Social justice warrior

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde setembro de 2017). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde junho de 2017). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Social Justice Warrior ou SJW (em português: guerreiro da justiça social) é um termo pejorativo utilizado para se referir a pessoas, instituições ou mesmo ações que têm como base visões extremistas relacionadas com questões socialmente progressistas, como a defesa dos direitos humanos, feminismo, ambientalismo, secularismo, movimento LGBT (diversidade sexual), movimento negro, entre outros. Estas pessoas geralmente recorrem a táticas agressivas para transmitirem a mensagem que acreditam ser verdade, por mais absurda que pareça. Utilizam táticas Ad Hominem, difamação online, recurso a violência, no caso de protestos, entre outros.

Popularização[editar | editar código-fonte]

Popularizado durante a controvérsia de Gamergate[1], o termo atualmente é voltado principalmente a ativistas extremos relacionados à justiça social, causa esta que dá origem ao termo.

Cultura Popular[editar | editar código-fonte]

Em maio de 2014, o conceito foi incorporado em um jogo intitulado Social Justice Warriors. Desenvolvido pela Creative Nonadecimal, o jogo envolve debater online contra trolls da Internet que fazem comentários racistas e provocativos.

A atriz Caitlin Barlow descreveu seu personagem na série de televisão Teachers, como uma guerreira da justiça social. No remake Netflix de One Day at a Time, a atriz Isabella Gomez retratou Elena, uma personagem que se autoidentifica como guerreira da justiça social como forma de ressignificar a conotação negativa que o termo possui.

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]