Várzea (Rio Grande do Norte)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Município de Várzea
"Cidade da Cultura"
Em destaque, a Igreja Matriz e Rua Deputado José Lúcio Ribeiro

Em destaque, a Igreja Matriz e Rua Deputado José Lúcio Ribeiro
Bandeira de Várzea
Brasão de Várzea
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 20 de dezembro
Fundação 1959
Gentílico varzeano
Prefeito(a) Pedro Sales Belo da Silva (PMDB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Várzea
Localização de Várzea no Rio Grande do Norte
Várzea está localizado em: Brasil
Várzea
Localização de Várzea no Brasil
06° 20' 52" S 35° 22' 33" O06° 20' 52" S 35° 22' 33" O
Unidade federativa  Rio Grande do Norte
Mesorregião Agreste Potiguar IBGE/2008 [1]
Microrregião Agreste Potiguar IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Norte: Jundiá
Sul: Nova Cruz
Leste: Espírito Santo
Oeste: Santo Antônio e Passagem
Distância até a capital 84 km
Características geográficas
Área 67,245 km² [2]
População 5 227 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 77,73 hab./km²
Clima Tropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,626 médio PNUD/2010[4]
PIB R$ 19 358,891 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 3 561,89 IBGE/2008[5]

Várzea é um município no estado do Rio Grande do Norte (Brasil) e está localizada na região do Agreste Potiguar. De acordo com o censo realizado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) no ano 2007, sua população é de 5.276 habitantes. Área territorial é de, aproximadamente, 67,3 km².

População[editar | editar código-fonte]

Igreja Matriz de São Pedro: obra em estilo romano datada de 1950

A população do município, segundo o Censo de 2007, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e EstatísticaIBGE, é de 5.276 habitantes, depois da separação populacional resultante da criação (e instalação) do Município de Jundiá. Depois desse censo, não houve nenhuma outra contagem oficial da população no Município de Várzea. No entanto, vários órgãos públicos fazem estimativa da população atual, dentre eles, destacamos o próprio IBGE, que, nos anos seguintes, após o Censo, realizou estimativas oficiais. Isso aconteceu para que o Governo Federal desse direcionamento aos recursos reservados para os municípios. Ele estabeleceu critérios técnicos para implantação de programas voltados à população. Por exemplo: O PSF — Programa de Saúde da Família, que tem como critério, o número mínimo de 4500 habitantes para atendimento por equipes. Em Várzea, temos duas equipes do PSF, pois, como pôde-se ver, a nossa população é superior a 4500 habitantes.

O IBGE divulgou, em 8 de junho de 2007, estimativas populacionais de todo o Brasil. Esses dados, como bem ressalva o IBGE, devem ser usados somente em casos de extrema necessidade, apesar de serem divulgadas no Diário Oficial da União. Para o Município de Várzea, por exemplo, a população estimada foi de 5,276 habitantes, tomando como base o mês de maio/2007 em relação ao último Censo realizado em 2006. Tivemos, conseqüentemente, uma redução na população de aproximadamente 3,2%. Estes são os dados oficiais divulgados pelo referido instituto sobre o Nosso Município. Se é a realidade ou não, só a realização do próximo Censo irá esclarecer.

História[editar | editar código-fonte]

Em terras banhadas pelo Rio Jacu e pelo Riacho Várzea, começaram a surgir, no final do século XIX, os primeiros sinais de um povoamento. Agricultores motivados pelo crescimentos das atividades agrícolas e pecuárias no município-sede de Goianinha, decidiram buscar novas terras para o trabalho. Essa busca por novos territórios chegou à região situada nas proximidades do Riacho Várzea, no início do século XX, dando início à exploração da área com a instalação de sítios, fazendas e moradias.

Era o início da comunidade de Várzea, fundada por Ângelo Bezerra, nascendo forte, impulsionada pela prosperidade na agricultura e pelo bom desempenho na pecuária. Durante toda a primeira metade do presente século, o povoado, pertencente ao município de Goianinha, manteve um crescimento gradativo, baseado nas atividades do campo.

