Universidade de Guadalajara

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Universidade de Guadalajara
Universidad de Guadalajara
Escudo UdeG.svg
U. de G.
Lema Piensa y Trabaja
(Pensa e Trabalha)
Fundação 12 de outubro de 1925 (90 anos)
Tipo de instituição Pública
Localização Guadalajara, Jalisco,  México
Reitor(a) Dr. Marco Antonio Cortés Guardado
Total de Estudantes 195,071 (2008)[1]
Mascote Leão
Afiliações ANUIES, CUMEX, International Association of Universities, College Board, CONAHEC
Orçamento anual 8.07 Milhões MXN (2009) [2]
Página oficial www.udg.mx

A Universidade de Guadalajara (U. de G.) (em castelhano Universidad de Guadalajara) é uma instituição de ensino pública, que tem sua sede localizada na cidade de Guadalajara no estado de Jalisco no México. Cronologicamente, é a segunda universidade no México, a quarta na América do Norte e a décima-quarta na Ibero-América. Em termos de quantidade de população estudiantil ocupa o segundo lugar em todo o continente (195.116 estudantes no meio profissional, bacharelado, técnico superior, licenciatura e pós-graduado).

História[editar | editar código-fonte]

A Universidad de Guadalajara se alterou significativamente na estrutura, empregadores e os interesses em toda a sua história duas vezes centenário. Mas ela reteve uma notável consistência em termos de educação e motivação. É por isso que é considerado que esta instituição tem os seus antecedentes do período colonial, mantendo uma continuidade; e não em algum momento durante o pós-reformas, quais foram resultantes das numerosas mudanças políticas e sociais ao longo da história do país.

Início[editar | editar código-fonte]

Antiga Universidad de Guadalajara

O processo de criação da universidade foi lento e trabalhoso, tendo quase um século. Os primeiros a solicitar a criação de uma universidade em Guadalajara foi frei Felipe Galindo Chávez e Pineda, que solicita ao Rei Carlos II da Espanha elevação do Real Seminário Conciliar de San José para a classificação de Real Universitário em 12 de julho de 1696.

O próximo personagem na defesa da causa da Universidade foi um graduado do Anjo Matias Mota Padilla, que em 1750 levou a câmara do município o projeto da universidade como uma de suas prioridades.

Mas foi só após a expulsão de todos os membros da Companhia de Jesus dos territórios espanhóis em 1767, que a necessidade de uma universidade na região de Nova Galiza era urgente. Devido a esta empresa que administra as duas escolas mais importantes da cidade: os Colégios de Santo Tomás e de San Juan Bautista.

Em 12 de dezembro de 1771 até a cidade que é considerada como principal responsável pela fundação da Universidade: o clérigo frei Antonio Alcalde e Barriga, novo bispo da Diocese de Nova Galiza. Quem em 1775 respondeu a uma carta real do Rei Carlos III da Espanha, no qual ele solicitou observações sobre a conveniência de uma universidade na cidade. A resposta afirmativa, o seu envolvimento pessoal no projeto e na sua capacidade de envolver vários agentes na cidade do que no ano 1791, o Rei Carlos IV da Espanha promulgou um cédula real, declarando a fundação da Universidad de Guadalajara.

Trecho desta cédula real (em castelhano):

Esta cédula foi para as autoridades da Nova Galiza em 26 de março de 1792, que procederam a realizar uma festa na cidade e realizara remodelação do Colégio de Santo Tomás. As instalações foram inauguradas em 3 de novembro de 1792. Tal como o primeiro reitor o padre José Maria Gómez y Villasenor. A escolha dos professores através de uma concorrência estabelecida pelo reitor, e exclusivamente destinadas sacerdotes da ordem franciscana, dominicanos e mercedario. Por ordem do Rei, na vanguarda do novo edifício foi colocada a seguinte legenda:

Entre 1821 e 1861[editar | editar código-fonte]

CUCBA

Entre 1821 e 1924 a universidade sufreu numerosos trocas, incluindo encerramentos temporários, fraturas, coordenação e troca de denominação, provocadas em mais de uma ocasião por motivos políticos.

Em 14 de junho de 1821, o reitor Diego Aranda y Carpinteiro e jurou lealdade em nome da universidade para o representante da independência do Plano de Iguala, o General Pedro Celestino Negrete. Com esse reconhecimento, a universidade perdeu o título de "Real y Literaria Universidad de Guadalajara" (pt: Real e Literária Universidade de Guadalajara) e passou a se tornar a Universidad Nacional de Guadalajara (pt: Universidade Nacional de Guadalajara), deixando para trás o escudo feito pela monarquia espanhola e tomando dos independentistas.

Apesar de tal declaração de lealdade, o primeiro encerramento temporário do estabelecimento foi decretado por Prisciliano Sanchez, o primeiro governador do Estado de Jalisco, em 1826, devido à turbulenta situação da economia e da política do país após a independência.

