Fender Telecaster

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Telecaster)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Nuvola apps important square.svg
Um editor detectou que este artigo ou partes de seu texto podem ter partes copiadas de websites ou outras fontes sem a devida autorização do autor.
Por favor consulte o que a Wikipédia não é e tente resolver estas objeções na página de discussão deste artigo.
Translation to english arrow.svg
A tradução deste artigo está abaixo da qualidade média aceitável. É possível que tenha sido feita por um tradutor automático ou por alguém que não conhece bem o português ou a língua original do texto. Caso queira colaborar com a Wikipédia, consulte Fender Telecaster (inglês) e melhore este verbete conforme o guia de tradução.
Fender Telecaster
Uma Telecaster modelo de Jim Root.
Fabricante Fender
Período 1950-presente
Construção
Corpo Sólido
Escala 25.5"
Madeiras
Corpo Alder, Ash, Populus, Pinheiro, Tilia
Braço Maple
Escala Rosewood, Maple
Ferragem
Captadores Single coil
Cores disponíveis
Vermelho Dakota, Branco Olímpico, Vermelho Competition, Laranja Competition, Sunburst
Portal:Guitarra
Projeto Guitarra

Fender Telecaster, também conhecida como Tele, é uma típica guitarra elétrica de dois compartimentos, de corpo sólido construída pela Fender. O seu projeto simples, mas eficaz e seu som revolucionário inovou e criou tendências na fabricação de guitarra e na música popular. Inicialmente distribuída como Broadcaster no outono (primavera, no Brasil) de 1949, foi a primeira guitarra de seu tipo a ser produzida em uma escala significativa. Sua produção comercial pode ser traçada já em março de 1950, quando os modelos Squier simples e com dois captadores foram vendidos pela primeira vez.

Construção[editar | editar código-fonte]

A Fender Telecaster foi desenvolvida por Leo Fender em Fullerton, Califórnia em 1949. No período de aproximadamente entre 1932-1949, muitos artesãos e empresas experimentaram guitarras elétricas de corpo sólido, mas nenhuma teve um impacto significativo no mercado. A Telecaster de Leo Fender foi o projeto que, finalmente, colocou a guitarra de corpo sólido no mapa.

Na sua forma clássica, a guitarra é de construção extremamente simples, com o braço e escala produzidos com uma única peça de maple, aparafusado ao corpo feito de Alder, com a superfície plana na parte da frente e na parte de trás. O hardware inclui dois captadores single-coils selecionados através de uma chave de 3 posições(braço / braço + ponte / ponte) e dois knobs, sendo um de Tonalidade e outro de Volume. O pickguard(escudo) inicialmente foi fabricado com celuloide (mais tarde de plástico), parafusado diretamente sobre o corpo, com cinco (mais tarde oito) parafusos. A ponte possui três carrinhos, cada um para duas cordas, com regulagem de altura e posição.

O violão rapidamente ganhou uma sequência, e outras empresas como a Gibson, cujo modelo Les Paul modelo foi introduzido em 1952, e mais tarde Gretsch, Rickenbacker além de muitas outras começaram a trabalhar em modelos de guitarras com corpo sólido para produção. Havia modelos que utilizavam um "cover" sobre toda a ponte, muitas vezes chamado de "cinzeiro". Essa peça tinha por objetivo melhorar o aterramento, porem dificultava a tocabilidade de alguns guitarristas, impedindo técnicas de "Palm mute" por exemplo.

A configuração original da chave seletora usada entre 1950 a 1952 permitia a seleção do captador do braço com corte dos tons agudos na primeira posição (para um som mais grave), o captador do braço com seu tom natural na segunda posição sem alterações no tom e, na terceira posição, ponte e braço com seus tons combinados variando a intensidade no botão de ajuste de tonalidade. O primeiro botão funciona normalmente como controlador do volume principal. Nessa configuração não havia um botão de controle verdadeiro de tonalidade.

