junho
Fundação 13 de junho de 1963
Gentílico aventureirense
Prefeito(a) Amaury de Sá Ferreira
(2013–2016)
Localização
Localização de Santo Antônio do Aventureiro
Localização de Santo Antônio do Aventureiro em Minas Gerais
Santo Antônio do Aventureiro está localizado em: Brasil
Santo Antônio do Aventureiro
Localização de Santo Antônio do Aventureiro no Brasil
21° 45' 28" S 42° 48' 57" O21° 45' 28" S 42° 48' 57" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Mesorregião Zona da Mata IBGE/2008 [1]
Microrregião Cataguases IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Leopoldina, Mar de Espanha, Além Paraíba, Senador Cortes, Maripá de Minas, Argirita
Distância até a capital 286 km
Características geográficas
Área 201,887 km² [2]
População 3 534 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 17,5 hab./km²
Altitude 630 m
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,709 elevado PNUD/2000 [4]
PIB R$ 21 720,423 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 6 041,84 IBGE/2008[5]
Página oficial
Praça Barão da Conceição

Santo Antônio do Aventureiro é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Sua população estimada em 2004 era de 3.526 habitantes.

História[editar | editar código-fonte]

As primeiras citações a respeito da existência de Santo Antônio do Aventureiro são da Diligência de São Martinho 1784, e narram a existência do córrego do Aventureiro. Segundo lendas, foi na margem desse córrego que José Xavier de Barros, fundou uma povoação no dia de Santo Antônio. A origem do nome refere-se que no século XVIII, no intuito de controlar o tráfico de ouro das Minas Gerais, a coroa portuguesa transformou as terras da região do Leste da Zona da Mata, em "Áreas Proibidas" onde era proibido fixar-se moradia, destruir as matas e matar os animais. Logo criou-se a prejorativa de "covil de onças", uma região muito perigosa que atraia somente aventureiros.

Santo Antônio do Aventureiro foi estabelecido como distrito pela lei provincial nº 3442 de 1887 integrado ao município de Mar de Espanha, ao qual permaneceu vinculado até 1938, quando foi transferido pelo decreto-lei estadual nº 148 para o município de Além Paraíba, do qual viria a emancipar-se em 1962 pela lei estadual nº 2764 de 30 de dezembro. O município de Santo Antônio do Aventureiro foi instalado em 1º de março de 1963[6].

Atualmente Santo Antônio do Aventureiro é constituído de dois distritos: a sede e São Domingos.

Geografia[editar | editar código-fonte]

O município localiza-se na Mesorregião da Zona da Mata mineira, estando a sede distante 286 km por rodovia da capital Belo Horizonte.

A altitude da sede é de 630 m, possuindo como ponto culminante o Pico dos Cocais (1063 m). O clima é do tipo Tropical de altitude com chuvas durante o verão e temperatura média anual em torno de 19,3°C, com variações entre 15°C (média das mínimas) e 23°C (média das máximas). (ALMG)

O município integra a bacia do rio Paraíba do Sul, sendo banhado pelos rios Angu e Aventureiro.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo - 2000

População Total: 3.514

  • Urbana: 2.037
  • Rural: 1.477
  • Homens: 1.805
  • Mulheres: 1.709

(Fonte: AMM)

Densidade demográfica (hab./km²): 17,3

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 33,1

Expectativa de vida (anos): 68,6

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,1

Taxa de Alfabetização: 77,9%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,709

  • IDH-M Renda: 0,614
  • IDH-M Longevidade: 0,726
  • IDH-M Educação: 0,786

(Fonte: PNUD/2000)


Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010 
  6. IBGE (2007). «Formação administrativa - IBGE» (PDF). Consultado em 23 de agosto de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]