Em 20 de dezembro de 1959, pela Lei número 2.586, Várzea desmembrou-se de Goianinha, tornando-se município do Rio Grande do Norte.

O município de Várzea está localizado na Região Agreste do estado, a 84 quilômetros de distância da capital, com uma área de aproximadamente 67,3 km², onde nele residem 5.276 habitantes.

No aspecto cultural, Várzea dispõe do reforço da Biblioteca Pública Ângelo Bezerra, com um grande acervo de livros à disposição da comunidade. O artesanato local é voltado para a fabricação de bolsas e esteiras de agave.

As vaquejadas de Várzea são famosas em todo o estado, sempre congregando, no Parque Municipal São Pedro, uma vasta quantidade de praticantes vindos de vários estados do Brasil.

As manifestações populares de Bumba-meu-boi e Pastoril continuam presentes na vida da cidade, principalmente, no mês de agosto, quando é realizada a Semana da Cultura do município que, geralmente, ocorre na última semana do citado mês e reúne uma extensa programação cultural e esportiva. Convém ressaltar que tal festa dispõe de uma considerável estrutura montada (palco, som, luzes), na qual ocorrem diversas apresentações culturais, inclusive vindas de outros estados. Essa é uma das épocas em que a cidade mais recebe visitantes, o que a fez ser considerada, pela Fundação José Augusto, Capital da Cultura Potiguar.

No dia 29 de junho acontece a grande Festa de São Pedro, padroeiro do município, com a realização de grandiosos eventos populares e uma intensa programação religiosa.

Lei de criação do município[editar | editar código-fonte]

No dia 29 de dezembro de 1959, o Diário Oficial do Estado do Rio Grande do Norte trazia em sua oitava página a Lei Nº 2.586. De acordo com a Lei, defendida pelos Dep. João Aureliano de Lima e José Vasconcelos da Rocha na Assembleia Legislativa do Estado, estava criado o município de Várzea, desmembrando-se politicamente do município de Goianinha. O Texto a seguir é a íntegra da Ata da Instalação do Município de Várzea (Transcrita do documento original arquivado na Prefeitura Municipal):

"Aos treze dias do mês de janeiro do ano de mil novecentos e sessenta, no edifício provisório da Prefeitura Municipal, foi realizada a sessão solene de instalação do município de Várzea, criado por decreto nº 2586 de 20 de dezembro de 1959, a qual contou com a presença do Deputado Estadual José Rocha, do Exmº Sr. Adauto Ferreira da Rocha — Prefeito de Arês, do Pe. Armando de Paiva, Vigário da Paróquia de Goianinha e grande número de pessoas da localidade. Às 16:30 horas, teve início a sessão, falando o Deputado José Rocha, parabenizando o povo do município recém-criado, pela grande vitória obtida. Vários oradores foram ouvidos compartilhando do (....) acontecimento. Logo após, foi empossado do cargo de Prefeito do Município de Várzea o Exmº Sr. Pasqualino Gomes Teixeira, nomeado pelo decreto do Exmº Sr. Governador do Estado, de 29 de Dezembro de 1959. E para constar, eu Pedro Marinho Bezerra, lavrei a presente ata que vai por mim, secretário ad-hoc, assinada, autoridades e demais pessoas presentes. Várzea-RN, 13 de janeiro de 1960."

Primeiros moradores[editar | editar código-fonte]

Foto aérea (vista do Bairro Novo e Estádio Municipal João Aureliano de Lima, à esquerda)

Apesar de ter passado a condição de município apenas em 1959, Várzea já existia desde o século passado na condição de vila, pertencente ao município de Goianinha. Seus primeiros moradores foram os Senhores Minervino Bezerra, Genésio Coelho, José Anacleto, Ângelo Bezerra entre outros. Aqui chegando, atraído pela boa qualidade da terra, deram início as primeiras edificações do município. Em 1886 ergueram a Capela de São Pedro, cuja imagem foi adquirida em Portugal e se encontra até hoje na atual Igreja de São Pedro. Em 1930, Várzea já possuía em sua sede mais de 200 casas e, aproximadamente 3.000 habitantes, no povoado e ao redor, que, a principio, surgiu às margens do rio de nome Joca, afluente do Rio Jacu.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Várzea: Terrenos baixos e planos que margeiam os cursos d’água.