Típicas Telecasters modernas (como as de versão American Standard) incorporam vários detalhes diferentes da forma clássica. Elas normalmente possuem 22 trastes (em vez de 21) e o ajuste do tensor é feito na ponta do headstock, em vez da ponta no corpo,o que exigia a remoção do braço no modelo original. A ponte de três saddles do modelo original foi sendo substituída por uma versão de seis saddles, permitindo um ajuste independente de comprimento e altura para cada corda. Os longos parafusos da ponte permitem uma ampla variedade de posições para o ajuste de entonação. A placa de metal estampado da ponte foi substituída por uma chapa plana, e a capa cromada removível da ponte (frequentemente chamada de "cinzeiro" por conta da sua utilidade secundária) foi descontinuada para a maioria dos modelos.

Na década de 1970, o design do corpo da Telecaster foi mudado para uma nova forma "suavizada", com um entalhe menos acentuado na curva superior, onde o corpo se liga ao braço. Este estilo foi descontinuado em 1982.

O modelo Elite Telecaster de 1983 incorporou dois captadores humbucker especialmente projetados, alimentados por um circuito ativo que incluía um potenciômetro "TBX" e um amplificador de frequência média "MDX" com 12dB de ganho. Outros componentes incluíam uma ponte hardtail "Freeflyte" e tarraxas de metal perolizadas. Esta guitarra foi uma das últimas Fenders da era da CBS a incluir um sistema de ajuste de tensor "BiFlex" e retentores de corda "EasyGlider" de baixa fricção. Após a CBS vender a Fender a um grupo de empregados liderados por Bill C. Schultz em 1985, o Elite Telecaster, bem como os outros modelos Elite, deixou de ser produzido. A Fender Japan fez a sua própria versão do Elite Telecaster ao final de 1984, com um braço de 22 trastes médio-jumbo e um moderno raio de escala de 9.5'' polegadas.

Hoje em dia ela é muito usada por artistas grunge, como Pearl Jam, ou apenas um rock leve e clássico com uma levada de jazz ou funk tais como Red Hot Chili Peppers, U2, The Rolling Stones, Audioslave, entre outros. Também é utilizada pela banda de Manguebeat Nação Zumbi, embora a mais amplamente usada seja a Gibson SG. Também o artista inglês Syd Barrett, membro fundador da banda Pink Floyd, usava a Fender Telecaster. A artista japonesa Haruna Ono, guitarrista e vocalista da banda SCANDAL, usa uma telecaster. A artista canadense Avril Lavigne usa esse tipo de guitarra desde 2004, do lançamento do seu CD Under My Skin até agora.[1]O guitarrista da Banda Santeria Rock Team, Luka Schwab, também empunha uma Telecaster.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Se(c)ções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios (desde dezembro de 2009).

A capa do captador da ponte das teles, conhecida no exterior como Ash Trey (cinzeiro) pode ser muito bonita visualmente, mas pode minar a tocabilidade, pois com ela, técnicas como o Palm Mute, na qual a palma da mão é colocada sobre as cordas com o intuito de abafá-las, não podem ser executadas. Por esse motivo a peça era retirada e usada como cinzeiro pelos guitarristas. Um dos poucos músicos que tocavam com ela sem problemas era Albert Collins, falecido bluesman americano, que tinha uma técnica toda particular de mão direita.

Nos idos de 1950 a Fender lançou um único captador, na ponte, chamado Esquire, visando baratear o custo (Não há relação entre estas guitarras e a Squier, linha de produtos acessíveis da Fender).

Existe um acessório colocado na tele usado em música country chamado B Bender, que é um sistema onde a guitarra é escavada por trás, e tem um sistema que é liga a trava da alça e na corda B (si) e conforme a guitarra é empurrada para baixo a corda B muda de afinação, criando aquela sonoridade country de Steel Guitar.

Uma Telecaster de 1950 em um museu.

O guitarrista Jim Root recebeu o prêmio em 2008 na categoria "Hottest Guitar" da revista britânica Total Guitar Readers Awards com uma Fender Telecaster.

