Terceira Guerra Anglo-Afegã

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Se procura por outros conflitos relacionados, veja Guerra do Afeganistão.
Terceira Guerra Anglo-Afegã
Período entreguerras
Soldiers in action at Kohat during the Third Anglo-Afghan War.jpg
Soldados britânicos em ação em Kohat durante Guerra Anglo-Afegã
Data 6 de maio – 8 de agosto de 1919
Local Província da Fronteira Noroeste e Afeganistão
Desfecho Tratado de Rawalpindi
Beligerantes
Flag of Afghanistan (1919–1921).svg Emirado do Afeganistão Reino Unido Reino Unido
Comandantes
Flag of Afghanistan (1919–1921).svg Amanulá Cã
Flag of Afghanistan (1919–1921).svg Maomé Nadir Xá
Reino Unido Sir Arthur Barrett
Reino Unido Reginald Dyer
Reino Unido Alexander Eustace
Forças
50 000 militares
80 000 forças tribais
8 divisões
5 brigadas independentes
3 brigadas de cavalaria, além de uma série de aeronaves modernas, carros blindados e artilharia
Baixas
1 000 a 1 200 mortos
3 000 feridos
236 mortos, 1 500 feridos

A Terceira Guerra Anglo-Afegã (também referida apenas como a Terceira Guerra Afegã) começou no dia 6 de Maio 1919 e terminou com um armistício em 8 de Agosto de 1919.

Durante os dez anos de reinado de Amanullah Khan iniciou-se um período de mudança dramática no Afeganistão, tanto na política externa como na interna. Amanullah declarou a independência total e provocou a Terceira Guerra Anglo-Afegã. Alterou a sua política externa em novas relações com as potências estrangeiras e transformou a sua política interna com reformas sociais, políticas e econômicas. Embora o seu reinado tenha terminado abruptamente, ele conseguiu alguns êxitos notáveis, seus esforços fracassaram, tanto devido às forças tribais do Afeganistão e as maquinações da Rússia Czarista e da Grã-Bretanha como as políticas insensatas de sua parte.

Com o objetivo de modernizar o seu país e torna-lo livre da dominação estrangeira, Amanullah, tentou fortalecer sua base de poder e desviar a atenção das divisões internas do Afeganistão, e assim unir todas as facções sob seu comando, atacando os ingleses. [1] Utilizando o conflito civil no Raj Britânico (uma série de distúrbios civis e políticos) como uma desculpa para deslocar tropas para a Linha Durand, soldados afegãos cruzaram a fronteira ocidental no final de Khyber Pass em 3 de Maio de 1919 e ocuparam a cidade de Bagh. Em resposta, o governo anglo-indiano ordenou uma plena mobilização e no dia 6 de Maio 1919 declarou guerra. [2]

Embora seja essencialmente uma pequena vitória tática para os britânicos, tanto como que eles foram capazes de repelir as forças regulares afegãs; em muitos aspectos, foi uma vitória estratégica para os afegãos. Para os britânicos, a Linha Durand foi reafirmada como fronteira política entre o Afeganistão e a Índia britânica, e os afegãos concordaram em não fomentar problemas no lado britânico. Os afegãos finalmente ganharam o direito de realizar os seus próprios assuntos estrangeiros como um Estado totalmente independente.[3]

Ver Também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Barthorp, p. 151
  2. Wilkinson-Latham & McBride, p. 23
  3. Barthorp 2002, p. 157.
Ícone de esboço Este artigo sobre um conflito armado é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.