Com estas características de localização, fazendo jus ao nome, encontramos a sede do município. Localizado na Microrregião do Agreste Potiguar, dista sua sede a 84 km da capital (BR-101 Sul até Goianinha e, depois, à direita pela RN-003). Predomina o clima tropical chuvoso com verão seco, onde apresenta anualmente uma média chuvosa de 700 mm, e temperatura média de 27°C. Sua altitude média é de 59 metros acima do nível do mar. Sua potencialidade em termo de vazante e irrigação são muito pequenas, no entanto, a área do município, em quase sua totalidade, é agricultável e pode ser explorada.

Economia[editar | editar código-fonte]

Ao centro, o Estádio João Aureliano de Lima

O município está situado numa região predominantemente agrícola. Fazendas e sítios constituem sua subdivisão geográfica. Além da agricultura, a pecuária é outra fonte de renda importante da economia municipal. Na agricultura são exploradas, principalmente, as culturas de mandioca, milho, feijão, batata doce, coco baía, cana-de-açúcar, manga, caju, entre outras fruteiras. Na pecuária, é predominante a criação de bovino misto. No entanto, existe uma boa criação de aves caipiras, suínos e eqüinos. Ambas as culturas são comercializadas na feira livre do município, que acontece aos domingos. O excedente é exportado para as feiras dos municípios circunvizinhos. O comércio do município ainda é pequeno, porém demonstra sinais de crescimento bastante significativos. Existem em sua sede, atualmente, loja de eletrodomésticos, lojas de roupas, de materiais de construção, vários mercadinhos e supermercados, diversas mercearias, bares e restaurantes, açougues, oficinas mecânicas, clubes recreativos, farmácias, entre outros. Muitos dos estabelecimentos comerciais citados se instalaram em Várzea na década de 90. A partir de 2006, foi instalado um link de Internet Wireless (a rádio; sem fio), consolidando a estrutura telecomunicativa do município, além de gerar um novo segmento de mercado com o advento das lan houses e laboratórios de informática: o de Serviços.

Política[editar | editar código-fonte]

Prefeitos[editar | editar código-fonte]

Nome Mandato Vice-prefeito
Início Fim
13 de janeiro de 1960 31 de dezembro de 1960 Pasqualino Gomes Teixeira Não teve
1° de janeiro de 1961 31 de janeiro de 1965 Wandik Teixeira Lopes Antônio Alves de Queiroz
31 de janeiro de 1965 31 de janeiro de 1970 Adauto Ferreira Rocha Arnor Coelho de Oliveira
31 de janeiro de 1970 31 de janeiro de 1972 Severino Florêncio Sobrinho Oliveira Jorge de Alexandria
31 de janeiro de 1972 31 de janeiro de 1977 Severino Pereira Campos Manoel Luiz do Nascimento
31 de janeiro de 1977 31 de janeiro de 1982 Severino Florêncio Sobrinho Raimundo Paulino de Souza
31 de janeiro de 1982 31 de janeiro de 1989 Oneide Maurício de Queiroz Manoel Luiz do Nascimento
31 de janeiro de 1989 31 de dezembro de 1992 Antônio Genival de Carvalho Luiz Paulino
1° de janeiro de 1993 31 de dezembro de 1996 Severino Florêncio Sobrinho José Edson Alves da Silva
10ª 1° de janeiro de 1997 31 de dezembro de 2000 Manoel Luiz do Nascimento Ivan Braz de Oliveira
11ª 1° de janeiro de 2001 31 de dezembro de 2004 Antônio Genival de Carvalho José Arimatéia de Alexandria
12ª 1° de janeiro de 2005 31 de dezembro de 2008 Antônio Genival de Carvalho José Arimatéia de Alexandria
13ª 1° de janeiro de 2009 31 de dezembro de 2012 Getúlio Luciano Ribeiro Cleide de Carvalho da Silva Lima
14ª 1° de janeiro de 2013 31 de maio de 2016 Getúlio Luciano Ribeiro Cleide de Carvalho da Silva Lima
15ª 1° de junho de 2013 31 de dezembro de 2016 Cleide de Carvalho da Silva Lima Não teve
16ª 1° de janeiro de 2017 Pedro Sales Belo da Silva Janiel Hercílio da Silva