As teles normalmente apresentam a possibilidade de se passar o encordoamento por dentro do corpo ou apenas fixo pela ponte. No caso do string though body (passar a corda por dentro do corpo), são obtidos mais sustentação e graves no instrumento.

É uma prática comum acrescentar um captador no meio da tele para dar uma maior versatilidade de timbres, essa configuração é chamada de Nashville e existem modelos originais da fender que já vem com essa configuração. Esse nome foi dado porque era uma modificação comum pedida pelos músicos de Nashville. Apesar de ser o símbolo do country e tele é amplamente utilizada em outros estilos como o Blues (Albert King, Albert Collins, etc…), Rock (Keith Richards, John Frusciante, David Gilmour, Bruce Springsteen, Jonny Greenwood...) e até mesmo Jazz (Mike Stern…)

A Gibson através da sua subsidiária Epiphone fabricou no final dos anos 80 e início dos anos 90, um modelo da Telecaster. A Epiphone T 310 tinha as cordas atravessando o corpo, ponte com saddles individuais para cada corda, dois captadores single coil característicos da Telecaster, chave de três posições, dois knobs (um volume e outro de tone) Braço em maple one piece, tarraxas blindadas e headstock semelhante à Krammer. Era uma guitarra bem honesta e é muito rara.

Em 1949 a guitarra que hoje conhecemos como Fender Telecaster foi colocada em produção, mas naquela época era chamada Broadcaster. Infelizmente havia outro instrumento musical utilizando um nome similar: Broadkaster a marca de baterias, então a Fender decidiu renomear para Telecaster. Essa foi a primeira guitarra a utilizar princípios de produção em massa na veia do Fordismo. Com os componentes "desmontáveis" e simplicidade da Telecaster, significava que os compradores poderiam ajustar, modificar e reparar coisas mais facilmente e mais barato do que antigamente.[2]

Telecasters de outras Marcas[editar | editar código-fonte]

Hoje em dia inúmeras marcas fazem cópias da telecaster, tanto fabricas nacionais como estrangeiras, e mesmo luthiers que fazem guitarras sob encomenda.

A indústria asiática vem apresentando melhora contínua em sua qualidade e hoje em dia é possível se encontrar instrumentos bastante honestos nas faixa de R$800,00 como as Sx (Shelters) e Condors por exemplo. As fabricas nacionais também oferecem opções como a Tagima, também nessa faixa de preço. As guitarras squier by fender, série California, também apresentam uma qualidade honesta e excelente relação custo x beneficio, mas cuidado com a série Bullet pois a qualidade das madeiras selecionadas no fabricação deixa a desejar (o que não modifica em quase nada no som do instrumento).

No caso de uma guitarra de luthier, os preços são mais altos, porém existem possibilidades de se configurar a guitarra de forma personalizada. Para alguém com certa experiência e que sabe o que quer pode ser uma boa opção. Os preços variam bastante de acordo com o Luthier e o nível de peças utilizadas, começando por volta de R$1500,00 indo até onde a imaginação deixar.

Com relação às Fenders, deve se ter bastante cuidado, existem fenders feitas em todos os lugares do mundo, dos Estados Unidos à Coreia do Sul, passando por Japão e México, até no Brasil já foram feitas (pela Giannini, sob licença conhecidas como Fender Southern Cross, mas foram produzidas stratos e não teles), sem falar nas atuais Squiers, sub-linha da Fender.

Os preços variam bastante assim como a qualidade. Inclusive a qualidade varia também dependendo do período que o instrumento foi fabricado. Boas dicas são as Fender Japonesas, que costumas ter a melhor relação entre custo e benefício.

Existem ainda ótimas opções de instrumentos usados de uma certa idade que não chegam as ser classificados como vintage (instrumentos colecionáveis de alto valor), mas são ótimas opções custo benefício, como Fernandes, Hurricane, Schecters e outras.

Modelos[editar | editar código-fonte]

Modelo Telecaster de James Burton.