A instituição reabriu suas portas em 1834.

Entre 1862 e 1925[editar | editar código-fonte]

Durante este período, o ensino secundário e superior veio ao abrigo da regra direta do Governo do Estado, regida pelas seguintes agências:

  • A Câmara de Estudos do Estado - de 1868 a 1893
  • A Direção de Instrução Pública do Estado - de 1893 a 1903
  • O Conselho Superior de Instrução Pública do Estadoe da Direção de Instrução Pública do Estado - de 1903 a 1920
  • O Departamento de Educação Preparatória e Profesional do Estado e a Direção General de Educação e Beneficência Públicas do Estado - de 1920 a 1925.

Entre 1925 e 1991[editar | editar código-fonte]

No ano de 1925 entra em vigor na Ley Orgánica de 25 de setembro de 1925. O governador Jose Hernandez Guadalupe Zuno convocado em junho de 1925 para um grupo de professores, intelectuais e profissionais para ajudar a formar a direção e organização da nova Universidade e de cada uma das suas unidades. Nas reuniões, realizada no Palácio do Governo pelo presidente da estatal, em seguida, Rodrigo Peralta.

1991 - atualmente[editar | editar código-fonte]

Prédio da reitoria

Baseada em resposta às preocupações expressas por vários intelectuais e artistas nas reuniões do Centro Bohemio, a conferência suportada pelo engenheiro Juan Salvador Agraz Ramirez de Prado sobre o projeto da fundação "La Universidad Nacional de Guadalajara" (pt: Universidade Nacional de Guadalajara) e as novas orientações emanadas da Revolução Mexicana de 1910, o governador de Jalisco, Jose Hernandez Guadalupe Zuno, restaurado pela terceira vez a Universidad de Guadalajara, em 1925, nomeando o líder professor Enrique Diaz de León.

Participarão muito ativamente das juntas preparatórias a da restauração da universidade, além do engenheiro Agraz, do professor Díaz de León e do governador Zuno (quem convocou e presidiu), as professoras Irene Robledo García e Catalina Vizcaíno, o arquiteto Agustín Basave del Castillo Negrete, os presbíteros Severo Díaz Galindo e José María Arreola Mendoza, o doutor Juan Campos Kunhardt, o advogado Ignacio Villalobos Jiménez e os professores Adrián Puga Gómez e José Ignacio Calderón Bonilla.

Em 7 de setembro de 1925, o Congresso do Estado autorizou ao governador Zuno para que emitir a "Ley Orgánica" na Universidade, promulgando em 25 do mesmo mês. As dependências universitárias seriam: Escuela Preparatoria de Jalisco (pt: Escola Preparatória de Jalisco), Preparatoria para Señoritas, Facultad de Farmacia (pt: Faculdade de Farmácia), Facultad de Ingeniería (pt:Faculdade de Engenharia), Facultad de Medicina (pt:Faculdade de Medicina), Facultad de Jurisprudencia (pt: Faculdade de Jurisprudência), Facultad de Comercio (Faculdade de Comércio), Normal Mixta, o Observatório Meteorológico do Estado e a Biblioteca Pública do Estado.

A ceremônia de inauguração da Universidade foi feita no dia 12 de outubro no Teatro Degollado, e foi presidida pelo secretário de Educação Pública, José Manuel Puig Casauranc, e pelo governador Zuno; foram universidades madrinhas as de Salamanca, México, Paris e Califórnia, as quais enviaram seus representantes. Em discurso oficial, o reitor Díaz de León disse os objetivos da instituição:

A Universidade irá formar os homens. "O grão que está a semear almas", disse o moralista, mas isso exige que você negligência oropelesco mesmo brilho das vaidades que levam a nada, como o riso que elas querem ser afiada para aqueles que necessitem de abrigos para rir a frase de Rabelais. Precisa arrancar o vício que tem das raízes profundas e dolorosas, não tenho a obsessão do passado, mas as mãos atentos às batidas do momento, com vista das miragens de amanhã …

Em seguida fez uma forte crítica ao modelo clássico das universidades e chamou a desenredar, porque, todas as facudades, haver surgir a fonte em que abreven todas as ansias de conhecimentos, deve ser o ideal da educação. Abrir de par em par as portas a toda vocação, vocação no sentido prístina da palavra. Vocare: chamar. Sim, chamar… deve ser uma voz que chame os homens para que possam descifrar seu enigma…

E concluiu falando para estudantes:

Ao terminar a cerimônia inaugural, as autoridades governamentaies e universitárias foram para o antigo prédio da Universidadepara firmar a ata de restauração, tanto os estudantes festejarão o acontecimento com serenata, desfile e um combate de flores.

Centros universitários[editar | editar código-fonte]

Pátio do centro universitário da Universidad de Guadalajara

Atualmente, a Universidad de Guadalajara conta com quatorze centros universitários no nível superior; desses, seis chamados "temáticos" localizado na Zona Metropolitana da ciudad de Guadalajara e oito nas regiões do interior do estado de Jalisco.