Eleitores[editar | editar código-fonte]

Observando do ponto de vista da evolução do número de eleitores existente no município, dá para pensar que a população varzeana está, de fato, reduzindo, pois, tomando como base o eleitorado existente em Várzea após o desmembramento de Jundiá em 2000 (ano da 1ª eleição, após a separação) até dezembro/2005, houve uma redução de 14,785% no número de eleitores existentes. Porém, no período de 17/11 à 16 de Dezembro de 2003, houve, pela primeira vez, uma revisão eleitoral no município. Até aquele ano, muitos dos varzeanos falecidos ainda constavam na lista de eleitores votantes. Outro fator que fantasiava o número de eleitores eram os habitantes que residiam em outras unidades da federação e ainda permaneciam constando na relação de eleitores de Várzea. Somente esse fato, provocou uma redução de 1.273 eleitores. O período da revisão limitou-se a 30 dias, no entanto, ainda hoje, existem eleitores residentes na própria cidade de Várzea que continuam com suas situações eleitorais pendentes de regularização. Dados oficiais do número de eleitores votantes para a eleição de 2006, indicam que houve um crescimento significante. O número de eleitores cresceu aproximadamente 10,0 % em relação ao número de votantes na eleição de 2004, consequência da regularização de alguns eleitores faltosos na revisão e também de novas inscrições eleitorais e transferências.

Educação[editar | editar código-fonte]

Observando do ponto de vista da educação municipal, especificamente os dados coletados no Censo Escolar, fica difícil fazer alguma analogia sobre o que está acontecendo com a população varzeana, pois, de acordo com os dados disponibilizados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Educacional - INEP, (através do seu site na internet), órgão oficial responsável pela coleta de dados do censo da educação em todo o país, e que passaram a ser divulgadas a totalização a partir do ano de 2001. Com base, inclusive, em 2001, houve um crescimento anual no número de inscrição até o ano de 2004. Já no ano de 2005, houve uma redução do número de alunos matriculados. Do ponto de vista da administração municipal, observamos também que o número de matrículas na rede municipal sofre muitas oscilações em virtude de atrair muitos estudantes residentes em outros municípios vizinhos. Fica realmente difícil fazer analogia com crescimento populacional. Além de atrair estudantes de fora dos limites municipais, também existe em Várzea uma grande clientela de estudantes que optam por estudar nas escolas particulares da própria cidade e das cidades vizinhas, inclusive na capital do estado. Para esses dados, nunca foi feito estatística quantitativa. Isso é fato, porque, no município, é visível esta realidade.

Outro fator que também merece atenção, na evolução do número de estudantes existente no município, é a própria migração interna que existe. Verifica-se uma mudança constante no número de alunos entre as escolas estabelecidas em Várzea. Esse comportamento faz com que as escolas particular e estadual apresentem uma evolução diferente das escolas municipais. A comparação evolutiva da rede municipal de ensino com a escola estadual e, também, com as escolas particulares existentes no município, tiveram resultados diferentes no número de estudantes. A escola estadual, de acordo com os números analisados, apresenta uma quantidade de matriculas regular. O número de alunos matriculados oscila entre 433 (em 2001) e 551 (em 2004). Diferente da rede estadual e municipal, a rede particular apresenta um crescimento constante. Saiu de 104 alunos em 2001 para 224. Um crescimento superior a 100%. Para melhor entender o que está acontecendo com a evolução dos números de alunos existentes em nosso município, totalizamos os números de matriculas existentes em todas as escolas e em todos os níveis. O que podemos observar é que houve um crescimento constante no número de alunos matriculados, no período de 2001 a 2004. Já em 2005, houve uma redução de aproximadamente 4,8 %.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010. 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010. 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 4 de setembro de 2013. 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Rio Grande do Norte é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.