The Gods of Mars

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gods of Mars
Os Deuses de Marte
Capa da edição de 1918
Autor (es) Edgar Rice Burroughs
Idioma Inglês
País Estados Unidos
Género romance planetário
Série Barsoom
Arte de capa Frank E. Schoonover
Editora A.C.McClurg & Co.
Lançamento 1918
Páginas 348
Cronologia
Último
Último
A Princess of Mars
The Warlord of Mars
Próximo
Próximo

The Gods of Mars é um romance de fantasia científica escrito por Edgar Rice Burroughs, o segundo de sua famosa série Barsoom. Foi publicado pela primeira vez na revista pulp All-Story como uma série de cinco partes nas edições de janeiro a maio de 1913.[1] Mais tarde foi publicado como um livro pela A.C. McClurg em Setembro de 1918. O livro foi lançado pela primeira vez no Brasil em 2012 pela Editora Aleph,[2] a mesma que publicou o primeiro romance da série, "Uma Princesa de Marte" em 2010.[3] É o segundo dos onze livros da série de ficção científica Barsoom, sobre as aventuras do John Carter no Planeta Marte.[4]

No final do primeiro romance, John Carter é transportado contra a vontade de volta para a Terra. The Gods of Mars começa com sua chegada de volta em Barsoom (Marte), após uma separação de dez anos de sua esposa Dejah Thoris, seu filho não-nascido e o povo vermelho de Marte, da nação de Helium, que ele adotou como sua.


Gêneros[editar | editar código-fonte]

Enquanto o romance é muitas vezes classificado como ficção científica, é mais intimamente relacionado a romance planetário e espada e planeta,[5] que possuem afinidades com a fantasia[6] e a espada e feitiçaria; . Distingue-se pela sua inclusão de elementos científicos (ou pseudo-científicos). Tradicionalmente, romances planetários ocorrem na superfície de um mundo alienígena, e muitas vezes incluem lutas de espadas; monstros; elementos sobrenaturais, tais como: habilidades telepáticas (em oposição a magia); E culturas semelhantes a do Planeta Terra em épocas pré-industriais, especialmente com as estruturas sociais teocráticos ou dinásticas. Naves espaciais podem aparecer normalmente, mas não são fundamentais para a história; Esta é uma diferença fundamental da space opera, em que geralmente naves espaciais são fundamentais para a narrativa. Embora existam exemplos anteriores nos gêneros, A Princess of Mars e The Gods of Mars são os mais conhecidos, e eles foram uma influência dominante em autores posteriores.[6]


Referências

  1. Sampson, Robert (1984). Yesterday's Faces: A Study of Series Characters in the Early Pulp Magazines. Popular Press. ISBN 0-87972-262-2.
  2. Leonardo Vicente Di Sessa (15/05/2012). Editora Aleph continua a saga de John Carter HQManiacs.
  3. Dellano Rios (4 de maio de 2010). Epopeia marciana Diário do Nordeste.
  4. Marcelo Hessel (16 de Abril de 2010). Uma Princesa de Marte de Edgar Rice Burroughs enfim é publicado no Brasil Omelete.
  5. M. Keith Booker. Encyclopedia of Comic Books and Graphic Novels: [Two Volumes]. [S.l.]: ABC-CLIO, 2010. 627 p. 9780313357473
  6. a b Westfahl, Gary (2000). Space and Beyond. Greenwood Publishing Groups. ISBN 0-313-30846-2.


Ícone de esboço Este artigo sobre um livro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.