Shenandoah (filme)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde janeiro de 2018). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde janeiro de 2018).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Pode encontrar ajuda no WikiProjeto Cinema.
Se existir um WikiProjeto mais adequado, por favor corrija esta predefinição. Este artigo está para revisão desde janeiro de 2018.
Shenandoah
O Vale da Honra[1] (PRT)
Shenandoah[2][3][4] (BRA)
 Estados Unidos
1965 •  cor •  105 min 
Direção Andrew V. McLaglen
Roteiro James L. Barrett
Elenco James Stewart, Doug McClure, Glenn Corbett, Rosemary Forsyth, Philip Alford, Patrick Wayne, Katharine Ross
Gênero aventura
drama romântico
faroeste
épico
guerra
Música Frank Skinner
Idioma inglês
Página no IMDb (em inglês)

Shenandoah (bra: Shenandoah; prt: O Vale da Honra) é um filme estadunidense de 1965, dos gêneros aventura, drama, faroeste, guerra e romance, dirigido por Andrew V. McLaglen, roteirizado por James Lee Barrett e musicado por Frank Skinner.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Na Guerra de Secessão, Charlie Anderson é um agricultor fazendeiro que tenta manter sua família afastada do conflito, tomando a seguinte atitude: não se envolver na Guerra, pois acredita que aquela “não é a sua guerra”, pois é contra os do Sul, devido a ser contra o esclavagismo, e contra os do Norte, por ser contra a guerra., mas quando o seu filho caçula é levado pelos nortistas, confundido como um combatente sulista, e feito prisioneiro por rebeldes do exército do Norte, decide lutar por aquilo que considera ser o mais importante: a família.. Mas o seu filho é tão afectado pela guerra que, quando Charlie o encontra, sem querer o caçula mata um irmão seu, julgando que era um inimigo. A surpresa é logo substituída pela fúria e pela ira, e Charlie tenta matá-lo para se vingar, mas depois ele compreende tudo, e manda o filho embora para que el possa suportar sozinho este trauma. No fim, Charlie percebe que, com esta guerra, perdeu três filhos de uma rajada só: o que ele procurava, o que ficou a tomar conta de Shenandoah, cuja mulher também foi barbaramente assassinada por rebeldes, e o filho mais velho, que ele muito adorava. Com grande coragem e heroísmo, Charlie consegue manter a sua família e ultrapassar a situação, fazendo de Shenandoah O VALE DA HONRA. Mas a maior surpresa é que, quando Charlie e a sua família estão na missa, o filho que ele procurou entra pela porta da Igreja a coxear. Ao contrário do que se esperava, Charlie fica tão comovido por tal milagre ter acontecido, e tanto a sua felicidade como a da sua família ficam definitivamente completas, no meio de um país em chamas.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia tem os portais:

Referências

  1. O Vale da Honra no DVDPT (Portugal)
  2. Shenandoah no CinePlayers (Brasil)
  3. Shenandoah (em português) no AdoroCinema (Brasil)
  4. EWALD FILHO, Rubens (1975). Os filmes de hoje na TV. São Paulo (Brasil): Global Editora. p. 181 
Ícone de esboço Este artigo sobre um filme de faroeste é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.