Em consonância com outros modelos Fender distingue linhas de produtos fabricados em diferentes locais. Norma'e'Clássico modelos são fabricados fora dos Estados Unidos, enquanto modelo linhas fabricadas nos Estados Unidos, são denominadosamericanoebem como edição especiale'Highway One modelos.

A top-of-the-line American Deluxe Telecaster (introduzido em 1998 e atualizado em 2004) apresenta um par de Samário Cobalto captadores de ruído e do S-1 switching sistema. Modelos feitos antes de 2004 incluiu duas Fender Vintage silencioso Tele single-coils e 4-bolt pescoço fixação. Outros aperfeiçoamentos incluem uma vinculados contornos alder ou cinzas corpo e um Abalone dot-incrustada ácer pescoço com rosewood ou maple escala de 22 trastes médio-jumbo, esmagados escala bordas, e altamente detalhados e porca fret trabalho. A American Deluxe Telecaster HH esportes uma escala ébano, acolchoado ou flamed maple top e um par de humbuckers Enforcer com a S-1 switching. A Fishman Powerbridge foi brevemente apresentado no American Deluxe Telecasters feita a partir de 2000 a 2001. Fender oferece actualmente a Fishman ponte sobre o mexicano-fabricados Série Deluxe Nashville Tele guitarra.

O americano Série modelo utiliza dois captadores single-coil com DeltaTone sistema (com um alto débito ponte e um captador inverter-ferida pescoço captador). Outras características incluem um pergaminho pickguard, não-alder folheadas ou cinzas órgãos e laminados escala arestas. Houve também SH e HH guitarras com Enforcer humbucking pickups e S-1 switching, que estreou em 2003, têm sido descontinuado em 2007. A partir de 2008, todos os American Standard Telecasters veio com um reconcebido Tele ponte com estilo vintage-fletida aço selins.

A American Nashville B-Bender guitarra é modelado após o pessoalmente personalizadas de alguns dos instrumentos Nashville's melhores jogadores, caracterizando uma Fender / Parsons / Verde B-Bender sistema, duas americanas Tele single-coils ( pescoço, ponte), um único Texas Especial Start-coil (meio) e cinco-way "Strat-O-Tele" captador comutação. Ideal para o país dobra de aço e guitarra glisses, Tele este está disponível somente com uma escala maple.

O Ash Telecaster American Series é baseada na'52 vintage reemissão. Possui um corpo de cinzas, uma peça de maple pescoço / escala com 22 trastes e dois Modern Vintage Tele single-coil pickups.

O Custom Classic Custom Shop Telecaster é a versão americana da Tele guitarra, com um par de Clássicos e Twisted única de rolos na ponte e pescoço posições, bem como um mecanismo de controlo placa. As versões anteriores feitas antes de 2003 apresentou um americano Tele single-coil emparelhado com dois captadores Texas Especial Iniciar e 5-way switching.

The Highway One Telecaster (introduzido em 2003) apresenta um par de distorção-friendly Alnico III single-coils, super-dimensionados trastes, Greasebucket circuito e 70 styling (desde 2006). O Texas Telecaster esportes um pedaço 1-maple pescoço / fretboard moderna com um 12 "de raio e 21 trastes jumbo, sólido corpo cinza e um par de Hot Vintage pickups.

Os modelos de guitarras de médio custo Standard, Deluxe e Classic Tele são feitas no México, o Japão ea Coreia. Cada um destes instrumentos tem uma característica definir o que os torna um valor acessível para qualquer orçamento.

Artista Série Telecasters têm características favorecido pela mundialmente famosa Fender endorsees James Burton, John 5, Muddy Waters, Jim Root, G. E. Smith, Joe Strummer e Jim Adkins. Artista modelos personalizados são apresentados na Fender Custom Shop, ligeiramente diferentes qualidade e construção-sábios, os seus preços são muito superiores as pradrões.

Notas e referências

  1. «Avril usa uma fender» (em inglês). Consultado em Outubro de 2008.  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  2. «Por que as pessoas ainda amam a Fender Telecaster ?». www.guitarrafender.com. Consultado em 4 de maio de 2016.