  • Centros temáticos
    • CUAAD - Centro Universitario de Arte, Arquitectura y Diseño.
    • CUCS - Centro Universitario de Ciencias de la Salud.
    • CUCEI - Centro Universitario de Ciencias Exactas e Ingenierías.
    • CUCEA - Centro Universitario de Ciencias Económico Administrativas.
    • CUCSH - Centro Universitario de Ciencias Sociales y Humanidades.
    • CUCBA - Centro Universitario de Ciencias Biológicas y Agropecuarias.
  • Centros regionais
    • CUALTOS - Centro Universitario de los Altos. (sede Tepatitlán)
    • CUCSUR - Centro Universitario de la Costa Sur. (sede Autlán)
    • CUCIENEGA - Centro Universitario de la Ciénega. (sede Ocotlán)
    • CUCOSTA - Centro Universitario de la Costa. (sede Puerto Vallarta)
    • CUNORTE - Centro Universitario del Norte. (sede Colotlán)
    • CUVALLES - Centro Universitario de los Valles. (sede Ameca)
    • CULAGOS]] - Centro Universitario de los Lagos. (sede Lagos de Moreno)
    • CUSUR - Centro Universitario del Sur. (sede Zapotlán El Grande)
  • Divisões académicas
    • UDGV - Sistema de Universidad Virtual
    • SEMS- Sistema de Educación Media Superior

Nota-se que o SEMS não é um centro universitário ou campus, mas uma divisão académica: todos os colégios de bachhareis e escolas preparatórias da U. de G. pertenecem a esta divisão, apesar de estar geograficamente dispersos. Se menciona aqui junto a outros centros devido a que tem um diretor e uma estrutura de gestão equivalente ao de universidades que possuem um campus parceiro. O mesmo se aplica para a UDGV, que é a división academica especializada em educação a distância dentro da universidade.

Planejamento e desenvolvimento institucional[editar | editar código-fonte]

A COPLADI é uma dependência da Administração General cuja finalidade é a de fortalecer a planejamento institucional em Red e contribuir para a participação das coordenadas de planejamento dos Centros Universitários, Sistema de Educação Média, Superior e o Sistema de Universidade Virtual, assim como as demais dependências universitárias, nas coordenações dos trabalhos técnicos de planejamento, programação, orçamentos e avaliação do exercício do gasto; avaliar sistematicamente o funcionamiento do P3E; unificar os critérios em âmbito; manter atualizados as orientações que regulam os processos de planejamento, programação, orçamento e avaliação, e apoiar as autoridades universitárias neste ámbito.

  • Institucional Numeralia
  • Cadernos Estatísticos
  • Planos de Desenvolvimento
  • Orçamento das receitas e despesas
  • Programa Integral de Fortalecimiento Institucional (PIFI)

Acervos científicos e tecnológicos[editar | editar código-fonte]

Projeto da Universidad de Guadalajara criado e mantido pela Coordinação General de Sistemas de Informação (CGSI). 'e-Acervos' é um portal interativo de conteúdos científicos e tecnológicos de livre acesso que contribui a divulgar o conhecimento e ao intercâmbio acadêmico.

Objetivos
  • Fortalecer a cultura e a publicação científica especializada nas áreas do conhecimento.
  • Fomentar o intercâmbio entre leitores e autores via Web.
  • Cuidar da qualidade e da credibilidade dos conteúdos que são publicados, apoiaando-se em pareceres científicos e editoriais.
  • Impulsar a colaboração entre investigadores.

Contar con indicadores que evalúen el impacto en Internet.

  • Ter indicadores que avaliam o impacto sobre a Internet.
Produtos
  • Revista digital científica e tecnológica (com arbitragem)
  • Teses eletrônicas e pós-graduação grau
  • Vídeos científicos e tecnológicos (baixa demanda)
  • Publicação eletrônica de livros e documentos
  • Revista eletrônica de divulgação

Esportes[editar | editar código-fonte]

  • Beisebol: A Universidad de Guadalajara contava em seu passado com um dos poucos estádios de beisebol da cidade de Guadalajara, que foi destruída pelo seu lamentável estado para abrir um estacionamento.
  • Esgrima: A Universidad de Guadalajara conta com uma equipe de esgrima o qual não tem nenhum apoio por parte da instituição.
  • Esportes aquáticos: A Universidad de Guadalajara conta com 2 piscinas olímpicas situadas uma no Club de la Primavera e outra nas instalações do Centro Universitario de Ciencias Exactas e Ingenierías.
  • Futebol: A Universidad de Guadalajara conta com a equipe de futebol Leones Negros de la U.de.G, que chegou a várias finais e inclusive ganhou a Liga dos Campeões da CONCACAF em 1978. Atualmente a equipe foi promovido a Primeira Divisão de Mexico.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Universidade de Guadalajara