Stella Leonardos da Silva Lima Cabassa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Stella Leonardos
Nome completo Stella Leonardos da Silva Lima Cabassas
Nascimento 1 de agosto de 1923
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Nacionalidade  Brasileira
Ocupação Poetisa, teatróloga e tradutora
Principais trabalhos Passos de areia (1940)
Prémios Prêmio Nestlé de Literatura Brasileira (1986)

Stella Leonardos da Silva Lima Cabassa (Rio de Janeiro, 1 de agosto de 1923) é uma poetisa, teatróloga e tradutora brasileira. Foi integrante da terceira geração do movimento modernista.[1] Foi presidente da Academia Carioca de Letras e faleceu, no Rio de Janeiro, no dia 11 de junho de 2019.

História[editar | editar código-fonte]

Stella Leonardos lançou seu primeiro livro em 1940. Participou de um grupo de teatro amador entre 1943 e 1945, ano em que se casou. Em 1946 formou-se em Letras Neolatinas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. De 1942 a 1971 trabalhou como tradutora (catalão, espanhol, francês, inglês, italiano e provençal).

Sua peça "Palmares" foi encenada em 1944 no Rio de Janeiro pelo grupo "Teatro do Estudante", de Paschoal Carlos Magno, tendo a colaboração do recém fundado Teatro Experimental do Negro (TEN). Fundado e dirigido por Abdias Nascimento, o TEN recrutou, ensaiou e colocou em cena 200 pessoas e três atores em papéis de destaque, com Aguinaldo Camargo no papel de Zumbi dos Palmares.

Obras (incompleta)[editar | editar código-fonte]

Poesia[editar | editar código-fonte]

  • Passos na Areia (1940)
  • E Assim se Formou a Nossa Raça (1941)
  • A Grande Visão (1942)
  • Amanhecência (1974)
  • Memorial da Casa da Torre (2010)

Romances[editar | editar código-fonte]

  • Quando os Cafezais Florescem (1948)
  • Estátua de Sal (1961)

Trilogia biográfica[editar | editar código-fonte]

  • I - Marabá, (1942)
  • II - Palmares, (1943)
  • III - Rufa ao Longe um Tambor, (1943)

Outros[editar | editar código-fonte]

  • Cancioneiro Capixaba (2000)

Premiações[editar | editar código-fonte]

  • Prêmio Olavo Bilac (1957) da Academia Brasileira de Letras, por "Poesia em 3 Tempos".
  • Prêmio Paula Brito de Poesia (1960) por "Rio Cancioneiro"
  • Prêmio Júlia Lopes de Almeida (1961) da Academia Brasileira de Letras, por "Estátua de Sal"
  • Prêmio Nacional de Poesia (1964) por "Geolírica"
  • Prêmio Fernando Chinaglia (1970) da União Brasileira dos Escritores por "Cantares na Ante-Manhã"
  • Prêmio Casemiro de Abreu (1975) da Secretaria de Educação e Cultura por "Romançário"
  • Prêmio Bienal Nestlé de Literatura Brasileira (1986) por "Romanceiro da Abolição" (3º lugar)
  • Prêmio Batista I Roca (2001) do "Institut de Projecció Exterior de la Cultura Catalana" (Barcelona, Espanha)
  • Prêmio de Poesia Centenário de Henriqueta Lisboa (2001) da Academia Mineira de Letras por "Mitica"

Referências

  1. Stella em Casa da Torre. Acessado em 11 de março de 2008.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) escritor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.