Siegfried Wolfgang Fehmer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde outubro de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Translation to english arrow.svg
A tradução deste artigo está abaixo da qualidade média aceitável. É possível que tenha sido feita por um tradutor automático ou por alguém que não conhece bem o português ou a língua original do texto. Caso queira colaborar com a Wikipédia, inglês e melhore este verbete conforme o guia de tradução.
Siegfried Wolfgang Fehmer
Nome completo Siegfried Wolfgang Fehmer
Nascimento 10 de janeiro de 1911
Munique, Império Alemão
Morte 16 de março de 1948
Oslo, Svalbard e Jan Mayen
Ocupação Oficial da Gestapo

Siegfried Wolfgang Fehmer (Munique 10 de janeiro de 1911 - Oslo 16 de março de 1948) foi um oficial alemão da Gestapo durante a Segunda Guerra Mundial. Em seus anos de ofício estava na Noruega durante a Ocupação Nazista na Noruega, e no final da guerra foi um Kriminalpolizei, investigador de polícia que dirige o infame Abteilung IV a partir de sua sede em Vitória Terrasse, Oslo. Ele também alcançou o posto de Hauptsturmführer na SS.

Junto com Josef Terboven, Fehmer foi considerado um dos oficiais mais desprezados das forças de ocupação alemãs na Noruega.

Fehmer se juntou ao Partido Nacional Socialista Alemão dos Trabalhadores, em janeiro de 1930 e foi contratado pela Gestapo em 1934. Ele foi promovido várias vezes e por diferentes posições dentro da organização, até que em abril de 1940 ele foi enviado para a Noruega. Lá ele trabalhou com a Contraespionagem, que tinha como objetivo reprimir a resistência.

Fehmer vestia um uniforme da SS com emblemas Sicherheitsdienst, com uma aparência impressionante e encantadora, ele era visto como um homem bastante caro. Apesar dessa aparência externa, Fehmer foi implacável e não hesitava em usar a tortura durante os interrogatórios de suspeitos. Por suas vítimas, ele foi descrito como capaz de mudar uma abordagem amigável para sádico em um piscar de olhos.

O Milorg (ramo militar do Movimento de Resistência Norueguês) via Fehmer como uma grave ameaça para eles. Vários planos para seu assassinato foram planejados, e Fehmer sobreviveu a um desses ataques com vários ferimentos de bala no peito.

No final da guerra, em 8 de maio de 1945, Fehmer tentou escapar para a Suécia, mas foi detido por agentes da polícia norueguesa, perto da fronteira. Ele foi julgado e condenado por Crime de guerra, e sentenciado à Pena de morte pela Corte Suprema da Noruega. A sentença foi executada por fuzilamento na Fortaleza de Akershus em 16 de março de 1948.

Fehmer é um dos personagens principais do filme norueguês Max Manus (2008), retratado pelo ator alemão Ken Duken.